Estudante do Planck vence Olimpíada Internacional de Economia

Conteúdo
O estudante Ishan Matheus de Campos Unni, do Colégio Planck, faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia.
O estudante Ishan Matheus de Campos Unni

O Colégio Planck tem muito o que festejar:  o estudante Ishan Matheus de Campos Unni faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia (Internacional Economics Olympiad) deste ano.Apaixonado por Olimpíadas de Conhecimento, o estudante integra o Programa Planck de Preparação Olímpica (P3O).

Ishan é único integrante de São José na etapa internacional

Ishan foi selecionado para a delegação brasileira por ser medalhista de ouro da Obecon (Olimpíada Brasileira de Economia) junto com outros 4 estudantes do Brasil.

Além dos brasileiros, as delegações da Olimpíada Internacional de Economia foram compostas por estudantes da Nova Zelândia, Rússia, China, Irlanda, Letônia e Índia. Todos tiveram que pensar em soluções criativas para um problema real.

Neste ano, o desafio foi representar o papel de um potencial fabricante de vacina contra a Covid-19 para elaborar um business case com o objetivo de precificar o produto no mercado internacional.

Além do preço, os jovens também precisaram encontrar soluções para a distribuição mais rápida, justa e efetiva do produto para os países mais pobres.

A Olimpíada Internacional de Economia é um evento anual, realizado para estudantes do Ensino Médio, dedicada a estimular atividades dos interessados em economia, negócios e finanças. Além disso, também visa estimular cooperação internacional entre jovens de diferentes nacionalidades.

O estudante Ishan Matheus de Campos Unni, do Colégio Planck, faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia.
Ishan festejando algumas premiações olímpicas antes da pandemia

Uma experiência para não esquecer

Ishan revela que o treinamento para a Olimpíada Internacional foi incrível. Para ele, a única dificuldade era não poder estar presencialmente no evento. Ele fala sobre a experiência: 

“Infelizmente, a competição esse ano foi 100% online, mas os organizadores não deixaram de realizar um evento incrível. A competição em si foi composta por uma prova de finanças, uma de economia e a resolução de business case. Mesmo online, as provas continuaram  rigorosas na sua execução, contando com um um sistema de monitoramento de tela, reconhecimento facial e sonoro. Além da competição o evento em si foi muito enriquecedor, repleto de sessões culturais e oportunidades de integração com outros participantes”, diz.

Ele conta que a competição busca promover um ambiente competitivo e, ao mesmo tempo, colaborativo entre os estudantes do mundo todo: “Certamente, o treinamento excepcional da delegação brasileira não foi tarefa fácil tanto para aqueles que nos prepararam quanto para a gente. Só atingimos essa conquista devido aos alumni e organizadores que não mediram esforços para nos ajudar”, revela.

Além disso, conhecer outros estudantes também fez parte do momento inesquecível: “Conheci muitas pessoas extremamente dedicadas e muito curiosas que agregaram muito na minha experiência individual. Lógico, o ganho em termos de conhecimento com a preparação foi imensurável.”

Os cinco melhores estudantes do mundo na Olimpíada, além de Ishan, são  Guilhermo Cutrim  Costa, Luiz Eduardo Tojal Ramos Santos, Diogo Mendonça Leite e Ícaro Andrade Souza Bacelar.

O estudante Ishan Matheus de Campos Unni, do Colégio Planck, faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia.
Ishan na Olímpiada de Matemática da Unicamp

Ishan obteve medalha de prata na individual na Olimpíada Internacional de Economia

Há 3 tipos de premiações na Olimpíada Internacional de Economia: medalhas, estatuetas e prêmios especiais.

Medalhas de ouro, prata e bronze são distribuídas para os melhores resultados individuais das 3 fases. Ishan obteve prata nas categorias individuais.

“Apesar da prova de finanças e economia são feitas de forma individual, o business case é resolvido em grupo. Todos esses aspectos são considerados na nota individual. Já a consideração do grupo é feita com base no agregado das partes de cada aluno”, diz. 

Além disso, estatuetas de ouro, prata e bronze também são distribuídas para as equipes que obtiverem melhor desempenho nas 3 fases. Os prêmios especiais são concedidos para aqueles que tiveram resultados excepcionais.

