VI Encontro do Clube de Leitura: Histórias marginalizadas

Conteúdo

No dia 21 de Outubro, sábado, o Professor Darci Baptista se reuniu com pais e familiares Planck para a realização do VI Encontro do Clube de Leitura para discutir a última obra lida, “A Ilha” de Aldous Huxley. A ocasião oportunizou um debate referente ao livro e também revelou a próxima leitura do grupo: “Ponciá Vicêncio“, de Conceição Evaristo.

VI Encontro do Clube de Leitura Planck em 2023.

Um novo e diferente lugar 

A obra de Aldous conta a vida do protagonista Will Farnaby, um jornalista britânico, que passa por uma reviravolta quando sofre um naufrágio no Oceano Índico e é resgatado em uma praia da ilha fictícia de Pala pelos nativos. Conforme se recupera de seus ferimentos, Farnaby confronta-se com um universo paralelo onde não há um governo central, a felicidade é irrestrita, as crianças são educadas para não ter medo, a natureza é explorada apenas para a subsistência e as religiões são substituídas por equilíbrio mental e abertura ao novo. Absorvido por essa versão terrestre do céu, o protagonista sente-se cada vez mais fascinado por aquela comunidade.

No entanto, Farnaby esconde que ele é, na verdade, um enviado secreto de seu patrão, o magnata Lorde Aldehyde, proprietário não apenas do jornal em que trabalha, mas também de poços de petróleo em diversos países. Com isso, a personagem inicia um processo de estabelecimento de relações diplomáticas com o povo de Pala para futuramente explorar seu potencial petrolífero, através do qual Huxley abruptamente redireciona a narrativa do romance, pois, em sua guinada radical em direção à possível destruição do idílio, inicia seu testamento literário, alertando aos leitores que a ganância humana e a dinâmica do capitalismo sempre se agigantam até se tornarem inexpugnáveis.

VI Encontro do Clube de Leitura Planck em 2023.
VI Encontro do Clube de Leitura Planck em 2023.

Próxima leitura: “Ponciá Vicêncio”, de Conceição Evaristo.

Narrado em terceira pessoa, porém com o emprego constante do discurso indireto livre, o qual permite ao narrador devassar pensamentos e sentimentos das personagens como se elas próprias assumissem as palavras do texto, o romance da escritora, professora universitária e pesquisadora acadêmica Conceição Evaristo inaugura a carreira literária da autora nesse formato, em 2003, já impondo seu nome entre as maiores revelações da literatura brasileira no início deste século. A partir da descrição do cotidiano em uma comunidade quilombola, onde todos têm por sobrenome Vicêncio, que identifica o lugar, o leitor vai aos poucos inteirando-se dos sonhos da protagonista, a personagem-título: Ponciá decide, quando se torna uma jovem adulta, tentar a sorte na cidade grande, embora sem recursos financeiros, nem formação escolar, ou ainda uma rede de relacionamentos pessoais que lhe permitisse sustentar-se dignamente.

Seu destino acaba sendo o de inúmeras outras mulheres negras no Brasil: empregando-se como trabalhadora doméstica, não levará muito tempo até compreender os mecanismos de exploração, opressão e reificação que se encontram na base das relações racistas historicamente construídas e perpetuadas em nosso país. Ao mesmo tempo, o romance acompanha os desencontros entre Ponciá e sua família, uma vez que seu irmão, Luandi, e a mãe deles também se aventuram na cidade, em princípio em busca da irmã e filha, porém paulatinamente vão assumindo seus próprios projetos, enfrentando seus próprios dilemas e desafios e assim se afastando uns dos outros. Conseguirá Ponciá – cujo nome remonta ao latim “pontis” – restabelecer a ponte entre ela e seus familiares e preservar os laços que formaram o seu primeiro núcleo social?

Participantes do Clube de Leitura 2023.

O VII Encontro do Clube de Leitura acontecerá no dia 25 de Novembro e para participar basta entrar em contato com nossa equipe através do Aplicativo do Colégio. Esperamos encontrá-los novamente para mais um momento de debate e reflexão, guiados pela leitura da obra de Conceição Evaristo. 

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »