Os diferentes estilos de aprendizagem de cada criança

Conteúdo
Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito? Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas. O que é estilo de aprendizagem? Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais. Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio. Quais são os estilos de aprendizagem? Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico). Vamos entender melhor cada um deles: Visual Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo. Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas. Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc. Auditivo Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações. Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas. Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos. Tátil (cinestésico) Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc. São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções. Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles. Verbal e linguística Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas. Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc. Lógico Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade. Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles. Interpessoal (aprendiz social) São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais. Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando. Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia. Intrapessoal Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos. Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia. Como a família pode ajudar? É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como: Eles são mais tranquilos ou agitados? Gostam de ler, desenhar ou montar objetos? Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando? Gosta de números e padrões? Se necessário, uma conversa aberta com orientação educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos. Conclusão No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos. Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender. Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros. Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.
Estudante – Colégio Planck

Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito?

Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas.

O que é estilo de aprendizagem?

Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais.

Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. 

Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. 

Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio.

Leia mais:

Quais são os estilos de aprendizagem?

Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico).

Vamos entender melhor cada um deles:

Visual

Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo.

Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas.

Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc.

Auditivo

Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações.

Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas.

Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos.

Não é de hoje que pesquisas comprovam que crianças que são expostas a manifestações artísticas como dança, música e teatro demonstram melhor domínio da leitura, escrita e matemática. Entenda nesse texto qual a relação do desempenho acadêmico dos estudantes com as artes e como o Colégio Planck utiliza esses recursos pedagógicos. Quais os benefícios das artes para os estudantes? Muitas vezes, parece ser até instintivo: os pais dão lápis de cor e papéis para crianças que ainda não estão nem perto da alfabetização para que elas se distraiam fazendo rabiscos coloridos. No entanto, esses rabiscos já vão começar a dar elementos ao cérebro infantil para uma futura alfabetização e noção espacial. A expressão artística começa a favorecer o aprendizado desde esse momento. No Ensino Fundamental, a Base Nacional Comum Curricular contempla a arte por meio da dança, teatro, música e artes visuais. Essas manifestações vão articular saberes que envolvem a prática de criar, ler, produzir, construir, exteriorizar e refletir por meio de seis dimensões de conhecimento: criação, crítica, experiência sensível, expressão, fruição e reflexão. Envolver os estudantes na prática dessas manifestações artísticas vai trazer inúmeros benefícios que contribuirão com a formação do indivíduo, além de contemplar, inclusive, o desenvolvimento das habilidades socioemocionais e proporcionar o alto desempenho. Os estudantes que praticam atividades artísticas se tornam capazes de: Desenvolver habilidades motoras, de linguagem e sociais; Desenvolver habilidades que ajudam na resolução de problemas; Melhorar a tomada de decisões e não ter medo de correr riscos; Ter mais criatividade; Desenvolver o pensamento crítico, etc. Estudos reforçam as vantagens de investir nas artes na educação Algumas pesquisas, como a reunião de 62 estudos no relatório Arts Education Partnership, já revelaram que as práticas artísticas, como a música, podem ajudar estudantes a ter mais noções de layout, perspectiva e equilíbrio, o que também ajudaria na integração com conhecimentos de outras disciplinas, como a matemática, além de melhorar a proficiência em leitura e no desenvolvimento cognitivo como um todo, porque permite a organização da escrita e também o entendimento de textos complexos, que são próprios de disciplinas como ciências, por exemplo. Outro aspecto é que a prática da música também ajudaria estudantes que estão aprendendo um segundo idioma. Mais um aspecto positivo de estimular os estudantes à prática das mais variadas