Como o Planck aplica o design thinking em projetos pedagógicos?

Conteúdo

O design thinking é uma abordagem que vem sendo cada vez mais utilizada como ferramenta pedagógica porque estimula um processo criativo mais humanizado, profundo e completo.

Entenda como esse estímulo à criatividade é uma ferramenta pedagógica do Colégio Planck.

O que é o design thinking?

O conceito do design thinking surgiu em 1970, a partir da publicação do livro  “Experiences in Visual Thinking”, do professor de Engenharia da Universidade Stanford, Robert H. McKim, mas ganhou força na década de 1990, a partir da atuação dos designers do Vale do Silício, David Kelley e Tim Brown, da IDEO, uma empresa internacional de design e consultoria em inovação.

A abordagem serve tanto para criação e melhoria de produtos e serviços, quanto na Educação, porque prevê a resolução de situações-problema ou necessidades de inovação.

A ideia consiste em proporcionar um olhar mais humano e entender as dores das pessoas a partir de três bases:

  • Colaboração: prevê a união de várias pessoas em torno da busca de soluções inovadoras, assim, os estudantes, com suas diferentes visões, podem trazer ideias mais ricas para o mesmo desafio;
  • Empatia: desenvolver a busca por se colocar no lugar do outro para entender suas necessidades e ter ampla compreensão  dos seus problemas;
  • Experimentação: pressupõe experimentar ideias que ainda não foram testadas, permitindo a abertura de novos caminhos. É literalmente aprender fazendo.

O design thinking é uma abordagem que vem sendo cada vez mais utilizada como ferramenta pedagógica porque estimula um processo criativo mais humanizado, profundo e completo. Entenda como esse estímulo à criatividade é uma ferramenta pedagógica do Colégio Planck. O que é o design thinking? O conceito do design thinking surgiu em 1970, a partir da publicação do livro “Experiences in Visual Thinking”, do professor de Engenharia da Universidade Stanford, Robert H. McKim, mas ganhou força na década de 1990, a partir da atuação dos designers do Vale do Silício, David Kelley e Tim Brown, da IDEO, uma empresa internacional de design e consultoria em inovação. A abordagem serve tanto para criação e melhoria de produtos e serviços, quanto na Educação, porque prevê a resolução de situações-problema ou necessidades de inovação. A ideia consiste em proporcionar um olhar mais humano e entender as dores das pessoas a partir de três bases: Colaboração: prevê a união de várias pessoas em torno da busca de soluções inovadoras, assim, os estudantes, com suas diferentes visões, podem trazer ideias mais ricas para o mesmo desafio; Empatia: desenvolver a busca por se colocar no lugar do outro para entender suas necessidades e ter ampla compreensão dos seus problemas; Experimentação: pressupõe experimentar ideias que ainda não foram testadas, permitindo a abertura de novos caminhos. É literalmente aprender fazendo. Como funciona o design thinking na Educação? Esse conceito se insere nas metodologias ativas de ensino, que são estratégias desenvolvidas para que o estudante aprenda de uma forma mais autônoma e participativa. Essa abordagem também está dentro dos princípios da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), que incentiva um currículo que estimule o pensamento analítico e crítico, a partir da aprendizagem socioemocional. O design thinking na escola adota o processo de aprendizagem investigativa e segue um processo bem estruturado, trabalhando com uma mudança no modelo mental, que estimula um raciocínio mais visual, baseado no ver, imaginar e desenhar soluções. Os estudantes vão refletir, usar a criatividade e investigar para encontrar novas alternativas. Segundo o site do IDEO, salas de aula em todo o mundo enfrentam desafios que exigem novas perspectivas, ferramentas e abordagens. Essa abordagem vai ajudar não só na criação, mas na estruturação e validação das ideias. É uma proposta otimista por si só porque incentiva as mudanças e elaboração de propostas diferentes, independentemente de barreiras. Quando o estudante entra em contato com o design thinking na escola, tem a oportunidade de ter uma percepção real dos problemas, mas trabalhando para solucioná-los de uma forma mais lúdica e inovadora. Etapas do design thinking Nesse processo de reflexão e investigação, os estudantes vão percorrer algumas etapas: Descobrimento Essa primeira etapa é descobrir qual é o desafio e pensar na melhor forma de abordá-lo. Nessa etapa, o ideal é fazer uma imersão no desafio, pesquisar e vivenciar o problema para estimular a empatia. Ouvir todas as partes e contextualizar a situação-problema ou a necessidade de inovação. Interpretação A segunda etapa é interpretar o que esse desafio representa e organizar todas as informações que foram obtidas na etapa de descoberta, para analisar e sintetizar de forma clara para que o problema ou necessidade seja compreendido. Ideação É o momento que as ideias devem ser manifestadas sem censura, discutindo abertamente todas as soluções propostas. Essas ideias podem ser estimuladas por meio de perguntas mais fechadas e diretas. Nesse momento podem ser realizadas reuniões de brainstorming, realização de workshops, uso de mapas mentais, etc. Experimentação Depois da reunião de ideação é necessário escolher as ideias viáveis ou a ideia mais promissora e criar um protótipo para experimentação. Evolução de soluções Nesta etapa, após as ideias serem implementadas, a pergunta é se há algo que seja passível de aprimoramento. Houve alguma falha, é possível aperfeiçoar o processo? Como o Planck atua com o design thinking? O design thinking pode ser utilizado de várias maneiras dentro da escola. No Colégio, essa abordagem está inserida, principalmente, no Laboratório de Soluções Design Maker. No Laboratório de Soluções, os estudantes são estimulados a criar, construir e a trabalhar de forma colaborativa com a abordagem do design thinking e as habilidades de engenharia na construção de soluções. Todas as bases do design thinking são utilizadas no processo criativo, como o desenvolvimento da empatia para encontrar soluções para os problemas da comunidade. As turmas elaboram projetos por módulos, explorando diferentes conhecimentos, a partir de macrotemas. Os conteúdos acadêmicos são contemplados na criação de artefatos que sejam necessários ao projeto. Conclusão Um dos grandes méritos do design thinking é produzir soluções que gerem novos significados, a partir de uma humanização do olhar. Além disso, todo o processo criativo estimulado pela design thinking também propicia o desenvolvimento das competências e habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do Colégio Planck. Quando o estudante trabalha com o design thinking, são desenvolvidos empatia, respeito, criatividade, pensamento crítico e analítico, autonomia, foco, organização, resiliência, curiosidade, assertividade, persistência e entusiasmo, entre tantas outras competências que serão fundamentais em sua vida pessoal e profissional no futuro.

