Os diferentes estilos de aprendizagem de cada criança

Conteúdo

Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito? Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas. O que é estilo de aprendizagem? Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais. Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio. Quais são os estilos de aprendizagem? Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico). Vamos entender melhor cada um deles: Visual Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo. Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas. Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc. Auditivo Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações. Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas. Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos. Tátil (cinestésico) Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc. São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções. Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles. Verbal e linguística Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas. Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc. Lógico Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade. Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles. Interpessoal (aprendiz social) São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais. Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando. Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia. Intrapessoal Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos. Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia. Como a família pode ajudar? É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como: Eles são mais tranquilos ou agitados? Gostam de ler, desenhar ou montar objetos? Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando? Gosta de números e padrões? Se necessário, uma conversa aberta com orientação educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos. Conclusão No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos. Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender. Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros. Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.

Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito?

Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas.

O que é estilo de aprendizagem?

Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais.

Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. 

Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. 

Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio.

Leia mais:

Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito? Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas. O que é estilo de aprendizagem? Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais. Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio. Quais são os estilos de aprendizagem? Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico). Vamos entender melhor cada um deles: Visual Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo. Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas. Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc. Auditivo Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações. Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas. Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos. Tátil (cinestésico) Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc. São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções. Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles. Verbal e linguística Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas. Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc. Lógico Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade. Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles. Interpessoal (aprendiz social) São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais. Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando. Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia. Intrapessoal Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos. Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia. Como a família pode ajudar? É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como: Eles são mais tranquilos ou agitados? Gostam de ler, desenhar ou montar objetos? Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando? Gosta de números e padrões? Se necessário, uma conversa aberta com orientação educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos. Conclusão No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos. Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender. Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros. Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.

Quais são os estilos de aprendizagem?

Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico).

Vamos entender melhor cada um deles:

Visual

Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo.

Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas.

Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc.

Auditivo

Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações.

Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas.

Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos.

Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito? Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas. O que é estilo de aprendizagem? Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais. Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio. Quais são os estilos de aprendizagem? Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico). Vamos entender melhor cada um deles: Visual Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo. Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas. Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc. Auditivo Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações. Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas. Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos. Tátil (cinestésico) Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc. São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções. Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles. Verbal e linguística Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas. Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc. Lógico Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade. Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles. Interpessoal (aprendiz social) São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais. Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando. Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia. Intrapessoal Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos. Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia. Como a família pode ajudar? É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como: Eles são mais tranquilos ou agitados? Gostam de ler, desenhar ou montar objetos? Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando? Gosta de números e padrões? Se necessário, uma conversa aberta com orientação educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos. Conclusão No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos. Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender. Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros. Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.

Tátil (cinestésico)

Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc.

São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções.

Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles.

Verbal e linguística

Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. 

Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas.

Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc.

Lógico

Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade.

Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. 

Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles.

Interpessoal (aprendiz social)

São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais.

Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando.

Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. 

Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia.

Sabia que existem diferentes estilos de aprendizagem e que cada criança aprende de um jeito? Neste texto, vamos entender quais são essas diferenças e como estimular os filhos a lidarem com os pontos fortes e aqueles que são mais desafiadores em suas vidas acadêmicas. O que é estilo de aprendizagem? Essa é a forma como as pessoas aprendem, processam e retém o conhecimento. Isso significa que enquanto umas pessoas aprendem por meio da leitura e da escrita, outras conseguem captar melhor as informações com experiências sensoriais. Esse fato, muitas vezes, confunde os pais, porque como eles próprios têm os seus estilos de aprendizagem, podem pensar que se o filho é diferente e terá dificuldades acadêmicas, o que não é verdade. Por esse motivo, é muito bom observar as crianças desde muito pequenas para identificar como elas manifestam essas preferências, interesses e ações. Observar esses pontos fortes e oferecer experiências diferenciadas vai ajudá-los a ampliar a visão de mundo e dos desafios que podem encontrar pela frente, em fases como a do ensino fundamental anos iniciais e finais, e ensino médio. Quais são os estilos de aprendizagem? Os estilos de aprendizagem considerados pelos pesquisadores dos processos de ensino Neil Fleming e Colleen Mills são: visual, auditivo, tátil e leitor/escritor (linguístico). Mas, segundo a teoria das múltiplas inteligências de Howard Gardner, a esses 4 campos podem ser acrescentados outros (intrapessoal, interpessoal e lógico). Vamos entender melhor cada um deles: Visual Quem é forte no estilo de aprendizagem visual, aprende por meio da visão. Isso significa que têm facilidade de observar as linguagens corporal e facial como forma de potencializar o aprendizado e retenção de um conteúdo. Essas crianças têm inteligência espacial, tendo mais facilidade de criar imagens na mente, portanto, se identificam com pinturas e artes gráficas. Para esses estudantes, pode ser mais fácil criar mapas, apresentações multimídia com gráficos, slides e ilustrações, cenários para teatro, sites, etc. Auditivo Para esses estudantes, aprender ouvindo é muito mais fácil. Para eles, até mesmo ler informações em voz alta ajuda a reter melhor as informações. Em geral, quem tem inteligência musical tem estilo de aprendizagem auditiva, e têm facilidade para aprender com audiobooks e músicas. Por outro lado, podem se distrair facilmente com barulhos, por isso, costumam preferir ambientes silenciosos. Tátil (cinestésico) Estudantes táteis aprendem por meio do toque, portanto, manifestam facilidade maior quando fazem atividades nas quais seja permitido o uso das mãos e a interação com o corpo. Assim, gostam de desenhar, pintar, desmontar objetos, etc. São estudantes que gostam muito de esporte, dança, invenções e construções. Aulas práticas intercaladas com teóricas funcionam melhor para eles. Verbal e linguística Para os estudantes que têm aprendizagem verbal e linguística, a base é a palavra, seja escrita ou falada. Processam melhorar as informações fazendo notas, lendo ou falando sobre elas. Para eles, receber instruções verbais e escritas ajudam a esclarecer suas dúvidas. Esses estudantes podem apreciar projetos literários, concursos de redação, participar de debates, etc. Lógico Esses estudantes se apoiam no raciocínio lógico e aprendem melhor quando os conteúdos envolvem sistemas, números, padrões e ordem. Adotam sempre uma abordagem organizada, mas podem ter certa dificuldade com a criatividade. Gostam de quebra-cabeças e atividades que envolvam a resolução de problemas. Projetos de pesquisa, organização e classificação são bastante fáceis para eles. Interpessoal (aprendiz social) São estudantes que aprendem melhor quando podem se comunicar com outros e recebem feedbacks. Costumam ser mais extrovertidos, e não gostam muito de atividades individuais. Portanto, processam melhor os conhecimentos ao participar de discussões e conversando. Gostam muito de grupos de discussão, organização de eventos e trabalhos onde possam lidar com várias pessoas. Estudantes que têm esse tipo de estilo de aprendizagem podem ter sofrido muito com o início da pandemia. Intrapessoal Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos. Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia. Como a família pode ajudar? É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como: Eles são mais tranquilos ou agitados? Gostam de ler, desenhar ou montar objetos? Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando? Gosta de números e padrões? Se necessário, uma conversa aberta com orientação educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos. Conclusão No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos. Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender. Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros. Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.

Intrapessoal

Esse estilo de aprendizagem é próprio de pessoas mais introvertidas e que preferem ficar mais isolados. Gostam mais de atividades individuais, porque funcionam melhor ao raciocinar sozinhos.

Estudantes com essas características podem ter dificuldades em atividades que exijam colaboração, e se adaptaram melhor ao isolamento social propiciado pela pandemia.

Leia mais:

Como a família pode ajudar?

É bastante útil fazer certas perguntas para compreender melhor o estilo de aprendizagem de seus filhos, como:

  • Eles são mais tranquilos ou agitados?
  • Gostam de ler, desenhar ou montar objetos?
  • Prefere quando alguém ensina algo mostrando ou falando?
  • Gosta de números e padrões?

Se necessário, uma conversa aberta com a Orientação Educacional sobre o estilo de aprendizagem do estudante pode ser uma forma de auxiliá-lo a mostrar os seus pontos fortes. 

Além disso, também é importante estimular o autoconhecimento dos seus filhos, porque eles também precisam entender onde estão suas forças e fraquezas, para aprender a lidar bem com elas nos desafios acadêmicos.

ebook meu filho não sabe que carreira seguir

Conclusão

No Colégio Planck, todos os estilos de aprendizagem são abordados, e os estudantes são estimulados no desenvolvimento de habilidades socioemocionais que vão ajudar a lidar com suas forças e fragilidades em vários aspectos.

Os estudantes são observados de forma individualizada e acompanhados pela Orientação Educacional, que estabelece uma relação muito próxima para que eles manifestem suas dificuldades e recebam o devido auxílio, o que pode até mesmo ajudá-los a se abrir para novas formas de aprender.

Por outro lado, os pontos fortes dos estudantes também são trabalhados para que sirvam de apoio para outras experiências que vão vivenciar em seus futuros.

Nosso compromisso é com o desenvolvimento pleno dos nossos estudantes, para prepará-los verdadeiramente para a vida.

 

Compartilhe:

Leia também:

Translate »