Curso Pré-Vestibular: diferenciais do Planck

Conteúdo

Buscar o cursinho SJC que ofereça as condições mais adequadas para os processos seletivos do vestibular é fundamental. Conheça o Planck.

Quando um estudante chega no momento de buscar um curso pré-vestibular para se preparar para os processos seletivos das universidades, é imprescindível buscar a instituição que ofereça as condições mais adequadas.

Conheça os diferenciais do Planck quando a missão é preparar um aluno integralmente para realizar o seu sonho.

Estatísticas de aprovação nem sempre são melhores indicativos

Por inúmeras razões, os estudantes que vão prestar exames vestibulares buscam um cursinho para se preparar para um período que exige muita dedicação, paciência e determinação.

Esse momento é importantíssimo porque representa a hora de realizar um investimento emocional alto em expectativas de aprovação para ingressar em uma boa instituição de ensino superior. Essa escolha deve ser cuidadosa e contar com critérios bem definidos.

Porém, nem sempre é assim que acontece. Muitas vezes, os alunos buscam cursinhos apenas pelo histórico de aprovação, sem saber que nem sempre os números divulgados são de uma unidade específica, e sim de todo um sistema de ensino, que pode estar no Brasil inteiro.

Por  isso, já vale dizer que não é essa estatística que o candidato ao exame vestibular deve olhar ao buscar um cursinho.

Entenda como funciona a estatística

Vamos entender como muitas vezes vai funcionar as estatísticas de aprovação para que o estudante realize uma escolha mais consciente?

Em incontáveis vezes, os estudantes aprovados em renomados cursinhos não foram preparados previamente naquele estabelecimento onde se inscreveram. Toda a formação pedagógica deles, desde o momento que entraram na escola, já é voltada para uma aprovação após o 3o. ano do Ensino Médio. 

Há tempos, cursinhos grandes perceberam essa tendência e garantem bolsas integrais de estudo, moradia e alimentação àqueles alunos talentosos no país inteiro e que já estão praticamente com um pé dentro da universidade.

Buscar o cursinho SJC que ofereça as condições mais adequadas para os processos seletivos do vestibular é fundamental. Conheça o Planck.

Quando a aprovação acontece, a estatística acaba favorecendo aquela instituição, mas não foi apenas aquele cursinho que preparou integralmente o candidato, ele já chegou semipronto.

Vale ressaltar, que fazem parte das estatísticas de aprovação de grandes cursinhos, alunos do país inteiro que “quase passaram” em faculdades renomadas no ano anterior. Alunos, por exemplo, que já cursaram 4 anos de pré-vestibular para ingressar em uma faculdade de medicina e que já se encontram em um momento com grandes chances de serem aprovados no vestibular.  

Esses estudantes são procurados ativamente por essas instituições de ensino, com oferta de bolsas de estudos, auxílio-moradia e alimentação a fim de que componham turmas denominadas “A” e que engrossem as estatísticas de aprovação do ano seguinte.

Buscar o cursinho SJC que ofereça as condições mais adequadas para os processos seletivos do vestibular é fundamental. Conheça o Planck.

Leia também:

➡️ Vestibular sem desgaste psicológico

➡️ Ensino médio além do vestibular tradicional

Três pilares são fundamentais para a sua escolha

Para o Planck, o que faz o aluno passar em um processo seletivo após ingressar em um cursinho são 3 grandes pilares: 

– Conhecimento acadêmico que já tem e que vai adquirir até o momento das provas;

– Conhecimento dos exames que vai prestar;

– Chegar emocionalmente preparado para a bateria de provas que irá realizar.

Mas como um cursinho poderá oferecer todas essas condições que levarão a uma aprovação no vestibular? O cursinho deverá fornecer todos os recursos necessários para preparar o estudante, do ambiente agradável ao quadro de professores eficientes, que ajudarão nesse processo.

Então, para escolher,  é mais que necessário colocar na balança qual cursinho dará mais oportunidade de crescimento.

Conhecimento Acadêmico

O conhecimento acadêmico do aluno, do momento que ele entra na escola até o momento que faz a matrícula no cursinho, também terá peso em seus resultados. Mas um bom pré-vestibular vai reforçar esse conhecimento do momento em que fizer a matrícula até a hora da prova. Diversos fatores ajudam a elevar o patamar do aluno:

Ambiente agradável

Um cursinho que tenha um clima agradável, com estrutura física bem preparada, material didático rico e profissionais qualificados vai favorecer a sedimentação desses conhecimentos.

O Planck percebe que salas com menor número de alunos, claras, arejadas, com temperatura adequada e bons equipamentos fazem parte desse ambiente favorável.

Além disso, essa ambientação garante ao professor maior intimidade com a turma, possibilitando com que ele saiba se a aula foi plenamente entendida e se os alunos esclareceram os pontos necessários para os processos seletivos futuros.

