Alumnis Planck são destaque em vestibulares e conquistam grandiosas aprovações!

Conteúdo

No Colégio Planck temos como foco o Alto Desempenho e buscamos, ao longo de toda jornada estudantil, desenvolver nossos estudantes com um alto padrão de ensino, trabalhando suas habilidades socioemocionais e os tornando cada vez mais relevantes e globais.

Durante o Ensino Médio, nossos estudantes formam uma base a partir dos conhecimentos e das oportunidades de amadurecimento pessoal que são proporcionadas a eles ao decorrer dos dias letivos no colégio. O objetivo é que todos estejam preparados para as importantes tomadas de decisões que terão no futuro, e que se iniciam à medida que os vestibulares se aproximam.

Quando o estudante chega à 3ª série do Ensino Médio, ocorre uma grande mudança nas rotinas de estudos, uma vez que o propósito de seu estudo se torna a preparação para os vestibulares. É neste momento em que passam a ser tomadas as primeiras decisões importantes, como qual curso, faculdade, qual cidade ou país morar.  “Na terceira série os estudantes já possuem mais autonomia para a tomada de algumas decisões, proporcionar aos estudantes momentos de reflexão para entenderem melhor as suas necessidades referentes às escolhas de algumas carreiras é primordial. A mudança de chave de dedicação total aos estudos acontece, quando eles se deparam com as informações como notas de corte, relação candidato vaga, resolução dos simulados e provas antigas e o quanto é preciso se empenhar para atingir a sua meta! O esforço e a dedicação diária propiciam a mudança de suas ações e dos seus resultados.” nos conta Márcia Alvarenga, Orientadora Educacional da 3ª série do Ensino Médio.

Márcia Carneiro, Coordenadora Pedagógica do Ensino Médio, comenta sobre a parceria entre professores e estudantes, estruturada através de anos vividos juntos em sala de aula: “É importante ressaltar que o projeto pedagógico do Colégio precisa estar alinhado às aspirações dos estudantes, ao passo que ter os professores engajados na proposta e atuando diretamente com os estudantes é um desafio que nos propomos a todo momento. Essa aproximação de objetivos fortalece nossos estudantes para seu propósito, garantindo assim tanto as aprovações nacionais e aplicações internacionais com grande êxito.”

A preparação conta com a realização de 26 simulados preparatórios para as provas, que proporcionam uma análise da aprendizagem, controle emocional durante a realização dos exercícios e gerenciamento de tempo. A Alumni Planck, Ingrid Gonzaga, uma das estudantes que se destacaram nos vestibulares de 2021, comentou sobre a importância da realização dos simulados para a conquista das aprovações: “Os simulados que fiz certamente foram a parte mais importante dos meus estudos. Acho que fazer exercícios sobre um assunto é mais produtivo do que se debruçar, ler e escrever sobre isso por horas. Além disso, conhecer o modelo e o histórico das provas que se deseja fazer é essencial. Cada vestibular possui um formato específico, com padrões que costumam se repetir a cada ano, e conhecer a maneira como cada prova cobra os conteúdos aprendidos em sala de aula, mesmo que basicamente, é de grande ajuda”.

Ingrid faz parte dos nossos 57 estudantes, até o momento (da produção desse texto), da 3ª série do Ensino Médio de 2021 que foram aprovados no vestibular. Ela e mais quatro estudantes obtiveram um ótimo desempenho e conseguiram aprovações de destaque. Ingrid foi aprovada em 5 universidades no curso de jornalismo, são elas: UFMG (2º lugar), UNESP (16º lugar), USP, Cásper Líbero e Universidade Anhembi Morumbi. “Foi um enorme misto de alegria e alívio (quando conquistou a aprovação)! Não consegui não chorar de felicidade por saber que eu tinha conseguido a aprovação com a qual eu havia sonhado por dois anos e perceber que aquela bateria de vestibulares finalmente tinha acabado me tirou um peso gigante das costas”, comentou a Alumni.

Outras duas aprovações de destaque foram dos alunos Gregório Lourenço e Carlos Azevedo, ambos foram aprovados na USP, no curso de Direito, localizado no Campus de São Francisco. A Faculdade de Direito – São Francisco é a principal e mais importante Faculdade de Direito do Brasil, a FDUSP busca ofertar excelência de ensino, não formando apenas bons profissionais, mas também impulsionando o comprometimento de seus estudantes, incentivando na produção de pesquisas úteis e de qualidade e, adiante, provocando o pensamento crítico. Gregório passou em 2º lugar na USP e em 1º lugar na UNESP e nos contou que ficou muito contente com a aprovação: “Eu tive duas aprovações, e fiquei muito contente nas duas. Foi um sentimento, e ouvi isso de outros colegas também, de um enorme alívio.” Por sua vez, Carlos Azevedo, obteve 3 aprovações em Direito, além da USP – São Francisco, ele passou também em 8º lugar na UFMG e também na FGV-SP. Além da realização de simulados, Carlos destacou que o ambiente do Colégio Planck durante todo o Ensino Médio contribuiu para sua aprovação: “Foi um trajeto bem tranquilo no meu Ensino Médio, do qual eu gostei muito de ter percorrido. Me trouxe ótimas experiências e amigos que levarei pra vida. Foi um trajeto de constância de estudo e um padrão alto de notas que me ajudou bastante com minha aprovação no vestibular.” 

Na 3ª série do Ensino Médio, a Orientação Educacional cria com cada estudante um planejamento de estudo personalizado para que eles possam atingir a sonhada aprovação no final do ano. Vinicius Dias, aprovado em Relações Internacionais em 1º lugar na UNIFESP, 5º na UNESP e também na USP, seguiu a risca o plano de estudos que fora elaborado no começo do ano letivo para sua rotina, e ressaltou a importância de seguir este compromisso:: “Para mim foi bem importante, eu gosto de me organizar e ter um cronograma para poder seguir”.

A rotina de estudo de cada estudante é adaptada devido às suas necessidades previamente diagnosticadas, dessa forma, o planejamento mantém o foco necessário para alcançar seus objetivos. Thiago Silva, por sua vez, tinha uma rotina exigente  que resultou em sua aprovação em Medicina na USP – Pinheiros. “Minha rotina de estudo era bem regrada, acordava às 4h da manhã, iniciava a leitura dos livros obrigatórios dos vestibulares das 4h30 às 5h30, depois começava uma revisão dos conteúdos até às 7h20 para iniciar as aulas. Voltava a estudar às 14h e parava às 17h para descansar, comer e tomar banho. Às 18h eu voltava a estudar e parava às 21h para dormir”, compartilhou Thiago. O curso de Medicina na USP, localizado no Campus de Pinheiros, conta com 175 vagas anuais e projetos pedagógicos inovadores, que estimulam a participação ativa dos estudantes! Seguindo padrões internacionais de qualidade, a universidade incentiva a participação dos estudantes em pesquisas científicas, atividades de cuidado à saúde, projetos de extensão universitária e estágios em instituições de ensino de outros países.

O foco no alto desempenho dos estudantes Planck tem demonstrado bom êxito diante do alto índice de aprovação nas grandes universidades do país e do Exterior. Nossos estudantes são direcionados a esses resultados com aulas estratégicas e diferenciadas. Nosso Cofundador e Diretor, Prof. Umberto Malanga, que leciona uma frente de matemática para a 3ª série, a preparação das aulas é um importante diferencial para o vestibulando “As aulas da 3ª série  são focadas para a revisão de toda a matéria e  também para o aprofundamento dos tópicos mais importantes para os vestibulares. Uma grande preocupação dos professores são as estratégias e treinamento para as resoluções de questões testes e dissertativas. Aprender a fazer as provas é fundamental e faz a grande diferenças nas aprovações”

Os Alumnis 2021, até então, tiveram 120 aprovações em diversos cursos e diferentes universidades. Isso é fruto de muita dedicação dos estudantes, desde o ingresso ao Ensino Médio. No infográfico abaixo podemos verificar o aumento da quantidade de aprovações que tivemos ao longo dos anos até o momento.

A tendência é que cada vez mais subam nossas aprovações, tanto em universidades nacionais, quanto em internacionais. O trabalho socioemocional realizado com nossos estudantes desde o início de sua trajetória no colégio, os preparam para que possam encarar os desafios impostos pela vida, principalmente os vestibulares. Todo o desenvolvimento realizado pelo time pedagógico desde o Ensino Fundamental refletirão em novas conquistas no futuro. Temos orgulho em ser um Colégio de Alto Desempenho, onde nosso estudante é único e junto com a Família Planck, constroem um caminho com propósito.

Compartilhe:

Leia também:

Nem todos os adolescentes têm facilidade de socialização. Especialmente quando há uma mudança de escola, os pais sempre se perguntam como ajudar os próprios filhos a interagir no novo ambiente. Se os seus filhos também são tímidos e manifestam um pouco mais de dificuldades em fazer novas amizades, continue lendo esse texto e veja aqui algumas dicas do Colégio Planck. Por que alguns adolescentes não conseguem interagir? Quando os estudantes passam por uma mudança de escola ou apenas são tímidos, eles podem demonstrar uma certa dificuldade de interação com os colegas. Esse comportamento pode ter muitas causas que podem ser desde um traço de personalidade, até o surgimento de complexos físicos, que são tradicionais na adolescência. Quando todas essas questões são somadas à passagem para o 6० ano, outras situações também podem angustiá-los e dificultar a interação, como a perda da professora única, alteração nos horários e no número de disciplinas, maior complexidade dos conteúdos, etc. Com isso, muitos pais se veem às voltas com uma nova questão: “Como ajudar meu filho a interagir?” Vale ressaltar aos pais que essa dificuldade de interagir é bastante normal na adolescência porque esse é um tempo de muitos novos desafios e descobertas, que podem gerar uma mudança de comportamento. Prova disso, é que essa é uma época em que muitos jovens começam a querer ficar mais reclusos, especialmente em casa, quando preferem ficar em seus quartos do que desfrutando da companhia dos pais ou de irmãos. Como ajudar os filhos a interagir? Se essa dificuldade de socialização dentro e fora de casa está gerando sofrimentos, é preciso buscar soluções para ajudá-los. Em primeiro lugar, os pais precisam ter um pouco mais de paciência, compreensão com o momento e até marcar uma reunião com a equipe pedagógica para buscar soluções, se for necessário. Seguem algumas dicas para ajudá-los neste processo: Converse muito com os filhos e dê suporte emocional Nesta fase, os estudantes estão precisando de muito carinho e atenção, portanto, manter um diálogo aberto vai ajudá-los a entender que não estão sozinhos nesta jornada. Muitas vezes, os estudantes passam por certas situações na escola que podem mexer com a autoestima, como a postagem de um foto em grupo que não saiu bem ou até mesmo um comentário sobre sua forma física. Situações assim podem levá-los a se isolar, portanto, seja proativo e pergunte sobre a rotina, se tem algo que os aflige, como eles acreditam que os pais podem ajudá-los e, se necessário, agende uma conversa no Colégio também. Além disso, crie espaços seguros para essas conversas, de modo que não pareçam cobranças. Os pais podem aproveitar para conversar com eles durante uma pequena caminhada, no carro na ida ou volta da escola, etc. Não perca a oportunidade de buscar a opinião deles sobre assuntos diversos, por exemplo, comentando sobre uma notícia, uma determinada moda ou gíria nova. O importante é não perder os vínculos que possam ajudar a iniciar e manter os diálogos. Evite ser muito protecionista Muitas vezes, um adolescente pode ter dificuldade em interagir devido à forma que foi criado. Muitos pais, por um excesso de protecionismo, podem impedir que os filhos frequentem outros ambientes, como festas de amigos, e isso pode estimulá-los a um comportamento antissocial. Uma dica para os pais é analisar se o próprio estilo de criação não está favorecendo que o filho busque o isolamento na adolescência. Procure proteger sempre, conhecendo as companhias e os espaços que o filho frequenta, mas abra um pouco mais a guarda, dando a eles a oportunidade de ter mais responsabilidade sobre si mesmos. Limite o tempo das atividades de lazer solitárias e estimule a interação Quando um adolescente é tímido ou não quer interagir no Colégio, pode querer fugir para passatempos solitários como os games ou outros eletrônicos. Os pais devem estipular um limite para essas atividades para não estimulá-los à solidão. Não é necessário proibi-las, mas sempre apresente boas razões para que o adolescente queira realizar também atividades em conjunto com outras pessoas e de forma presencial, com os colegas de sala de aula, para adquirir experiências na vida real. Abrir espaço para que ele convide amigos para estudar em casa e matriculá-lo em atividades coletivas também pode ajudá-lo na socialização. Analise de qual grupo ele pode fazer parte A falta de interação pode ser motivada porque os estudantes não se sentem à vontade em fazer parte de um certo grupo. Por exemplo, não adianta matriculá-los em eletivas de esportes coletivos, se eles gostam mesmo é de música ou artes. Procure entender o mundo e os gostos dos seus filhos, assim fica mais fácil incentivá-los na socialização. Procure ajudá-lo a se comunicar melhor Alguns adolescentes não interagem porque não conseguem se comunicar bem. Por isso, é preciso que os pais fiquem atentos às características dos filhos para ajudá-los a superar suas fragilidades desde cedo. Ainda criança, é possível ensiná-los como iniciar uma conversa, um pequeno diálogo que ajude a quebrar o gelo com os futuros amigos. Mas lembre-se que orientar é sempre melhor que ordenar. Tenha tranquilidade ao passar essas dicas. Quando entram na adolescência, uma alternativa é matriculá-los em cursos que favoreçam a comunicação, como teatro, por exemplo. Colégio Planck e a socialização Um dos pilares do Colégio Planck é o desenvolvimento de habilidades socioemocionais. Para isso, a instituição investe em várias atividades pedagógicas e extracurriculares que estimulam o convívio. Um desses projetos pedagógicos especiais que incentivam a interação é o Clube de Debates, que ajuda o estudante a falar fluentemente e com confiança. Nessas atividades, eles vão interagir uns com os outros e aprender a comunicar-se, ter empatia, ouvir e reconhecer outros pontos de vista, lidar com situações desconfortáveis, etc. Além de alcançar uma melhor comunicação, no exercício constante dessas habilidades socioemocionais no Colégio, os adolescentes vão aprender a desenvolver também inteligência emocional. Caso os pais percebam que os filhos estão tendo dificuldades de interagir com os colegas, o Colégio Planck está de braços abertos para acolher suas dificuldades por meio da Orientação Educacional. Com o time da Orientação Educacional, as famílias podem estabelecer um diálogo aberto e de confiança para proporcionar o melhor ambiente para o estudante. O objetivo é que todos descubram suas potencialidades e superem suas fragilidades, para ficarem aptos ao convívio social na vida pessoal e nos ambientes acadêmicos e profissionais.

Como ajudar meu filho a interagir?

Você já se perguntou: “Como ajudar meu filho a interagir?” Nem todos os adolescentes têm facilidade de socialização. Especialmente quando há uma mudança de escola,

Translate »