Ele conta que no momento da pontuação, eles não sabiam que tinham sido os melhores: 

“Antes de sair quais foram as equipes vencedoras saem quais foram as pontuações de cada equipe sem os nomes. Quando os nossos team leaders viram a discrepância da pontuação da primeira equipe para o resto acharam “sinistro” quão bem foram, mal sabendo que éramos nós que tínhamos ido tão bem. No domingo de manhã, quando saiu o resultado, nos reunimos virtualmente e comemoramos bastante, então por mais que tenha demorado um pouco acho que caiu a ficha sim!”, festeja.

O estudante Ishan Matheus de Campos Unni, do Colégio Planck, faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia.
Ishan recebendo certificado Tutor Google do Prof André Guadalupe

Leia também:

➡️ Live – protagonismo e empreendedorismo nos jovens

Paixão pelo conhecimento

Estudante da terceira série do Ensino Médio, Ishan é participante do programa P3O desde o primeiro ano no Colégio. Já muito vitorioso pela Obecon e na IEO, ele quer continuar investindo em sua formação, porque, para ele, Olimpíadas são oportunidades:

 “Como delegação, espero que o time brasileiro continue essa saga de vitórias na IEO. De maneira individual, espero continuar participando das olimpíadas até o final do Ensino Médio, sempre buscando o conhecimento”, diz.

Ele aconselha outros estudantes a participarem desses eventos: “Olimpíadas são oportunidades de ir além do esperado de um aluno no ensino tradicional e conquistar o conhecimento. Apesar de olimpíadas serem eventos competitivos,  no P3O mantemos um clima colaborativo entre nós. O professores do P3O permitem que o estudo seja elevado e os alunos abraçam esse conhecimento se ajudando no caminho. O P3O, sem sombra de dúvida, é uma possibilidade para a gente explorar nossa curiosidade, e por isso acho que se você pondera a participação no mundo olímpico deve certamente entrar no P3O.

O estudante Ishan Matheus de Campos Unni, do Colégio Planck, faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia.
O estudante Ishan Unni é Tutor Google

Essa paixão pelo conhecimento também enche a sua mãe Renata de orgulho. “Estou muito orgulhosa! Ishan sempre foi um menino muito esforçado e determinado. Sempre nos surpreendendo com suas conquistas… Essa, em especial, foi uma alegria imensa porque além de um conquistar uma olimpíada, realizou um sonho que ele conquistou merecidamente”. 

Ele diz que tem um conselho sempre para ele: “Para o Ishan, eu sempre digo que pedras haverão em todos os caminhos, mas com humildade, coragem e amor pelo que faz a vida sempre fará sentido”.

Quem também ficou muito feliz com a conquista do Ishan foi o professor Fernando Saraiva, coordenador do P30:

“A Olimpíada Internacional de Economia é relativamente  nova, mas já conta com a participação de quase 30 países. O Ishan é um estudante excelente, que soube aproveitar uma ótima oportunidade. Quando alunos excelentes encontram boas oportunidades, coisas incríveis acontecem! Desejo a ele muito sucesso, que ele siga na sua jornada perseguindo objetivos com determinação. Sou muito grato por ter alunos tão excelentes como o Ishan, e que sirva de motivação para os próximos que virão”.

Agradecimento pelos resultados

Ishan agradece seus resultados: “Eu quero agradecer a todos, sem exceção. A organização da olimpíada, treinadores, alumni, equipe inteira do colégio e familiares foram fundamentais para atingirmos esse resultado. Não teríamos conseguido sem o auxílio individual de todos. Sendo assim, tenho certeza que não só eu, mas a delegação como um todo, somos muito gratos ao trabalho de todas as pessoas envolvidas em nossas vidas.”

A mãe também aproveita para agradecer, porque ela acredita que o suporte emocional que o Colégio dá a Ishan e à irmã Shamira também faz toda diferença em seus resultados. “Ao Colégio Planck só tenho sentimento de gratidão por estarem me ajudando nessa tarefa, não muito fácil, que é formar um ser humano”, agradece.

Além do P3O, Ishan também participa do Planck Global Guidance (PGG), um programa voltado para a preparação dos estudantes para processos seletivos em universidades internacionais. Em 2019, também Ishan participou de um Summer de Física em Harvard.

O estudante Ishan Matheus de Campos Unni, do Colégio Planck, faz parte da equipe vitoriosa da Olimpíada Internacional de Economia.
Ishan no Summer Harvard

Leia mais:

➡️ Desafio do Vestibular 2020 – Uma Análise do Enem e dos principais exames

Compartilhe:

Leia também:

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Dicas para exercitar a memória

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular

Translate »