Excelentes professores e coordenadores

Para que o aluno sedimente o conhecimento que ele precisa para ser bem-sucedido nas provas, bons professores também são essenciais. Esses mestres precisam ter boa didática, conhecer bem a matéria e compreender de forma efetiva todos os exames vestibulares que esse aluno vai prestar.

O Planck possui excelentes professores que estão sempre disponíveis para esclarecer as dúvidas dos alunos que, devido às salas menores, planejadas propositalmente pelo Colégio, possuem uma maior atenção individual por parte dos mestres, o que seria mais complicado se as turmas tivessem grandes quantidades de candidatos. 

Além disso, o Colégio possui uma coordenação pedagógica dedicada, que conhece cada aluno de forma individualizada, proporcionando a elaboração de um plano de estudo personalizado para cada um e verificando se o proposto está sendo cumprido. Esse acompanhamento é, sem dúvida, um fator fundamental para o sucesso do candidato.

Curso pre-vestibular diferenciais do Planck

Ter plantões de dúvida

Além de ter uma carga horária adequada para entrar em contato com todas as matérias que serão cobradas no vestibular, o cursinho que oferece muitos plantões de dúvida também deve ganhar pontos.

Um cursinho com salas menores, como o do Planck, faz com que o aluno seja bem atendido para esclarecer suas dúvidas nesses plantões. Já em cursinhos maiores, a busca pelos plantões pode ser muito concorrida e não proporciona chances plenas de o aluno se preparar da melhor forma.

Simular dá conhecimento para a prova

Fazer muitos simulados, tanto do Enem, quanto da Fuvest, Unicamp, Unesp e outras universidades específicas, também representam momentos profundos de estudo, que vão preparar muito mais o aluno para as provas, efetivamente.

Os simulados dão a oportunidade para o aluno montar uma estratégia que pode ser utilizada na prova definitiva. Ao realizá-lo, o candidato terá a noção do tempo que precisa para realizar cada questão, além de conseguir identificar as matérias que precisam de maior aprimoramento, com base nas notas que receber.

Papel da coordenação é fundamental

No aspecto muito importante de possuir um conhecimento prévio a respeito do exame que vai prestar, além dos professores que deverão ser exímios na didática daquela matéria, o segundo ponto fundamental é possuir um coordenador que apoie o candidato.

O seu papel é tirar o aluno da zona de conforto e acalmá-lo para que não se volte para o que não sabe, com o olhar de que é impossível entendê-lo. Além disso, o coordenador vai apontar o desempenho dele e vai mostrar em qual exame ele está bem, criar uma meta para o próximo simulado e até fazer um plano para que o aluno eleve a sua nota de corte.

No Colégio Planck, tudo isso é feito de forma individualizada.

Chegar emocionalmente e psicologicamente preparado

Para que o aluno chegue no vestibular com um equilíbrio emocional elevado, o trabalho no Planck é feito em conjunto entre professores e coordenação. 

A equipe de professores é muito bem preparada para dar a matéria e esclarecer dúvidas, enquanto possui o suporte da orientação educacional, que é responsável por cuidar e fornecer estratégias para que os alunos cheguem mais calmos e preparados para prestar os exames.

# Fique de olho e investigue

Qual cursinho pré-vestibular me dará mais oportunidade de crescimento no meu nível de conhecimento até o dia da prova?

 Quantos alunos um cursinho conseguiu aprovar em seu primeiro ano de cursinho?

Aquela unidade aprovou quantos alunos nos vestibulares?

Há quanto tempo aqueles alunos aprovados já estavam fazendo cursinho?

Qual cursinho me dará o atendimento integral, criando rotinas de estudo e atendimento cuidadoso para os vários momentos dessa jornada?

Conclusão

Quando o estudante tem apoio, conhece as provas, realiza diversos simulados e tem um acompanhamento cuidadoso para que ele estude exatamente o que precisa, com excelentes professores e coordenação/orientação pedagógica eficientes, ele terá chances muito maiores de ser aprovado no processo seletivo.

O estudante deve analisar todos os fatores que farão com que ele tenha melhores resultados, para não escolher por modismos ou por um índice de aprovação que não conta todos os detalhes de uma história. 

Buscar o cursinho SJC que ofereça as condições mais adequadas para os processos seletivos do vestibular é fundamental. Conheça o Planck.

Depois de escolher bem, é arregaçar as mangas e ir à luta!

O Planck pode garantir que o conhecimento do aluno do seu cursinho será indiscutivelmente maior até o dia da prova, com professores extremamente dedicados e parceiros na construção desse conhecimento, além de uma coordenação pedagógica muito mais presente e ativa que vai cuidar do pleno equilíbrio emocional dos seus candidatos.

Prof. André Guadalupe

Diretor e Cofundador do Colégio Planck

 

 

Compartilhe:

Leia também:

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Dicas para exercitar a memória

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular

Translate »