Como funciona o design thinking na Educação?

Esse conceito se insere nas metodologias ativas de ensino, que são estratégias desenvolvidas para que o estudante aprenda de uma forma mais autônoma e participativa.

Essa abordagem também está dentro dos princípios da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), que incentiva um currículo que estimule o pensamento analítico e crítico, a partir da aprendizagem socioemocional.

O design thinking na escola adota o processo de aprendizagem investigativa e segue um processo bem estruturado, trabalhando com uma mudança no modelo mental, que estimula um raciocínio mais visual, baseado no ver, imaginar e desenhar soluções.

Os estudantes vão refletir, usar a criatividade e investigar para encontrar novas alternativas.

Segundo o site da IDEO, salas de aula em todo o mundo enfrentam desafios que exigem novas perspectivas, ferramentas e abordagens.

Essa abordagem vai ajudar não só na criação, mas na estruturação e validação das ideias. É uma proposta otimista por si só porque incentiva as mudanças e elaboração de propostas diferentes, independentemente de barreiras.

Quando o estudante entra em contato com o design thinking na escola, tem a oportunidade de ter uma percepção real dos problemas, mas trabalhando para solucioná-los de uma forma mais lúdica e inovadora.

Etapas do design thinking Nesse processo de reflexão e investigação, os estudantes vão percorrer algumas etapas: Descobrimento Essa primeira etapa é descobrir qual é o desafio e pensar na melhor forma de abordá-lo. Nessa etapa, o ideal é fazer uma imersão no desafio, pesquisar e vivenciar o problema para estimular a empatia. Ouvir todas as partes e contextualizar a situação-problema ou a necessidade de inovação. Interpretação A segunda etapa é interpretar o que esse desafio representa e organizar todas as informações que foram obtidas na etapa de descoberta, para analisar e sintetizar de forma clara para que o problema ou necessidade seja compreendido. Ideação É o momento que as ideias devem ser manifestadas sem censura, discutindo abertamente todas as soluções propostas. Essas ideias podem ser estimuladas por meio de perguntas mais fechadas e diretas. Nesse momento podem ser realizadas reuniões de brainstorming, realização de workshops, uso de mapas mentais, etc. Experimentação Depois da reunião de ideação é necessário escolher as ideias viáveis ou a ideia mais promissora e criar um protótipo para experimentação. Evolução de soluções Nesta etapa, após as ideias serem implementadas, a pergunta é se há algo que seja passível de aprimoramento. Houve alguma falha, é possível aperfeiçoar o processo?

