Planck ONU: Simulação realizada por estudantes Planck

Conteúdo

No dia 30 de maio os participantes do Planck ONU realizaram uma pré-simulação, exclusiva para estudantes Planck, para que aqueles que não conhecem a simulação possam ter a experiência imersiva de como ela acontece. Para a ocasião, foram preparados dois comitês: Assembleia Geral e Conselho Nacional de Segurança, e debatidos os seguintes temas: “O Regulamento das mídias sociais” e “Multipolaridade – O papel dos países emergentes na guerra da Ucrânia“, respectivamente.

Equipe Planck ONU 2023.

Nosso Mundo, Nossa Voz

Criado em 2018, o Planck ONU é uma atividade extracurricular que oferece aos estudantes a oportunidade de refletir e de discutir temas relacionados aos direitos humanos, à política, à economia, à segurança, à paz e ao meio ambiente. Ao buscarem soluções para os tópicos, os participantes colocam em prática suas aptidões com oratória, capacidade de negociação, cooperação, tolerância e liderança, além de desenvolverem aspectos relacionados à empatia, cidadania e autonomia

Ao longo de todo o ano letivo, os estudantes se encontram semanalmente no período da tarde para estudarem e se prepararem para realizar a simulação oficial no segundo semestre, na qual nossos estudantes representam autoridades de países, organizações, empresas ou jornais. Esse ano, o Planck ONU acontecerá nos dias 8 e 9 de setembro, aberto para estudantes do 9º Ano do EF, , e 3ª Série do EM de toda região, mediante inscrição.

Nestes dias de simulação, eles terão o desafio de debater políticas internas e externas, em comitês representantes da ONU, com mediação de diretores, jornalistas e interventores. Cada comitê debate um tema ou situação e é responsável por desenvolver e apresentar uma solução para tais questões até o final da simulação, sendo uma ótima oportunidade para os estudantes aprenderem na prática a solucionar problemas, debater e compreender situações.

Comitê Assembleia Geral durante Simu da Simu.

A Simu da Simu

  Antes do evento oficial, os participantes da extracurricular organizam a “Simu da Simu”, que convida estudantes Planck que não conhecem a Simulação da ONU a experienciar a participação no evento, apresentando a eles as regras e incentivando o envolvimento com o tema abordado pelos comitês. Esse ano, a preparação contou com os seguintes comitês e temas:

Assembleia Geral: “O Regulamento das mídias sociais”

Com o poder de alcance e a influência das mídias sociais se tornando uma das maiores pautas de debate no mundo todo, preocupações legítimas estão sendo levantadas diante de polêmicas consequentes desse fator. A Assembleia Geral da ONU tem como objetivo ser um fórum para discussões e tomadas de decisões globais permitindo que os países, ONG’s e empresas de tecnologia compartilhem suas preocupações, perspectivas e propostas relacionadas à regulamentação das mídias sociais. Os Estados-membros podem apresentar resoluções ou declarações abordando questões como: privacidade, desinformação, discurso de ódio, saúde mental dos jovens, proteção de dados, transparência e de forma geral a responsabilidade das plataformas de mídia social, a fim de incentivar a cooperação internacional para abordar os desafios relacionados ao regulamento das mídias sociais.

Estudantes representando delegações durante Simu da Simu.

Conselho de Segurança: “Multipolaridade – O papel dos países emergentes na guerra da Ucrânia”

Um sistema multipolar é caracterizado pela existência de vários países com capacidade de influenciar e moldar as relações internacionais, como por exemplo, os Estados Unidos, Rússia e China, que hoje detém quantidade de poder relativamente equilibrada sobre os assuntos globais. Esse equilíbrio de poder também eleva áreas de influência e parcerias comerciais, as quais possibilitam a ascensão de países emergentes, como o Brasil, Índia, Turquia, México, África do Sul, Indonésia, Coréia do Sul, entre outros. Assim, várias potências emergentes e tradicionais compartilham a influência e competem entre si em diferentes áreas.

O caso da guerra entre Rússia e Ucrânia demonstra essa relação de poder quando vemos países como o Egito, África do Sul e Colômbia mostrando neutralidade diante do conflito, e o Brasil, tecendo críticas ao papel dos Estados Unidos na guerra, fazendo acenos amigáveis com a Rússia e a China, além de discutir cooperações e acordos comerciais com o segundo. Essa situação levanta diversos questionamentos, envolvendo o papel dos países emergentes, os interesses internacionais e a busca por um acordo de paz. Diante do debate que se forma, o Conselho de Segurança é o principal responsável pela manutenção da paz e segurança internacional, contendo 15 membros, onde cada um tem um voto. Os únicos países com poder de veto (o poder de unilateralmente vetar uma resolução) são os Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França.

Estudantes representando delegações durante Simu da Simu.

Reportagem Agência Júnior

Confira uma reportagem da simulação realizada pela Agência Júnior

Planck ONU 2023

A simulação oficial que ocorrerá no final do ano, como dito anteriormente, já tem data marcada: 8 e 9 de setembro, e será aberta para estudantes do 9º Ano do EF, , e 3ª Série do EM de toda região, mediante inscrição. Mais informações serão divulgadas em breve no site oficial do Planck ONU!

Confira um álbum de fotos completo da Simu da Simu.

 

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »