Educação 5.0: da conectividade à personalização

Conteúdo

A Educação 5.0 traz a conectividade e a personalização do ensino entre as suas principais tendências. Leia nesse texto, como o Colégio Planck já atua dentro desses novos caminhos do ensino moderno. O que é Educação 5.0? Antes de mais nada, é preciso explicar do que se trata esse conceito. Há bem pouco tempo, o setor educacional vinha caminhando dentro dos critérios da Educação 4.0, adotando a tecnologia nas estratégias pedagógicas e desenvolvendo o pensamento computacional, já que o mundo vinha passando por um grande processo de digitalização. Algumas escolas, como o Colégio Planck, já contavam com tecnologias e processos para inovar a aprendizagem. No entanto, após a pandemia, essa aceleração digital tomou rumos sem precedentes e ganhou muito mais espaço nos ambientes acadêmicos. Mas, ainda que a Educação 4.0 trouxesse elementos que pudessem facilitar o processo de aprendizagem com a tecnologia, percebia-se, quase paralelamente, uma outra necessidade: integrar humanos com essas ferramentas tecnológicas e conceder aos estudantes um maior protagonismo social. É neste ponto que entra a Educação 5.0. A Educação 5.0 é totalmente baseada no desenvolvimento socioemocional, que é uma das diretrizes da BNCC. O principal objetivo é ter seres humanos que saibam sim lidar com essas novas tecnologias para produzir novas soluções, mas sejam emocionalmente maduros e estejam preparados para os desafios da vida, seja no campo pessoal, emocional ou profissional. Além da conectividade, que é própria desses novos tempos, a Educação 5.0 apresenta tendências de personalização do ensino e novos modelos, como o ensino remoto e híbrido. Conforme um relatório apresentado no Fórum Econômico Mundial, essa mudança na Educação será fundamental para atender às exigências do mercado, que tem buscado profissionais com mais criatividade, inteligência emocional, pensamento analítico, crítico e inovador, iniciativa e liderança, expertise no uso da tecnologia, programação, análise e avaliação de sistemas. Distanciamento social acelera a conectividade na Educação Segundo um relatório da ONU (The Digital Transformation Of Education: Connecting schools, empoderwing learners), o fechamento das escolas em 2020, devido à pandemia, afetou 94% dos estudantes em todo o mundo. Esse quadro fez com que a conectividade fosse mais importante do que nunca dentro da Educação. O acesso à internet foi alçado a direito fundamental e caracterizado como instrumento para efetivação de diversas oportunidades. Foi por meio da internet que as aulas continuaram sendo oferecidas, possibilitando a continuidade do currículo do ano letivo. Estar em conexão, permitiu que os estudantes assistissem às aulas, fizessem pesquisas, participassem de inúmeras atividades culturais, tours virtuais a museus, shows e teatro. Além disso, possibilitou que a socialização continuasse de um jeito diferente. No entanto, vale reforçar que essa ferramenta tecnológica não deve ser vista como substituta de relações pessoais. No caso de aulas remotas, o olhar atento do professor continuou sendo o elemento de aproximação fundamental. Esse profissional nunca poderá ser substituído por uma máquina. Enquanto o estudante usa a conectividade para continuar aprendendo, ele é auxiliado na construção desse conteúdo cognitivo pelo professor, que também atua como mediador e orientador. Por isso, nesse momento, também revelou-se a grande importância de qualificar os professores e desenvolver neles as competências adequadas para o uso da tecnologia. Portanto, para se enquadrar dentro da Educação 5.0 é válido entender que a conectividade na escola é muito importante, pode aproximar e dar continuidade a projetos pedagógicos, porém, deve servir como uma ferramenta que é alimentada pelos seres humanos. O que é a personalização na Educação? A forma de ensinar tem sido a mesma durante décadas, ou seja, o mesmo conteúdo é repassado a todos os estudantes, não oferecendo a eles uma possibilidade de escolha. Esse modelo funcionou bem durante um bom tempo, porém, na atualidade, não é estimulante para as novas gerações. A personalização da Educação vem mudar isso e faz parte de um ciclo natural de mudanças, próprio de um tempo no qual a inovação e a criatividade estão muito em evidência. Neste cenário, é preciso entender que cada estudante tem suas próprias características pessoais, interesses, desempenho acadêmico, desenvolvimento pessoal e capacidade de adaptação. Assim, essa personalização visa oferecer possibilidades que sejam adequadas às necessidades individuais de cada estudante. Ao oferecer experiências de aprendizagem diversificadas, é possível fazer uma melhor avaliação da forma de cada estudante aprender. Como funciona a Educação 5.0 no Colégio Planck? O Colégio Planck tem DNA altamente tecnológico, o qual o qualifica como um ótimo exemplo de metodologia de ensino baseada na Educação 4.0, porém, entre seus pilares também está o desenvolvimento socioemocional, portanto, também está totalmente mergulhado nas novas possibilidades oferecidas pela Educação 5.0. Altamente facilitadores dentro da proposta pedagógica do Colégio, os recursos tecnológicos fazem parte do dia a dia dos estudantes do Planck. Durante a pandemia, foram esses recursos tecnológicos, e uma equipe altamente especializada, que permitiram que o nível do ensino do Colégio continuasse alto mesmo durante o isolamento social e adoção do estudo remoto, quando todas as escolas precisaram fechar as portas para as aulas presenciais a partir de março de 2020. Neste período não foi deixado de lado o pilar socioemocional e olhar individualizado para os estudantes. Assim, professores, coordenadores, orientação e direção estiveram ainda mais atentos à qualidade e ao trabalho realizado. Além disso, o Colégio Planck sempre ofereceu disciplinas eletivas para que os estudantes tivessem uma gama ainda maior de oportunidades de conhecimento, desde que foi inaugurado há 5 anos. Atualmente, são 38 eletivas, com as quais os estudantes têm a oportunidade de investir em áreas que atendem a seus interesses pessoais. Para o Novo Ensino Médio, que entra em vigor em 2022, o Colégio Planck também vai oferecer, além da formação geral básica, 24 opções de trilhas anuais, que vai permitir que os estudantes tenham mais autoconhecimento, desenvolvimento da autonomia nas escolhas profissionais e escolhas de futuro. Conclusão Assim como em todas as áreas, a Educação também faz as suas mudanças de acordo com as exigências do tempo e das expectativas do mundo. Usando a conectividade, personalização de ensino, que abrirá seus horizontes para novas possibilidades e modelos, como o híbrido; pode-se dizer que com a Educação 5.0 nada será como antes, e que os estudantes vão ganhar muito mais elementos para buscar o que os tornará mais felizes, não só na escola, mas na vida em geral. No Colégio Planck, as ferramentas serão dadas, e cada vez mais a autonomia e o protagonismo dos estudantes ganharão força, para que eles saibam seguir os próprios caminhos, com preparo e segurança.

A Educação 5.0 traz a conectividade e a personalização do ensino entre as suas principais tendências.

Leia nesse texto, como o Colégio Planck já atua dentro desses novos caminhos do ensino moderno.

O que é Educação 5.0?

Antes de mais nada, é preciso explicar do que se trata esse conceito. Há bem pouco tempo, o setor educacional vinha caminhando dentro dos critérios da Educação 4.0, adotando a tecnologia nas estratégias pedagógicas e desenvolvendo o pensamento computacional, já que o mundo vinha passando por um grande processo de digitalização.

Algumas escolas, como o Colégio Planck, já contavam com tecnologias e processos para inovar a aprendizagem. No entanto, após a pandemia, essa aceleração digital tomou rumos sem precedentes e ganhou muito mais espaço nos ambientes acadêmicos.

Mas, ainda que a Educação 4.0 trouxesse elementos que pudessem facilitar o processo de aprendizagem com a tecnologia, percebia-se, quase paralelamente, uma outra necessidade: integrar humanos com essas ferramentas tecnológicas e conceder aos estudantes um maior protagonismo social. É neste ponto que entra a Educação 5.0.

A Educação 5.0 é totalmente baseada no desenvolvimento socioemocional, que é uma das diretrizes da BNCC. O principal objetivo é ter seres humanos que saibam sim lidar com essas novas tecnologias para produzir novas soluções, mas sejam emocionalmente maduros e estejam preparados para os desafios da vida, seja no campo pessoal, emocional ou profissional.

Além da conectividade, que é própria desses novos tempos, a Educação 5.0 apresenta tendências de personalização do ensino e novos modelos, como o ensino remoto e híbrido.

Conforme um relatório apresentado no Fórum Econômico Mundial, essa mudança na Educação será fundamental para atender às exigências do mercado, que tem buscado profissionais com mais criatividade, inteligência emocional, pensamento analítico, crítico e inovador, iniciativa e liderança, expertise no uso da tecnologia, programação, análise e avaliação de sistemas.

Leia também:

➡️  O que é um estudante de alto desempenho?

➡️  Profissão programador: o que faz esse profissional disputado no mercado?

Distanciamento social acelera a conectividade na Educação

Segundo um relatório da ONU (The Digital Transformation Of Education: Connecting schools, empoderwing learners), o fechamento das escolas em 2020, devido à pandemia, afetou 94% dos estudantes em todo o mundo. 

Esse quadro fez com que a conectividade fosse mais importante do que nunca dentro da Educação. O acesso à internet foi alçado a direito fundamental e caracterizado como instrumento para efetivação de diversas oportunidades.

Foi por meio da internet que as aulas continuaram sendo oferecidas, possibilitando a continuidade do currículo do ano letivo.

Estar em conexão, permitiu que os estudantes assistissem às aulas, fizessem pesquisas, participassem de inúmeras atividades culturais, tours virtuais a museus, shows e teatro. Além disso,  possibilitou que a socialização continuasse de um jeito diferente.

ebook a evolução dos processos avaliativos

No entanto, vale reforçar que essa ferramenta tecnológica não deve ser vista como substituta de relações pessoais. No caso de aulas remotas, o olhar atento do professor continuou sendo o elemento de aproximação fundamental. Esse profissional nunca poderá ser substituído por uma máquina.

Enquanto o estudante usa a conectividade para continuar aprendendo, ele é auxiliado na construção desse conteúdo cognitivo pelo professor, que também atua como mediador e orientador.

Por isso, nesse momento, também revelou-se a grande importância de qualificar os professores e desenvolver neles as competências adequadas para o uso da tecnologia.

Portanto, para se enquadrar dentro da Educação 5.0 é válido entender que a conectividade na escola é muito importante, pode aproximar e dar continuidade a projetos pedagógicos, porém, deve servir como uma ferramenta que é alimentada pelos seres humanos.

A Educação 5.0 traz a conectividade e a personalização do ensino entre as suas principais tendências. Leia nesse texto, como o Colégio Planck já atua dentro desses novos caminhos do ensino moderno. O que é Educação 5.0? Antes de mais nada, é preciso explicar do que se trata esse conceito. Há bem pouco tempo, o setor educacional vinha caminhando dentro dos critérios da Educação 4.0, adotando a tecnologia nas estratégias pedagógicas e desenvolvendo o pensamento computacional, já que o mundo vinha passando por um grande processo de digitalização. Algumas escolas, como o Colégio Planck, já contavam com tecnologias e processos para inovar a aprendizagem. No entanto, após a pandemia, essa aceleração digital tomou rumos sem precedentes e ganhou muito mais espaço nos ambientes acadêmicos. Mas, ainda que a Educação 4.0 trouxesse elementos que pudessem facilitar o processo de aprendizagem com a tecnologia, percebia-se, quase paralelamente, uma outra necessidade: integrar humanos com essas ferramentas tecnológicas e conceder aos estudantes um maior protagonismo social. É neste ponto que entra a Educação 5.0. A Educação 5.0 é totalmente baseada no desenvolvimento socioemocional, que é uma das diretrizes da BNCC. O principal objetivo é ter seres humanos que saibam sim lidar com essas novas tecnologias para produzir novas soluções, mas sejam emocionalmente maduros e estejam preparados para os desafios da vida, seja no campo pessoal, emocional ou profissional. Além da conectividade, que é própria desses novos tempos, a Educação 5.0 apresenta tendências de personalização do ensino e novos modelos, como o ensino remoto e híbrido. Conforme um relatório apresentado no Fórum Econômico Mundial, essa mudança na Educação será fundamental para atender às exigências do mercado, que tem buscado profissionais com mais criatividade, inteligência emocional, pensamento analítico, crítico e inovador, iniciativa e liderança, expertise no uso da tecnologia, programação, análise e avaliação de sistemas. Distanciamento social acelera a conectividade na Educação Segundo um relatório da ONU (The Digital Transformation Of Education: Connecting schools, empoderwing learners), o fechamento das escolas em 2020, devido à pandemia, afetou 94% dos estudantes em todo o mundo. Esse quadro fez com que a conectividade fosse mais importante do que nunca dentro da Educação. O acesso à internet foi alçado a direito fundamental e caracterizado como instrumento para efetivação de diversas oportunidades. Foi por meio da internet que as aulas continuaram sendo oferecidas, possibilitando a continuidade do currículo do ano letivo. Estar em conexão, permitiu que os estudantes assistissem às aulas, fizessem pesquisas, participassem de inúmeras atividades culturais, tours virtuais a museus, shows e teatro. Além disso, possibilitou que a socialização continuasse de um jeito diferente. No entanto, vale reforçar que essa ferramenta tecnológica não deve ser vista como substituta de relações pessoais. No caso de aulas remotas, o olhar atento do professor continuou sendo o elemento de aproximação fundamental. Esse profissional nunca poderá ser substituído por uma máquina. Enquanto o estudante usa a conectividade para continuar aprendendo, ele é auxiliado na construção desse conteúdo cognitivo pelo professor, que também atua como mediador e orientador. Por isso, nesse momento, também revelou-se a grande importância de qualificar os professores e desenvolver neles as competências adequadas para o uso da tecnologia. Portanto, para se enquadrar dentro da Educação 5.0 é válido entender que a conectividade na escola é muito importante, pode aproximar e dar continuidade a projetos pedagógicos, porém, deve servir como uma ferramenta que é alimentada pelos seres humanos. O que é a personalização na Educação? A forma de ensinar tem sido a mesma durante décadas, ou seja, o mesmo conteúdo é repassado a todos os estudantes, não oferecendo a eles uma possibilidade de escolha. Esse modelo funcionou bem durante um bom tempo, porém, na atualidade, não é estimulante para as novas gerações. A personalização da Educação vem mudar isso e faz parte de um ciclo natural de mudanças, próprio de um tempo no qual a inovação e a criatividade estão muito em evidência. Neste cenário, é preciso entender que cada estudante tem suas próprias características pessoais, interesses, desempenho acadêmico, desenvolvimento pessoal e capacidade de adaptação. Assim, essa personalização visa oferecer possibilidades que sejam adequadas às necessidades individuais de cada estudante. Ao oferecer experiências de aprendizagem diversificadas, é possível fazer uma melhor avaliação da forma de cada estudante aprender. Como funciona a Educação 5.0 no Colégio Planck? O Colégio Planck tem DNA altamente tecnológico, o qual o qualifica como um ótimo exemplo de metodologia de ensino baseada na Educação 4.0, porém, entre seus pilares também está o desenvolvimento socioemocional, portanto, também está totalmente mergulhado nas novas possibilidades oferecidas pela Educação 5.0. Altamente facilitadores dentro da proposta pedagógica do Colégio, os recursos tecnológicos fazem parte do dia a dia dos estudantes do Planck. Durante a pandemia, foram esses recursos tecnológicos, e uma equipe altamente especializada, que permitiram que o nível do ensino do Colégio continuasse alto mesmo durante o isolamento social e adoção do estudo remoto, quando todas as escolas precisaram fechar as portas para as aulas presenciais a partir de março de 2020. Neste período não foi deixado de lado o pilar socioemocional e olhar individualizado para os estudantes. Assim, professores, coordenadores, orientação e direção estiveram ainda mais atentos à qualidade e ao trabalho realizado. Além disso, o Colégio Planck sempre ofereceu disciplinas eletivas para que os estudantes tivessem uma gama ainda maior de oportunidades de conhecimento, desde que foi inaugurado há 5 anos. Atualmente, são 38 eletivas, com as quais os estudantes têm a oportunidade de investir em áreas que atendem a seus interesses pessoais. Para o Novo Ensino Médio, que entra em vigor em 2022, o Colégio Planck também vai oferecer, além da formação geral básica, 24 opções de trilhas anuais, que vai permitir que os estudantes tenham mais autoconhecimento, desenvolvimento da autonomia nas escolhas profissionais e escolhas de futuro. Conclusão Assim como em todas as áreas, a Educação também faz as suas mudanças de acordo com as exigências do tempo e das expectativas do mundo. Usando a conectividade, personalização de ensino, que abrirá seus horizontes para novas possibilidades e modelos, como o híbrido; pode-se dizer que com a Educação 5.0 nada será como antes, e que os estudantes vão ganhar muito mais elementos para buscar o que os tornará mais felizes, não só na escola, mas na vida em geral. No Colégio Planck, as ferramentas serão dadas, e cada vez mais a autonomia e o protagonismo dos estudantes ganharão força, para que eles saibam seguir os próprios caminhos, com preparo e segurança.

O que é a personalização na Educação?

A forma de ensinar tem sido a mesma durante décadas, ou seja, o mesmo conteúdo é repassado a todos os estudantes, não oferecendo a eles uma possibilidade de escolha. Esse modelo funcionou bem durante um bom tempo, porém, na atualidade, não é estimulante para as novas gerações. 

A personalização da Educação vem mudar isso e faz parte de um ciclo natural de mudanças, próprio de um tempo no qual a inovação e a criatividade estão muito em evidência.
Neste cenário, é preciso entender que cada estudante tem suas próprias características pessoais, interesses, desempenho acadêmico, desenvolvimento pessoal e capacidade de adaptação. 

Assim, essa personalização visa oferecer possibilidades que sejam adequadas às necessidades individuais de cada estudante. Ao oferecer experiências de aprendizagem diversificadas, é possível fazer uma melhor avaliação da forma de cada estudante aprender.

Como funciona a Educação 5.0 no Colégio Planck?

O Colégio Planck tem DNA altamente tecnológico, o qual o qualifica como um ótimo exemplo de metodologia de ensino baseada na Educação 4.0, porém, entre seus pilares também está o desenvolvimento socioemocional, portanto, também está totalmente mergulhado nas novas possibilidades oferecidas pela Educação 5.0.

Altamente facilitadores dentro da proposta pedagógica do Colégio, os recursos tecnológicos fazem parte do dia a dia dos estudantes do Planck.

Durante a pandemia, foram esses recursos tecnológicos, e uma equipe altamente especializada, que permitiram que o nível do ensino do Colégio continuasse alto mesmo durante o isolamento social e adoção do estudo remoto, quando todas as escolas precisaram fechar as portas para as aulas presenciais a partir de março de 2020. 

A Educação 5.0 traz a conectividade e a personalização do ensino entre as suas principais tendências. Leia nesse texto, como o Colégio Planck já atua dentro desses novos caminhos do ensino moderno. O que é Educação 5.0? Antes de mais nada, é preciso explicar do que se trata esse conceito. Há bem pouco tempo, o setor educacional vinha caminhando dentro dos critérios da Educação 4.0, adotando a tecnologia nas estratégias pedagógicas e desenvolvendo o pensamento computacional, já que o mundo vinha passando por um grande processo de digitalização. Algumas escolas, como o Colégio Planck, já contavam com tecnologias e processos para inovar a aprendizagem. No entanto, após a pandemia, essa aceleração digital tomou rumos sem precedentes e ganhou muito mais espaço nos ambientes acadêmicos. Mas, ainda que a Educação 4.0 trouxesse elementos que pudessem facilitar o processo de aprendizagem com a tecnologia, percebia-se, quase paralelamente, uma outra necessidade: integrar humanos com essas ferramentas tecnológicas e conceder aos estudantes um maior protagonismo social. É neste ponto que entra a Educação 5.0. A Educação 5.0 é totalmente baseada no desenvolvimento socioemocional, que é uma das diretrizes da BNCC. O principal objetivo é ter seres humanos que saibam sim lidar com essas novas tecnologias para produzir novas soluções, mas sejam emocionalmente maduros e estejam preparados para os desafios da vida, seja no campo pessoal, emocional ou profissional. Além da conectividade, que é própria desses novos tempos, a Educação 5.0 apresenta tendências de personalização do ensino e novos modelos, como o ensino remoto e híbrido. Conforme um relatório apresentado no Fórum Econômico Mundial, essa mudança na Educação será fundamental para atender às exigências do mercado, que tem buscado profissionais com mais criatividade, inteligência emocional, pensamento analítico, crítico e inovador, iniciativa e liderança, expertise no uso da tecnologia, programação, análise e avaliação de sistemas. Distanciamento social acelera a conectividade na Educação Segundo um relatório da ONU (The Digital Transformation Of Education: Connecting schools, empoderwing learners), o fechamento das escolas em 2020, devido à pandemia, afetou 94% dos estudantes em todo o mundo. Esse quadro fez com que a conectividade fosse mais importante do que nunca dentro da Educação. O acesso à internet foi alçado a direito fundamental e caracterizado como instrumento para efetivação de diversas oportunidades. Foi por meio da internet que as aulas continuaram sendo oferecidas, possibilitando a continuidade do currículo do ano letivo. Estar em conexão, permitiu que os estudantes assistissem às aulas, fizessem pesquisas, participassem de inúmeras atividades culturais, tours virtuais a museus, shows e teatro. Além disso, possibilitou que a socialização continuasse de um jeito diferente. No entanto, vale reforçar que essa ferramenta tecnológica não deve ser vista como substituta de relações pessoais. No caso de aulas remotas, o olhar atento do professor continuou sendo o elemento de aproximação fundamental. Esse profissional nunca poderá ser substituído por uma máquina. Enquanto o estudante usa a conectividade para continuar aprendendo, ele é auxiliado na construção desse conteúdo cognitivo pelo professor, que também atua como mediador e orientador. Por isso, nesse momento, também revelou-se a grande importância de qualificar os professores e desenvolver neles as competências adequadas para o uso da tecnologia. Portanto, para se enquadrar dentro da Educação 5.0 é válido entender que a conectividade na escola é muito importante, pode aproximar e dar continuidade a projetos pedagógicos, porém, deve servir como uma ferramenta que é alimentada pelos seres humanos. O que é a personalização na Educação? A forma de ensinar tem sido a mesma durante décadas, ou seja, o mesmo conteúdo é repassado a todos os estudantes, não oferecendo a eles uma possibilidade de escolha. Esse modelo funcionou bem durante um bom tempo, porém, na atualidade, não é estimulante para as novas gerações. A personalização da Educação vem mudar isso e faz parte de um ciclo natural de mudanças, próprio de um tempo no qual a inovação e a criatividade estão muito em evidência. Neste cenário, é preciso entender que cada estudante tem suas próprias características pessoais, interesses, desempenho acadêmico, desenvolvimento pessoal e capacidade de adaptação. Assim, essa personalização visa oferecer possibilidades que sejam adequadas às necessidades individuais de cada estudante. Ao oferecer experiências de aprendizagem diversificadas, é possível fazer uma melhor avaliação da forma de cada estudante aprender. Como funciona a Educação 5.0 no Colégio Planck? O Colégio Planck tem DNA altamente tecnológico, o qual o qualifica como um ótimo exemplo de metodologia de ensino baseada na Educação 4.0, porém, entre seus pilares também está o desenvolvimento socioemocional, portanto, também está totalmente mergulhado nas novas possibilidades oferecidas pela Educação 5.0. Altamente facilitadores dentro da proposta pedagógica do Colégio, os recursos tecnológicos fazem parte do dia a dia dos estudantes do Planck. Durante a pandemia, foram esses recursos tecnológicos, e uma equipe altamente especializada, que permitiram que o nível do ensino do Colégio continuasse alto mesmo durante o isolamento social e adoção do estudo remoto, quando todas as escolas precisaram fechar as portas para as aulas presenciais a partir de março de 2020. Neste período não foi deixado de lado o pilar socioemocional e olhar individualizado para os estudantes. Assim, professores, coordenadores, orientação e direção estiveram ainda mais atentos à qualidade e ao trabalho realizado. Além disso, o Colégio Planck sempre ofereceu disciplinas eletivas para que os estudantes tivessem uma gama ainda maior de oportunidades de conhecimento, desde que foi inaugurado há 5 anos. Atualmente, são 38 eletivas, com as quais os estudantes têm a oportunidade de investir em áreas que atendem a seus interesses pessoais. Para o Novo Ensino Médio, que entra em vigor em 2022, o Colégio Planck também vai oferecer, além da formação geral básica, 24 opções de trilhas anuais, que vai permitir que os estudantes tenham mais autoconhecimento, desenvolvimento da autonomia nas escolhas profissionais e escolhas de futuro. Conclusão Assim como em todas as áreas, a Educação também faz as suas mudanças de acordo com as exigências do tempo e das expectativas do mundo. Usando a conectividade, personalização de ensino, que abrirá seus horizontes para novas possibilidades e modelos, como o híbrido; pode-se dizer que com a Educação 5.0 nada será como antes, e que os estudantes vão ganhar muito mais elementos para buscar o que os tornará mais felizes, não só na escola, mas na vida em geral. No Colégio Planck, as ferramentas serão dadas, e cada vez mais a autonomia e o protagonismo dos estudantes ganharão força, para que eles saibam seguir os próprios caminhos, com preparo e segurança.

Neste período, não foi deixado de lado o pilar socioemocional e olhar individualizado para os estudantes. Assim, professores, coordenadores, orientação e direção estiveram ainda mais atentos à qualidade e ao trabalho realizado.

Além disso, o Colégio Planck sempre ofereceu disciplinas eletivas para que os estudantes tivessem uma gama ainda maior de oportunidades de conhecimento, desde que foi inaugurado há 5 anos. Atualmente, são 38 eletivas, com as quais os estudantes têm a oportunidade de investir em áreas que atendem a seus interesses pessoais.

Para o Novo Ensino Médio, que entra em vigor em 2022, o Colégio Planck também vai oferecer, além da formação geral básica,  24 opções de trilhas anuais, que vai permitir que os estudantes tenham mais autoconhecimento, desenvolvimento da autonomia nas escolhas profissionais e escolhas de futuro.

Conclusão

Assim como em todas as áreas, a Educação também faz as suas mudanças de acordo com as exigências do tempo e das expectativas do mundo.

Usando a conectividade, personalização de ensino, que abrirá seus horizontes para novas possibilidades e modelos, como o híbrido; pode-se dizer que com a Educação 5.0 nada será como antes, e que os estudantes vão ganhar muito mais elementos para buscar o que os tornará mais felizes, não só na escola, mas na vida em geral.

No Colégio Planck, as ferramentas serão dadas, e cada vez mais a autonomia e o protagonismo dos estudantes ganharão força, para que eles saibam seguir os próprios caminhos, com preparo e segurança.

Leia mais:

➡️  Aprendizagem colaborativa: o que é e como funciona no Planck?

 

Compartilhe:

Leia também:

Translate »