As habilidades do futuro que devem ser desenvolvidas pelas crianças no ensino fundamental

Conteúdo

As habilidades do futuro que devem ser desenvolvidas pelas crianças no ensino fundamental

 

No mundo em constante transformação onde vivemos, a escola exerce papel fundamental no desenvolvimento de habilidades do futuro para seus alunos.

Enquanto as crianças são altamente influenciadas pela família nas experiências iniciais de sua vida na primeira infância, justamente na transição para a adolescência, as instituições escolares vão desempenhar papel de extrema importância, estimulando a convivência, o respeito à diversidade, contribuindo para a aquisição de habilidades, na formação de valores e na construção do projeto de vida. 

Todas essas questões devem ser trabalhadas porque o colégio é um espaço que deve preparar o indivíduo para viver em coletividade paralelamente à aquisição de competências mais complexas. 

Quais aptidões o colégio pode desenvolver já no ensino fundamental?

Além de fornecer bases sólidas em áreas como ciência, tecnologia, matemática e humanidades, formar crianças e jovens para enfrentar os desafios do século XXI requer o desenvolvimento de um conjunto de competências necessárias para aprender, viver, conviver e trabalhar em um mundo cada vez mais complexo.

Essa formação vai muito além de preparar um aluno apenas para os vestibulares. Em seu papel, o colégio também deve incluir a vida em sociedade, para que faça parte da organização curricular.

A escola precisa observar que o aluno traz aquilo que absorve do seu meio social para dentro do ambiente acadêmico, essa vivência deve fazer parte do contexto pedagógico. Desta forma, é preciso abrir espaço para discutir e analisar com os alunos estes aspectos, contribuindo para que eles possam decidir quais comportamentos adotar em cada situação da vida.

Na escola, conceitos como justiça, respeito e solidariedade poderão ser compreendidos, assimilados e vividos por todos.

O exercício da cidadania também levará o aluno a identificar possibilidades de reconhecer seus limites nas ações e nos relacionamentos, a partir dos valores que os orientam.

Qual o papel do professor na construção das habilidades do futuro?

Antigamente, a figura do professor representava o grande detentor do conhecimento, mas hoje o conhecimento está a um clique de acesso de qualquer aluno. O papel do professor neste século é o de facilitador do processo de ensino-aprendizagem. 

Entretanto, ainda é preciso que os profissionais percebam que o conhecimento técnico deve ser apresentado por outras ferramentas diferenciadas pedagógicas e não só por meio das aulas expositivas.

Para que haja mudança no perfil do professor, deve-se introduzir temas emergentes da metodologia e da didática na formação inicial (graduação) e continuada. Estes temas também precisam ser discutidos junto à gestão da escola, para que os professores possam aplicar novos conceitos que vão propiciar um ambiente favorável para o desenvolvimento das competências para o século XXI.

O maior investimento que uma escola pode fazer é investir na formação dos professores, para que eles se sintam mais empoderados para experimentar e até errar. Não é possível inovar no processo sem a margem de erro.

Para tanto, são necessárias práticas pedagógicas que estejam centradas no desenvolvimento de competências socioemocionais em articulação com os conteúdos das disciplinas tradicionais.

Quais as habilidades essenciais?

Apesar da imensa oferta de informações que são oferecidas, tanto no âmbito escolar, como na simples navegação na internet, não é a diversidade de conhecimentos que vai determinar se o aluno vai realizar decisões coerentes no seu futuro. 

Para o aluno mergulhar em um panorama de constantes mudanças tecnológicas é importante que saiba:

-Quais fontes de informações são adequadas para a busca de dados;

– Realizar uma análise crítica sobre estes dados e transformá-los em conhecimento adequado para auxiliar na resolução de um determinado problema.

Além disso, trabalhar as competências comportamentais, estimular o gosto pela pesquisa e capacitar os alunos para a resolução de problemas são ações preponderantes para preparar as crianças para um século de mudanças rápidas e extremas.

Vamos conhecer mais sobre algumas habilidades que poderão ser desenvolvidas já na escola para transformar uma criança em um adulto bem-sucedido nos vários âmbitos da vida?

Criatividade

A criatividade é essencial para uma atuação promissora em múltiplas carreiras, possibilitando que o profissional possa se reinventar mais de uma vez ao longo da vida. Especialistas defendem que a imaginação, associada à formulação de ideias e à imprevisibilidade, deve estar no centro da aprendizagem em todas as faixas etárias para que se possa navegar em um mundo cada vez mais incerto e complexo.

Entretanto, por mais que um aluno seja criativo na esfera escolar, nem sempre será um adulto inovador. Existem outras competências importantes para que a inovação aconteça, dentre elas a capacidade de solucionar problemas, o raciocínio sistêmico, a determinação em aprender e a resiliência ao falhar nas tentativas de buscar o novo.

Capacidade de solução de problemas

Entre as habilidades do futuro, essa certamente é uma das mais importantes para ser desenvolvida enquanto a criança está na fase escolar.

Na sociedade onde as mudanças não param de acontecer, é preciso entender e trabalhar com diferentes cenários. Por isso, os alunos devem ser preparados para enfrentar desafios e criar soluções que sejam passíveis de serem colocadas em prática. 

Liderança

Desenvolver a liderança é muito mais que preparar um aluno para saber “chefiar” ou “gerenciar” algo no futuro. O verdadeiro líder é aquele que deve inspirar, motivar, capacitar e engajar.

Muitas vezes, alguns deles já se revelam nas salas de aula, o que é muito importante de ser observado porque os líderes são necessários em qualquer âmbito da sociedade. 

Comunicação 

Saber se comunicar de forma clara e precisa também entre as habilidades do futuro que a escola poderá ajudar a estimular em seus alunos.

É certo que a capacidade de se comunicar bem de forma oral ou escrita poderá gerar muitas oportunidades na vida.

Pensamento Crítico

Pensar de modo crítico é outra habilidade essencial para os cenários futuros e será fundamental para complementar a habilidade de solucionar problemas.

É possível definir essa habilidade como a capacidade de pensar de forma racional e clara para ter pensamento independente e reflexivo. Para isso, é preciso:

-Identificar a importância das ideias;

-Detectar inconsistências no raciocínio;

-Entender as conexões lógicas entre as ideias;

-Refletir sobre as próprias crenças.

-Trabalhar em equipe

Autoconfiança, socialização e capacidade de trabalhar em equipe são, sem dúvida, importantes para o futuro de qualquer cidadão.

Com as distâncias encurtadas, é preciso capacitar os alunos para terem facilidades de trabalhar em colaboração, seja com alguém que está ao seu lado ou do outro lado do mundo.

Adaptabilidade

Em um mundo onde as fronteiras foram derrubadas a partir da internet, a capacidade de adaptação é essencial para a habilidades do futuro da vida moderna.

Trabalhar a flexibilidade em vários aspectos também é papel da escola, que é o cenário ideal porque reúne pessoas de diferentes famílias, costumes, etnias e religiões.

Saber acessar informações

Com o desenfreado desenvolvimento dos sistemas digitais e inteligência artificial, o sistema escolar precisou ser reinventado para gerar atrativos tecnológicos também nas suas grades pedagógicas.

O desenvolvimento dessa habilidade não serve apenas para atrair as atenções desses alunos digitais, mas também tem relação direta com o bom uso das informações que são pesquisadas. 

Conclusão

O aluno vitorioso é o aluno que consegue transitar entre os espectros da inteligência cognitiva e da inteligência emocional. Sabendo equalizar e equilibrar estes dois aspectos nas tomadas de decisão da vida, não importa o quão rápido o mundo muda. Este aluno aprende a trabalhar com a mudança de maneira flexível e resiliente.
Prof. André Guadalupe
Diretor e Cofundador do Colégio Planck

 


Compartilhe:

Leia também:

A Robótica é uma disciplina que agrega grande valor à vivência de cada participante porque estimula a criatividade, experimentação, trabalho em equipe e pensamento lógico. Entenda por que essa matéria tem sido fundamental na Educação até mesmo para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais. Principais funções da Robótica na Educação A robótica pode ser explicada como uma série de procedimentos que levam à criação de uma máquina ou mecanismo eletromecânico que é capaz de realizar tarefas a partir de um conjunto de instruções pré-programadas. Em setores como a medicina, indústria e atendimento online, já se desenvolve há tempos, porém, também percebeu-se que é uma poderosa ferramenta de aprendizagem. No Colégio Planck, o Professor Paulo Henrique Pereira, responsável pela atividade de Robótica, afirma que a matéria está alinhada com as competências gerais da BNCC. “A Robótica é um espaço propício para desenvolver as competências 4 e 5, pois além da linguagem diferente, a tecnologia também é empregada para a resolução de problemas”, revela. 10 Competências Gerais da Base Nacional Comum 1 - Conhecimento 2 - Pensamento científico, crítico e criativo 3 - Repertório Cultural 4 - Comunicação 5 - Cultural Digital 6 - Trabalho e projeto de vida 7 - Argumentação 8 - Autoconhecimento e autocuidado 9 - Empatia e cooperação 10 - Responsabilidade e Cidadania A BNCC reconhece a tecnologia na formação dos estudantes e estimula que eles dominem o universo digital, por isso, para a competência Cultural Digital, reforça esse papel: “ Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares), para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”, diz o documento. Papel da robótica no desenvolvimento de habilidades socioemocionais Segundo o professor, no que se refere aos aspectos socioemocionais, por se tratar de um processo de resolução de problemas em equipe, a Robótica desenvolve principalmente o pensamento criativo e científico, a tolerância ao estresse e à frustração, o foco e a organização, a assertividade e a confiança. Porém, reforça o grande papel da disciplina no desenvolvimento da criatividade. “A criatividade é indispensável no processo, pois possibilita conexões entre as diversas áreas do conhecimento visando o objetivo desejado pelo aluno, tornando o processo ainda mais significativo.”, diz. Todas essas habilidades socioemocionais são reforçadas também pela Cultura Maker, que está inserida no DNA do Planck, com a grande contribuição do laboratório Design Maker, que também incentiva a criação. “A cultura maker está bastante presente no Colégio. Então, com as aulas de Robótica não é diferente, o estudante é convidado a desenvolver conhecimentos e habilidades estimulado por um problema que precisa de solução.” Robótica favorece o aprendizado de outras áreas de conhecimento? Segundo o professor, como a Robótica é composta por um conjunto de ferramentas e habilidades que se colocam a serviço da resolução de um problema, é neste ponto que as outras áreas do conhecimento entram no processo, pois a solução exigirá do estudante que use seu conhecimento prévio ou que pesquise conteúdos de outras disciplinas. Além disso, conhecimentos de matemática e física são diretamente necessários para o uso e compreensão da tecnologia empregada. Além de estar dentro do Núcleo de Tecnologia, que também inclui a disciplina de Programação, a Robótica também integra o Programa Planck de Preparação Olímpica (P3O), oferecendo a oportunidade do estudante se preparar para participar de competições. Benefícios de inserir o estudante na Robótica: Estímulo do aprendizado de matemática, física e inglês Estímulo do raciocínio lógico Desenvolvimento da criatividade Melhoria na organização de pensamentos e ações Estimula o desenvolvimento de aptidões Desenvolve habilidades para resolução de problemas Conclusão Em uma cultura cada vez mais digital, a Robótica é também uma forma muito estimulante de preparar os estudantes para um melhor desempenho de seus papéis profissionais no futuro. Percebe-se que a disciplina vai bem além do que se vê na ficção científica, porque ensina habilidades fundamentais em qualquer setor da vida.

Robótica: qual é o papel na Educação?

A Robótica é uma disciplina que agrega grande valor à vivência de cada participante porque estimula a criatividade, experimentação, trabalho em equipe e pensamento lógico.

Translate »