Etapas do design thinking

Nesse processo de reflexão e investigação, os estudantes vão percorrer algumas etapas:

Descobrimento

Essa primeira etapa é descobrir qual é o desafio e pensar na melhor forma de abordá-lo. Nessa fase, o ideal é fazer uma imersão no desafio, pesquisar e vivenciar o problema para estimular a empatia. Ouvir todas as partes e contextualizar a situação-problema ou a necessidade de inovação.

Interpretação

A segunda etapa é interpretar o que esse desafio representa  e organizar todas as informações que foram obtidas na fase de descoberta, para analisar e sintetizar de forma clara para que o problema ou necessidade seja compreendido.

O design thinking é uma abordagem que vem sendo cada vez mais utilizada como ferramenta pedagógica porque estimula um processo criativo mais humanizado, profundo e completo. Entenda como esse estímulo à criatividade é uma ferramenta pedagógica do Colégio Planck. O que é o design thinking? O conceito do design thinking surgiu em 1970, a partir da publicação do livro “Experiences in Visual Thinking”, do professor de Engenharia da Universidade Stanford, Robert H. McKim, mas ganhou força na década de 1990, a partir da atuação dos designers do Vale do Silício, David Kelley e Tim Brown, da IDEO, uma empresa internacional de design e consultoria em inovação. A abordagem serve tanto para criação e melhoria de produtos e serviços, quanto na Educação, porque prevê a resolução de situações-problema ou necessidades de inovação. A ideia consiste em proporcionar um olhar mais humano e entender as dores das pessoas a partir de três bases: Colaboração: prevê a união de várias pessoas em torno da busca de soluções inovadoras, assim, os estudantes, com suas diferentes visões, podem trazer ideias mais ricas para o mesmo desafio; Empatia: desenvolver a busca por se colocar no lugar do outro para entender suas necessidades e ter ampla compreensão dos seus problemas; Experimentação: pressupõe experimentar ideias que ainda não foram testadas, permitindo a abertura de novos caminhos. É literalmente aprender fazendo. Como funciona o design thinking na Educação? Esse conceito se insere nas metodologias ativas de ensino, que são estratégias desenvolvidas para que o estudante aprenda de uma forma mais autônoma e participativa. Essa abordagem também está dentro dos princípios da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), que incentiva um currículo que estimule o pensamento analítico e crítico, a partir da aprendizagem socioemocional. O design thinking na escola adota o processo de aprendizagem investigativa e segue um processo bem estruturado, trabalhando com uma mudança no modelo mental, que estimula um raciocínio mais visual, baseado no ver, imaginar e desenhar soluções. Os estudantes vão refletir, usar a criatividade e investigar para encontrar novas alternativas. Segundo o site do IDEO, salas de aula em todo o mundo enfrentam desafios que exigem novas perspectivas, ferramentas e abordagens. Essa abordagem vai ajudar não só na criação, mas na estruturação e validação das ideias. É uma proposta otimista por si só porque incentiva as mudanças e elaboração de propostas diferentes, independentemente de barreiras. Quando o estudante entra em contato com o design thinking na escola, tem a oportunidade de ter uma percepção real dos problemas, mas trabalhando para solucioná-los de uma forma mais lúdica e inovadora. Etapas do design thinking Nesse processo de reflexão e investigação, os estudantes vão percorrer algumas etapas: Descobrimento Essa primeira etapa é descobrir qual é o desafio e pensar na melhor forma de abordá-lo. Nessa etapa, o ideal é fazer uma imersão no desafio, pesquisar e vivenciar o problema para estimular a empatia. Ouvir todas as partes e contextualizar a situação-problema ou a necessidade de inovação. Interpretação A segunda etapa é interpretar o que esse desafio representa e organizar todas as informações que foram obtidas na etapa de descoberta, para analisar e sintetizar de forma clara para que o problema ou necessidade seja compreendido. Ideação É o momento que as ideias devem ser manifestadas sem censura, discutindo abertamente todas as soluções propostas. Essas ideias podem ser estimuladas por meio de perguntas mais fechadas e diretas. Nesse momento podem ser realizadas reuniões de brainstorming, realização de workshops, uso de mapas mentais, etc. Experimentação Depois da reunião de ideação é necessário escolher as ideias viáveis ou a ideia mais promissora e criar um protótipo para experimentação. Evolução de soluções Nesta etapa, após as ideias serem implementadas, a pergunta é se há algo que seja passível de aprimoramento. Houve alguma falha, é possível aperfeiçoar o processo? Como o Planck atua com o design thinking? O design thinking pode ser utilizado de várias maneiras dentro da escola. No Colégio, essa abordagem está inserida, principalmente, no Laboratório de Soluções Design Maker. No Laboratório de Soluções, os estudantes são estimulados a criar, construir e a trabalhar de forma colaborativa com a abordagem do design thinking e as habilidades de engenharia na construção de soluções. Todas as bases do design thinking são utilizadas no processo criativo, como o desenvolvimento da empatia para encontrar soluções para os problemas da comunidade. As turmas elaboram projetos por módulos, explorando diferentes conhecimentos, a partir de macrotemas. Os conteúdos acadêmicos são contemplados na criação de artefatos que sejam necessários ao projeto. Conclusão Um dos grandes méritos do design thinking é produzir soluções que gerem novos significados, a partir de uma humanização do olhar. Além disso, todo o processo criativo estimulado pela design thinking também propicia o desenvolvimento das competências e habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do Colégio Planck. Quando o estudante trabalha com o design thinking, são desenvolvidos empatia, respeito, criatividade, pensamento crítico e analítico, autonomia, foco, organização, resiliência, curiosidade, assertividade, persistência e entusiasmo, entre tantas outras competências que serão fundamentais em sua vida pessoal e profissional no futuro.

Ideação

É o momento que as ideias devem ser manifestadas sem censura, discutindo abertamente todas as soluções propostas. Essas ideias podem ser estimuladas por meio de perguntas mais fechadas e diretas.

Nesse momento podem ser realizadas reuniões de brainstorming, realização de workshops, uso de mapas mentais, etc.

Experimentação 

Depois da reunião de ideação é necessário escolher as ideias viáveis ou a ideia mais promissora e criar um protótipo para experimentação.

Evolução de soluções

Nesta etapa, após as ideias serem implementadas, a pergunta é se há algo que seja passível de aprimoramento. Houve alguma falha, é possível aperfeiçoar o processo?

ebook como unir cultura maker e design thinking

Como o Planck atua com o design thinking?

O design thinking pode ser utilizado de várias maneiras dentro da escola. No Colégio, essa abordagem está inserida, principalmente, no Laboratório de Soluções Design Maker.

No Laboratório de Soluções, os estudantes são estimulados a criar, construir e a trabalhar de forma colaborativa com a abordagem do design thinking e as habilidades de engenharia na construção de soluções.

Todas as bases do design thinking são utilizadas no processo criativo, como o desenvolvimento da empatia para encontrar soluções para os problemas da comunidade.

As turmas elaboram projetos por módulos, explorando diferentes conhecimentos, a partir de macrotemas.

Os conteúdos acadêmicos são contemplados na criação de artefatos que sejam necessários ao projeto.

Conclusão

Um dos grandes méritos do design thinking é produzir soluções que gerem novos significados, a partir de uma humanização do olhar.

Além disso,  todo o processo criativo estimulado pela design thinking também propicia o desenvolvimento das competências e habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do Colégio Planck.

Quando o estudante trabalha com o design thinking, são desenvolvidos empatia, respeito, criatividade, pensamento crítico e analítico, autonomia, foco, organização, resiliência, curiosidade, assertividade, persistência e entusiasmo, entre tantas outras competências que serão fundamentais em sua vida pessoal e profissional no futuro.

campanha de matrículas 2023

 

 

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »