As habilidades do futuro que devem ser desenvolvidas pelas crianças no ensino fundamental

Conteúdo

As habilidades do futuro que devem ser desenvolvidas pelas crianças no ensino fundamental

 

No mundo em constante transformação onde vivemos, a escola exerce papel fundamental no desenvolvimento de habilidades do futuro para seus alunos.

Enquanto as crianças são altamente influenciadas pela família nas experiências iniciais de sua vida na primeira infância, justamente na transição para a adolescência, as instituições escolares vão desempenhar papel de extrema importância, estimulando a convivência, o respeito à diversidade, contribuindo para a aquisição de habilidades, na formação de valores e na construção do projeto de vida. 

Todas essas questões devem ser trabalhadas porque o colégio é um espaço que deve preparar o indivíduo para viver em coletividade paralelamente à aquisição de competências mais complexas. 

Quais aptidões o colégio pode desenvolver já no ensino fundamental?

Além de fornecer bases sólidas em áreas como ciência, tecnologia, matemática e humanidades, formar crianças e jovens para enfrentar os desafios do século XXI requer o desenvolvimento de um conjunto de competências necessárias para aprender, viver, conviver e trabalhar em um mundo cada vez mais complexo.

Essa formação vai muito além de preparar um aluno apenas para os vestibulares. Em seu papel, o colégio também deve incluir a vida em sociedade, para que faça parte da organização curricular.

A escola precisa observar que o aluno traz aquilo que absorve do seu meio social para dentro do ambiente acadêmico, essa vivência deve fazer parte do contexto pedagógico. Desta forma, é preciso abrir espaço para discutir e analisar com os alunos estes aspectos, contribuindo para que eles possam decidir quais comportamentos adotar em cada situação da vida.

Na escola, conceitos como justiça, respeito e solidariedade poderão ser compreendidos, assimilados e vividos por todos.

O exercício da cidadania também levará o aluno a identificar possibilidades de reconhecer seus limites nas ações e nos relacionamentos, a partir dos valores que os orientam.

Qual o papel do professor na construção das habilidades do futuro?

Antigamente, a figura do professor representava o grande detentor do conhecimento, mas hoje o conhecimento está a um clique de acesso de qualquer aluno. O papel do professor neste século é o de facilitador do processo de ensino-aprendizagem. 

Entretanto, ainda é preciso que os profissionais percebam que o conhecimento técnico deve ser apresentado por outras ferramentas diferenciadas pedagógicas e não só por meio das aulas expositivas.

Para que haja mudança no perfil do professor, deve-se introduzir temas emergentes da metodologia e da didática na formação inicial (graduação) e continuada. Estes temas também precisam ser discutidos junto à gestão da escola, para que os professores possam aplicar novos conceitos que vão propiciar um ambiente favorável para o desenvolvimento das competências para o século XXI.

O maior investimento que uma escola pode fazer é investir na formação dos professores, para que eles se sintam mais empoderados para experimentar e até errar. Não é possível inovar no processo sem a margem de erro.

Para tanto, são necessárias práticas pedagógicas que estejam centradas no desenvolvimento de competências socioemocionais em articulação com os conteúdos das disciplinas tradicionais.

Quais as habilidades essenciais?

Apesar da imensa oferta de informações que são oferecidas, tanto no âmbito escolar, como na simples navegação na internet, não é a diversidade de conhecimentos que vai determinar se o aluno vai realizar decisões coerentes no seu futuro. 

Para o aluno mergulhar em um panorama de constantes mudanças tecnológicas é importante que saiba:

-Quais fontes de informações são adequadas para a busca de dados;

– Realizar uma análise crítica sobre estes dados e transformá-los em conhecimento adequado para auxiliar na resolução de um determinado problema.

Além disso, trabalhar as competências comportamentais, estimular o gosto pela pesquisa e capacitar os alunos para a resolução de problemas são ações preponderantes para preparar as crianças para um século de mudanças rápidas e extremas.

Vamos conhecer mais sobre algumas habilidades que poderão ser desenvolvidas já na escola para transformar uma criança em um adulto bem-sucedido nos vários âmbitos da vida?

Criatividade

A criatividade é essencial para uma atuação promissora em múltiplas carreiras, possibilitando que o profissional possa se reinventar mais de uma vez ao longo da vida. Especialistas defendem que a imaginação, associada à formulação de ideias e à imprevisibilidade, deve estar no centro da aprendizagem em todas as faixas etárias para que se possa navegar em um mundo cada vez mais incerto e complexo.

Entretanto, por mais que um aluno seja criativo na esfera escolar, nem sempre será um adulto inovador. Existem outras competências importantes para que a inovação aconteça, dentre elas a capacidade de solucionar problemas, o raciocínio sistêmico, a determinação em aprender e a resiliência ao falhar nas tentativas de buscar o novo.

Capacidade de solução de problemas

Entre as habilidades do futuro, essa certamente é uma das mais importantes para ser desenvolvida enquanto a criança está na fase escolar.

Na sociedade onde as mudanças não param de acontecer, é preciso entender e trabalhar com diferentes cenários. Por isso, os alunos devem ser preparados para enfrentar desafios e criar soluções que sejam passíveis de serem colocadas em prática. 

Liderança

Desenvolver a liderança é muito mais que preparar um aluno para saber “chefiar” ou “gerenciar” algo no futuro. O verdadeiro líder é aquele que deve inspirar, motivar, capacitar e engajar.

Muitas vezes, alguns deles já se revelam nas salas de aula, o que é muito importante de ser observado porque os líderes são necessários em qualquer âmbito da sociedade. 

Comunicação 

Saber se comunicar de forma clara e precisa também entre as habilidades do futuro que a escola poderá ajudar a estimular em seus alunos.

É certo que a capacidade de se comunicar bem de forma oral ou escrita poderá gerar muitas oportunidades na vida.

Pensamento Crítico

Pensar de modo crítico é outra habilidade essencial para os cenários futuros e será fundamental para complementar a habilidade de solucionar problemas.

É possível definir essa habilidade como a capacidade de pensar de forma racional e clara para ter pensamento independente e reflexivo. Para isso, é preciso:

-Identificar a importância das ideias;

-Detectar inconsistências no raciocínio;

-Entender as conexões lógicas entre as ideias;

-Refletir sobre as próprias crenças.

-Trabalhar em equipe

Autoconfiança, socialização e capacidade de trabalhar em equipe são, sem dúvida, importantes para o futuro de qualquer cidadão.

Com as distâncias encurtadas, é preciso capacitar os alunos para terem facilidades de trabalhar em colaboração, seja com alguém que está ao seu lado ou do outro lado do mundo.

Adaptabilidade

Em um mundo onde as fronteiras foram derrubadas a partir da internet, a capacidade de adaptação é essencial para a habilidades do futuro da vida moderna.

Trabalhar a flexibilidade em vários aspectos também é papel da escola, que é o cenário ideal porque reúne pessoas de diferentes famílias, costumes, etnias e religiões.

Saber acessar informações

Com o desenfreado desenvolvimento dos sistemas digitais e inteligência artificial, o sistema escolar precisou ser reinventado para gerar atrativos tecnológicos também nas suas grades pedagógicas.

O desenvolvimento dessa habilidade não serve apenas para atrair as atenções desses alunos digitais, mas também tem relação direta com o bom uso das informações que são pesquisadas. 

Conclusão

O aluno vitorioso é o aluno que consegue transitar entre os espectros da inteligência cognitiva e da inteligência emocional. Sabendo equalizar e equilibrar estes dois aspectos nas tomadas de decisão da vida, não importa o quão rápido o mundo muda. Este aluno aprende a trabalhar com a mudança de maneira flexível e resiliente.
Prof. André Guadalupe
Diretor e Cofundador do Colégio Planck

 


Compartilhe:

Leia também:

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Dicas para exercitar a memória

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular

Translate »