Como os pais podem trabalhar em parceria com o colégio para um melhor desenvolvimento das crianças?

Conteúdo

Como os pais podem trabalhar em parceria com o colégio para um melhor desenvolvimento das crianças

Quando os pais estão comprometidos com o desenvolvimento das crianças na escola, os estudantes percebem que são apoiados e podem até mesmo ter maior sucesso no amor pelo aprendizado.

Se eles se aproximam dos conteúdos aprendidos e demonstram interesse, essa atitude reflete diretamente no comportamento dos filhos. O que evidencia, portanto, que o papel dos pais na educação dos filhos é emocional.

Participação familiar na rotina escolar promove engajamento de alunos

Segundo estudos da Harvard Family Research Project (Projeto de Pesquisa da Família Harvard), organização norte-americana que busca promover o envolvimento familiar na educação e desenvolvimento das crianças, pais comprometidos com a rotina escolar dos filhos promovem uma série de benefícios no estímulo cognitivo dos filhos.

Para dimensionar os resultados do comportamento participativo dos pais, a instituição promove diversas pesquisas e documentação de práticas promissoras na Educação. Como parte de alguns desses estudos, foi constatado que pais participativos podem promover:

Alunos com melhor autoestima, que são mais autodisciplinados e têm mais motivação em relação à escola;

Alcance de melhores resultados no desempenho escolar, com melhores notas e frequência, independentemente do nível de educação dos pais, status socioeconômico ou origem étnica.

No entanto, existem diversos fatores que podem interferir no desempenho escolar das crianças e jovens, dentre eles: 

Qualidade do professor;

Ambiente da sala de aula;

Material didático;

Vizinhança em que a escola está inserida;

Condições econômicas das famílias, etc.

Embora a falta de participação das famílias não interfira diretamente no aprendizado, é responsável sim por um maior engajamento dos filhos.

Já quando as famílias atuam de maneira efetiva no cotidiano escolar dos seus filhos, com atitudes como procurar tomar conhecimento da rotina na escola, relação com os professores, postura em sala de aula, notas, dificuldades nos componentes curriculares, e, além disso, adotam medidas complementares em casa para problemas de aprendizagem, a tendência é que os alunos se dediquem e se esforcem mais, por se sentirem amados e apoiados. 

Como os pais podem trabalhar em parceria com o colegio 

As famílias fazem diferença na vida escolar dos filhos, quando passam a mensagem de que a educação importa, ou seja, entre os melhores perfis de pais estão aqueles que valorizam o conhecimento e colocam na pauta das conversas do dia a dia os assuntos relacionadas à escola.

Certamente, uma família participativa pode auxiliar o aluno a superar suas deficiências de aprendizagem muito mais rápido.

Sendo assim, escola e família devem formar uma equipe que trabalha em colaboração e compartilhamento, desenvolvendo ações sinérgicas capazes de melhorar verdadeiramente o rendimento dos estudantes.

Como os pais podem trabalhar em parceria com o colegio 

Qual o desafio da escola ao notar pais ausentes no desenvolvimento das crianças?

Alguns dos principais motivos que levam as famílias a não acompanharem a vida escolar dos filhos são o trabalho e a falta de participação efetiva na vidas deles.

A aproximação com as famílias envolve mudança de atitude da escola e das próprias famílias. O  desafio do Colégio é romper com essa inércia e buscar estratégias de aproximação em todos os momentos.

Um erro muito praticado nas escolas atualmente é acionar os pais para tratar da questão dos filhos somente quando acontece algum problema ou quando é a família que procura a escola, que nem sempre se mostra preparada para acolhê-los.

Para mudar isso, é preciso criar uma agenda positiva que busque essas estratégias de aproximação, que inclui receber bem todas as famílias, ter comunicação com elas e  foco no sucesso dos alunos.

O Colégio Planck mantém uma agenda positiva com as famílias de seus alunos, além de reuniões trimestrais, eventos com as famílias e palestras formativas.

Também há cuidado para manter um contato efetivo com esses familiares, seja para celebrar as conquistas dos alunos, comunicar estratégias desenhadas para  superação das dificuldades (acadêmicas, sociais e emocionais) dos alunos ou até solicitar apoio no trabalho em casa. 

Essa metodologia é a mesma utilizada nas redes de ensino de países que são referências na área da Educação, como a Finlândia, Japão e Grã-Bretanha, onde os pais confiam nas escolas e são estimulados a terem muita participação na rotina escolar dos seus filhos. 

Como os pais podem trabalhar em parceria com o colegio 

Tecnologia pode ajudar pais a participarem da rotina escolar

O cotidiano muito dinâmico da sociedade atual exige muito tempo e disponibilidade dos pais para o desenvolvimento das próprias carreiras, essa realidade pode preocupar muitos deles a respeito da falta de disponibilidade para estarem mais perto do desenvolvimento das crianças na área escolar.

Nesses casos, a tecnologia pode ser usada em prol dessa realidade moderna. Com isso, hoje as escolas têm condições de terem uma relação mais próxima das famílias. Existem inúmeras ferramentas digitais, como canais, aplicativos e objetos de aprendizagem que auxiliam nessa comunicação. 

Com esses recursos, as escolas conseguem compartilhar aspectos relevantes da rotina escolar dos alunos. Como a qualidade da informação pode ser aprimorada, as famílias também podem ser mais participativas.

Leia também: Aprendizagem socioemocional na escola é pilar fundamental

Prof. André Guadalupe
Diretor e Cofundador do Colégio Planck

Compartilhe:

Leia também:

A Robótica é uma disciplina que agrega grande valor à vivência de cada participante porque estimula a criatividade, experimentação, trabalho em equipe e pensamento lógico. Entenda por que essa matéria tem sido fundamental na Educação até mesmo para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais. Principais funções da Robótica na Educação A robótica pode ser explicada como uma série de procedimentos que levam à criação de uma máquina ou mecanismo eletromecânico que é capaz de realizar tarefas a partir de um conjunto de instruções pré-programadas. Em setores como a medicina, indústria e atendimento online, já se desenvolve há tempos, porém, também percebeu-se que é uma poderosa ferramenta de aprendizagem. No Colégio Planck, o Professor Paulo Henrique Pereira, responsável pela atividade de Robótica, afirma que a matéria está alinhada com as competências gerais da BNCC. “A Robótica é um espaço propício para desenvolver as competências 4 e 5, pois além da linguagem diferente, a tecnologia também é empregada para a resolução de problemas”, revela. 10 Competências Gerais da Base Nacional Comum 1 - Conhecimento 2 - Pensamento científico, crítico e criativo 3 - Repertório Cultural 4 - Comunicação 5 - Cultural Digital 6 - Trabalho e projeto de vida 7 - Argumentação 8 - Autoconhecimento e autocuidado 9 - Empatia e cooperação 10 - Responsabilidade e Cidadania A BNCC reconhece a tecnologia na formação dos estudantes e estimula que eles dominem o universo digital, por isso, para a competência Cultural Digital, reforça esse papel: “ Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares), para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”, diz o documento. Papel da robótica no desenvolvimento de habilidades socioemocionais Segundo o professor, no que se refere aos aspectos socioemocionais, por se tratar de um processo de resolução de problemas em equipe, a Robótica desenvolve principalmente o pensamento criativo e científico, a tolerância ao estresse e à frustração, o foco e a organização, a assertividade e a confiança. Porém, reforça o grande papel da disciplina no desenvolvimento da criatividade. “A criatividade é indispensável no processo, pois possibilita conexões entre as diversas áreas do conhecimento visando o objetivo desejado pelo aluno, tornando o processo ainda mais significativo.”, diz. Todas essas habilidades socioemocionais são reforçadas também pela Cultura Maker, que está inserida no DNA do Planck, com a grande contribuição do laboratório Design Maker, que também incentiva a criação. “A cultura maker está bastante presente no Colégio. Então, com as aulas de Robótica não é diferente, o estudante é convidado a desenvolver conhecimentos e habilidades estimulado por um problema que precisa de solução.” Robótica favorece o aprendizado de outras áreas de conhecimento? Segundo o professor, como a Robótica é composta por um conjunto de ferramentas e habilidades que se colocam a serviço da resolução de um problema, é neste ponto que as outras áreas do conhecimento entram no processo, pois a solução exigirá do estudante que use seu conhecimento prévio ou que pesquise conteúdos de outras disciplinas. Além disso, conhecimentos de matemática e física são diretamente necessários para o uso e compreensão da tecnologia empregada. Além de estar dentro do Núcleo de Tecnologia, que também inclui a disciplina de Programação, a Robótica também integra o Programa Planck de Preparação Olímpica (P3O), oferecendo a oportunidade do estudante se preparar para participar de competições. Benefícios de inserir o estudante na Robótica: Estímulo do aprendizado de matemática, física e inglês Estímulo do raciocínio lógico Desenvolvimento da criatividade Melhoria na organização de pensamentos e ações Estimula o desenvolvimento de aptidões Desenvolve habilidades para resolução de problemas Conclusão Em uma cultura cada vez mais digital, a Robótica é também uma forma muito estimulante de preparar os estudantes para um melhor desempenho de seus papéis profissionais no futuro. Percebe-se que a disciplina vai bem além do que se vê na ficção científica, porque ensina habilidades fundamentais em qualquer setor da vida.

Robótica: qual é o papel na Educação?

A Robótica é uma disciplina que agrega grande valor à vivência de cada participante porque estimula a criatividade, experimentação, trabalho em equipe e pensamento lógico.

Translate »