manifestações artísticas é que proporcionam melhoria de saúde, afetando positivamente o humor e bem-estar, conforme a pesquisa da Frontiers in Psychology. “A arte gera um prazer desinteressado”, conforme já dizia o filósofo medieval Immanuel Kant (1724-1804). Esse prazer pode surgir na observação ou na elaboração de obras de arte dos estilos mais diversificados, seja pinturas, esculturas ou outras artes visuais, além da música, poesia, literatura e outras formas de expressão artística. Além disso, o estudo também revelou que a arte ajuda a melhorar a memória, diminuir o estresse e também permite uma melhor conexão social. Com isso, os estudantes que participam de programas de arte, ao menos semanalmente, apresentam habilidades orais, de escrita e de matemática superiores, além de um pensamento mais aprimorado na análise e resolução de problemas, com capacidade para desenvolver ideias originais próprias e inovadoras. Essas pesquisas dão base para que pais e profissionais de instituições escolares defendam a prática das artes nas mais variadas fases estudantis. Algumas vantagens de investir nas manifestações artísticas Como desperta muitas sensações e emoções, as artes, também, trazem inúmeros benefícios para o corpo e para a mente: Artes plásticas Essa é, talvez, a primeira expressão artística que muitas crianças passam a conhecer, quando os pais as convidam a desenhar ou pintar com lápis de cor. Com as artes plásticas e visuais, os estudantes são estimulados a praticar as habilidades de observação, senso crítico, criatividade, imaginação e de entendimento do mundo à sua volta. Essas capacidades aumentadas também favorecem o desenvolvimento cognitivo como um todo. Outro aspecto é que as artes plásticas ajudam na psicomotricidade e expressão de sentimentos. Os estudos também demonstram que favorecem o raciocínio sobre imagens científicas, a sofisticação na leitura e interpretação de textos. Música Ouvir música ou praticá-la, acalma, relaxa, alivia dores e estresse, e até estimula a prática de atividades físicas. Além disso, deixar certas músicas ao fundo, enquanto se estuda, também pode elevar o desempenho cognitivo e ajudar na criatividade. A música ativa a descoberta de novos caminhos e conexões cerebrais, por isso, é importante para quem está aprendendo uma nova língua. Dança Já a dança na escola como prática pedagógica, além de ajudar a manter o corpo ativo, permite a ampliação da capacidade de expressão, estimula a socialização, persistência, autoconfiança e autoestima, desenvolve a noção de espaço e equilíbrio, autoconsciência corporal, criatividade e disciplina. Artes cênicas O teatro é uma ferramenta pedagógica muito importante para o desenvolvimento dos estudantes desde o Ensino Fundamental porque também estimula o autoconhecimento e socialização, desenvolve desinibição, autoestima, autoconfiança, autonomia, motricidade, ampliação da memória e concentração, além de aperfeiçoamento da dicção e da melhoria da capacidade de comunicação. As artes no Colégio Planck Entre os núcleos de projetos especiais, o Colégio Planck oferece aos estudantes o Núcleo de Artes, que permite desenvolver e cultivar seus talentos enquanto promove reflexão, cultura e sensibilidade por meio desta linguagem de expressão, por meio das modalidades artísticas: Desenho, Pintura e Escultura; Teatro; Sapateado; Street Dance; Bateria; Piano; Guitarra; Violão; Contrabaixo; Teclado. O Núcleo Planck de Artes proporciona aos estudantes o desenvolvimento e aperfeiçoamento das habilidades sociais, trabalho em equipe, liderança e cooperação. De tempos em tempos, o Colégio realiza eventos que possibilitam que os estudantes apresentem suas conquistas artísticas.
Aula de Música Colégio Planck

Tátil (cinestésico)

Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc.

São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções.

Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles.

Verbal e linguística

Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. 

Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas.

Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc.

Lógico

Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade.

Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. 

Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles.

Interpessoal (aprendiz social)

São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais.

Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando.

Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. 

Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia.

Cube de Debates
Estudantes representando delegações durante Simu da Simu.

Intrapessoal

Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos.

Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia.

Leia mais:

Como a família pode ajudar?

É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como:

  • Eles são mais tranquilos ou agitados?
  • Gostam de ler, desenhar ou montar objetos?
  • Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando?
  • Gosta de números e padrões?

Se necessário, uma conversa aberta com a Orientação Educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. 

Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos.

ebook meu filho não sabe que carreira seguir

Conclusão

No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos.

Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender.

Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros.

Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.

 

Clique e agende uma visita. Matrículas Planck 2024.

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »