O que é a aprendizagem socioemocional na prática?

Conteúdo

Desenvolver soft skills ou habilidades socioemocionais faz parte cada vez mais dos projetos pedagógicos de diversas instituições escolares. Mas, o que é a aprendizagem socioemocional na prática? Neste texto, vamos entender como pode ser realizado o aprendizado socioemocional no dia a dia da escola. O que é aprendizagem socioemocional? Segundo a academia criadora do termo, a Casel (The Collaborative for Academic, Social and Emotional Learning), a aprendizagem socioemocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano.  É um processo ou programa de desenvolvimento de autoconsciência, autocontrole, consciência social, habilidades interpessoais e tomada de decisão responsável para que os jovens consigam descobrir quem são e o que querem para o próprio futuro. A aprendizagem socioemocional é uma diretriz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que ganha cada vez mais atenção de educadores no país. Segundo um estudo do World Bank Group, 79% dos empregadores consideram que as habilidades socioemocionais são as qualidades mais importantes para o sucesso no mercado de trabalho. Esse percentual só demonstra que, de modo geral, as competências socioemocionais têm sido tão valorizadas quanto as habilidades cognitivas, porque pessoas que são capazes de ter disciplina, controle dos impulsos, comunicação assertiva e gerenciamento de emoções podem observar muitos efeitos positivos na própria vida acadêmica e pessoal. Na escola, a aprendizagem socioemocional na prática pode ser exercida nas mais variadas atividades, com as quais as respostas às adversidades podem ser constantemente aprimoradas. Por que oferecer aprendizagem socioemocional na prática na escola? A aprendizagem socioemocional na escola funciona como um treino para a vida adulta e pode ser desenvolvida em diversas abordagens na sala de aula, como: Fazendo integração com a grade curricular acadêmica; Práticas de ensino: aprendizagem colaborativa e aprendizagem baseada em projetos; Instruções diretas com as quais a aprendizagem socioemocional seja ensinada e praticada. Em diversas disciplinas, é possível criar oportunidades para que os adolescentes se envolvam em trabalhos em equipe que necessitam de soluções para problemas do mundo real e assumam papéis significativos para enfrentar desafios que podem oferecer altos e baixos emocionais.  Seja em uma disciplina eletiva de artes, como uma aula de teatro ou dança, por exemplo; em um projeto desenvolvido para uma aula de geografia, em um trabalho em grupo para uma aula de física ou até mesmo uma viagem acadêmica, as habilidades socioemocionais podem ser exercitadas e incorporadas gradualmente. A escola é ambiente seguro para exercitar A escola é um ambiente seguro para praticar as habilidades socioemocionais, onde podem falhar e receber apoio da equipe pedagógica para exercitar os seus pontos fortes e os pontos que ainda precisam ser aprimorados. Com atividades direcionadas ou mesmo apenas pelo ambiente que promove a cultura da aprendizagem socioemocional, os estudantes são constantemente estimulados a se expressar,  entender como interagem com as pessoas, como resolvem os conflitos e como se definem.  Além do autocontrole e autoconsciência, os jovens também aprendem liderança,  colaboração, responsabilidade, determinação, flexibilidade, proatividade e resiliência. Dessa forma, aprendem a ser protagonistas da própria vida. Nas atividades escolares, é permitido que cada estudante expresse suas opiniões, mostre quem é e também desenvolva uma escuta ativa para entender o papel do outro e desenvolver a empatia. Colégio Planck tem atividades para aprendizagem socioemocional O desenvolvimento das habilidades socioemocionais é um dos pilares pedagógicos do Colégio Planck. Para exercitar esse pilar, tanto no ensino fundamental como no ensino médio, o Colégio trabalha com metodologias ativas, que dão ênfase em vivências, que permitem a participação, pesquisa, interação e aprendizagens contínuas dos estudantes. Nessas vivências, os estudantes são estimulados a realizar tarefas e superar desafios para resolver problemas do mundo real, não só nas disciplinas curriculares, como em projetos pedagógicos especiais, como: Academia Sherlock, Laboratório Design Maker ou pelo PPAD (Programa Planck de Atividade Diversificada).   Nos projetos, os estudantes precisam colocar os múltiplos conhecimentos das mais variadas disciplinas, seja matemática, ciência, geografia ou outras.  Assim, desenvolvem também autonomia, porque aprendem a assumir responsabilidades e também se arriscam para chegar à melhor solução para cada caso. Caso falhem, será mais uma experiência que trará resultados que serão aprendidos para uma nova tentativa em busca do sucesso. No Colégio, ao treinarem essa aprendizagem socioemocional na prática, os estudantes começam a perceber que têm o poder de serem donos de si e superar os obstáculos que surgem no caminho. Assim, há uma grande chance de que essas habilidades sejam integradas ao comportamento do estudante para o resto da vida.

Desenvolver soft skills ou habilidades socioemocionais faz parte cada vez mais dos projetos pedagógicos de diversas instituições escolares. Mas, o que é a aprendizagem socioemocional na prática?

Neste texto, vamos entender como pode ser realizado o aprendizado socioemocional no dia a dia da escola.

O que é aprendizagem socioemocional?

Segundo a academia criadora do termo, a Casel (The Collaborative for Academic, Social and Emotional Learning), a aprendizagem socioemocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano. 

É um processo ou programa de desenvolvimento de autoconsciência, autocontrole, consciência social, habilidades interpessoais e tomada de decisão responsável para que os jovens consigam descobrir quem são e o que querem para o próprio futuro.

A aprendizagem socioemocional é uma diretriz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que ganha cada vez mais atenção de educadores no país. Segundo um estudo do World Bank Group, 79% dos empregadores consideram que as habilidades socioemocionais são as qualidades mais importantes para o sucesso no mercado de trabalho.

Desenvolver soft skills ou habilidades socioemocionais faz parte cada vez mais dos projetos pedagógicos de diversas instituições escolares. Mas, o que é a aprendizagem socioemocional na prática? Neste texto, vamos entender como pode ser realizado o aprendizado socioemocional no dia a dia da escola. O que é aprendizagem socioemocional? Segundo a academia criadora do termo, a Casel (The Collaborative for Academic, Social and Emotional Learning), a aprendizagem socioemocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano. É um processo ou programa de desenvolvimento de autoconsciência, autocontrole, consciência social, habilidades interpessoais e tomada de decisão responsável para que os jovens consigam descobrir quem são e o que querem para o próprio futuro. A aprendizagem socioemocional é uma diretriz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que ganha cada vez mais atenção de educadores no país. Segundo um estudo do World Bank Group, 79% dos empregadores consideram que as habilidades socioemocionais são as qualidades mais importantes para o sucesso no mercado de trabalho. Esse percentual só demonstra que, de modo geral, as competências socioemocionais têm sido tão valorizadas quanto as habilidades cognitivas, porque pessoas que são capazes de ter disciplina, controle dos impulsos, comunicação assertiva e gerenciamento de emoções podem observar muitos efeitos positivos na própria vida acadêmica e pessoal. Na escola, a aprendizagem socioemocional na prática pode ser exercida nas mais variadas atividades, com as quais as respostas às adversidades podem ser constantemente aprimoradas. Por que oferecer aprendizagem socioemocional na prática na escola? A aprendizagem socioemocional na escola funciona como um treino para a vida adulta e pode ser desenvolvida em diversas abordagens na sala de aula, como: Fazendo integração com a grade curricular acadêmica; Práticas de ensino: aprendizagem colaborativa e aprendizagem baseada em projetos; Instruções diretas com as quais a aprendizagem socioemocional seja ensinada e praticada. Em diversas disciplinas, é possível criar oportunidades para que os adolescentes se envolvam em trabalhos em equipe que necessitam de soluções para problemas do mundo real e assumam papéis significativos para enfrentar desafios que podem oferecer altos e baixos emocionais. Seja em uma disciplina eletiva de artes, como uma aula de teatro ou dança, por exemplo; em um projeto desenvolvido para uma aula de geografia, em um trabalho em grupo para uma aula de física ou até mesmo uma viagem acadêmica, as habilidades socioemocionais podem ser exercitadas e incorporadas gradualmente. A escola é ambiente seguro para exercitar A escola é um ambiente seguro para praticar as habilidades socioemocionais, onde podem falhar e receber apoio da equipe pedagógica para exercitar os seus pontos fortes e os pontos que ainda precisam ser aprimorados. Com atividades direcionadas ou mesmo apenas pelo ambiente que promove a cultura da aprendizagem socioemocional, os estudantes são constantemente estimulados a se expressar, entender como interagem com as pessoas, como resolvem os conflitos e como se definem. Além do autocontrole e autoconsciência, os jovens também aprendem liderança, colaboração, responsabilidade, determinação, flexibilidade, proatividade e resiliência. Dessa forma, aprendem a ser protagonistas da própria vida. Nas atividades escolares, é permitido que cada estudante expresse suas opiniões, mostre quem é e também desenvolva uma escuta ativa para entender o papel do outro e desenvolver a empatia. Colégio Planck tem atividades para aprendizagem socioemocional O desenvolvimento das habilidades socioemocionais é um dos pilares pedagógicos do Colégio Planck. Para exercitar esse pilar, tanto no ensino fundamental como no ensino médio, o Colégio trabalha com metodologias ativas, que dão ênfase em vivências, que permitem a participação, pesquisa, interação e aprendizagens contínuas dos estudantes. Nessas vivências, os estudantes são estimulados a realizar tarefas e superar desafios para resolver problemas do mundo real, não só nas disciplinas curriculares, como em projetos pedagógicos especiais, como: Academia Sherlock, Laboratório Design Maker ou pelo PPAD (Programa Planck de Atividade Diversificada). Nos projetos, os estudantes precisam colocar os múltiplos conhecimentos das mais variadas disciplinas, seja matemática, ciência, geografia ou outras. Assim, desenvolvem também autonomia, porque aprendem a assumir responsabilidades e também se arriscam para chegar à melhor solução para cada caso. Caso falhem, será mais uma experiência que trará resultados que serão aprendidos para uma nova tentativa em busca do sucesso. No Colégio, ao treinarem essa aprendizagem socioemocional na prática, os estudantes começam a perceber que têm o poder de serem donos de si e superar os obstáculos que surgem no caminho. Assim, há uma grande chance de que essas habilidades sejam integradas ao comportamento do estudante para o resto da vida.

Esse percentual só demonstra que, de modo geral, as competências socioemocionais têm sido tão valorizadas quanto as habilidades cognitivas, porque pessoas que são capazes de ter disciplina, controle dos impulsos, comunicação assertiva e gerenciamento de emoções podem observar muitos efeitos positivos na própria vida acadêmica e pessoal.

Na escola, a aprendizagem socioemocional na prática pode ser exercida nas mais variadas atividades, com as quais as respostas às adversidades podem ser constantemente aprimoradas.

Por que oferecer aprendizagem socioemocional na prática na escola?

A aprendizagem socioemocional na escola funciona como um treino para a vida adulta e pode ser desenvolvida em diversas abordagens na sala de aula, como:

Em diversas disciplinas, é possível criar oportunidades para que os adolescentes se envolvam em trabalhos em equipe que necessitam de soluções para problemas do mundo real e assumam papéis significativos para enfrentar desafios que podem oferecer altos e baixos emocionais. 

Seja em uma disciplina eletiva de artes, como uma aula de teatro ou dança, por exemplo; em um projeto desenvolvido para uma aula de geografia, em um trabalho em grupo para uma aula de física, uma prática esportiva ou até mesmo uma viagem acadêmica, as habilidades socioemocionais podem ser exercitadas e incorporadas gradualmente.

Desenvolver soft skills ou habilidades socioemocionais faz parte cada vez mais dos projetos pedagógicos de diversas instituições escolares. Mas, o que é a aprendizagem socioemocional na prática? Neste texto, vamos entender como pode ser realizado o aprendizado socioemocional no dia a dia da escola. O que é aprendizagem socioemocional? Segundo a academia criadora do termo, a Casel (The Collaborative for Academic, Social and Emotional Learning), a aprendizagem socioemocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano. É um processo ou programa de desenvolvimento de autoconsciência, autocontrole, consciência social, habilidades interpessoais e tomada de decisão responsável para que os jovens consigam descobrir quem são e o que querem para o próprio futuro. A aprendizagem socioemocional é uma diretriz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que ganha cada vez mais atenção de educadores no país. Segundo um estudo do World Bank Group, 79% dos empregadores consideram que as habilidades socioemocionais são as qualidades mais importantes para o sucesso no mercado de trabalho. Esse percentual só demonstra que, de modo geral, as competências socioemocionais têm sido tão valorizadas quanto as habilidades cognitivas, porque pessoas que são capazes de ter disciplina, controle dos impulsos, comunicação assertiva e gerenciamento de emoções podem observar muitos efeitos positivos na própria vida acadêmica e pessoal. Na escola, a aprendizagem socioemocional na prática pode ser exercida nas mais variadas atividades, com as quais as respostas às adversidades podem ser constantemente aprimoradas. Por que oferecer aprendizagem socioemocional na prática na escola? A aprendizagem socioemocional na escola funciona como um treino para a vida adulta e pode ser desenvolvida em diversas abordagens na sala de aula, como: Fazendo integração com a grade curricular acadêmica; Práticas de ensino: aprendizagem colaborativa e aprendizagem baseada em projetos; Instruções diretas com as quais a aprendizagem socioemocional seja ensinada e praticada. Em diversas disciplinas, é possível criar oportunidades para que os adolescentes se envolvam em trabalhos em equipe que necessitam de soluções para problemas do mundo real e assumam papéis significativos para enfrentar desafios que podem oferecer altos e baixos emocionais. Seja em uma disciplina eletiva de artes, como uma aula de teatro ou dança, por exemplo; em um projeto desenvolvido para uma aula de geografia, em um trabalho em grupo para uma aula de física ou até mesmo uma viagem acadêmica, as habilidades socioemocionais podem ser exercitadas e incorporadas gradualmente. A escola é ambiente seguro para exercitar A escola é um ambiente seguro para praticar as habilidades socioemocionais, onde podem falhar e receber apoio da equipe pedagógica para exercitar os seus pontos fortes e os pontos que ainda precisam ser aprimorados. Com atividades direcionadas ou mesmo apenas pelo ambiente que promove a cultura da aprendizagem socioemocional, os estudantes são constantemente estimulados a se expressar, entender como interagem com as pessoas, como resolvem os conflitos e como se definem. Além do autocontrole e autoconsciência, os jovens também aprendem liderança, colaboração, responsabilidade, determinação, flexibilidade, proatividade e resiliência. Dessa forma, aprendem a ser protagonistas da própria vida. Nas atividades escolares, é permitido que cada estudante expresse suas opiniões, mostre quem é e também desenvolva uma escuta ativa para entender o papel do outro e desenvolver a empatia. Colégio Planck tem atividades para aprendizagem socioemocional O desenvolvimento das habilidades socioemocionais é um dos pilares pedagógicos do Colégio Planck. Para exercitar esse pilar, tanto no ensino fundamental como no ensino médio, o Colégio trabalha com metodologias ativas, que dão ênfase em vivências, que permitem a participação, pesquisa, interação e aprendizagens contínuas dos estudantes. Nessas vivências, os estudantes são estimulados a realizar tarefas e superar desafios para resolver problemas do mundo real, não só nas disciplinas curriculares, como em projetos pedagógicos especiais, como: Academia Sherlock, Laboratório Design Maker ou pelo PPAD (Programa Planck de Atividade Diversificada). Nos projetos, os estudantes precisam colocar os múltiplos conhecimentos das mais variadas disciplinas, seja matemática, ciência, geografia ou outras. Assim, desenvolvem também autonomia, porque aprendem a assumir responsabilidades e também se arriscam para chegar à melhor solução para cada caso. Caso falhem, será mais uma experiência que trará resultados que serão aprendidos para uma nova tentativa em busca do sucesso. No Colégio, ao treinarem essa aprendizagem socioemocional na prática, os estudantes começam a perceber que têm o poder de serem donos de si e superar os obstáculos que surgem no caminho. Assim, há uma grande chance de que essas habilidades sejam integradas ao comportamento do estudante para o resto da vida.

A escola é ambiente seguro para exercitar

A escola é um ambiente seguro para praticar as habilidades socioemocionais, onde podem falhar e receber apoio da equipe pedagógica para exercitar os seus pontos fortes e os pontos que ainda precisam ser aprimorados.

Com atividades direcionadas ou mesmo apenas pelo ambiente que promove a cultura da aprendizagem socioemocional, os estudantes são constantemente estimulados a se expressar,  entender como interagem com as pessoas, como resolvem os conflitos e como se definem. 

Além do autocontrole e autoconsciência, os jovens também aprendem liderança,  colaboração, responsabilidade, determinação, flexibilidade, proatividade e resiliência. Dessa forma, aprendem a ser protagonistas da própria vida.

Nas atividades escolares, é permitido que cada estudante expresse suas opiniões, mostre quem é e também desenvolva uma escuta ativa para entender o papel do outro e desenvolver a empatia.

infografico aprendizagem socioemocional

Colégio Planck tem atividades para aprendizagem socioemocional

O desenvolvimento das habilidades socioemocionais é um dos pilares pedagógicos do Colégio Planck.

Para exercitar esse pilar, tanto no ensino fundamental como no ensino médio, o Colégio trabalha com metodologias ativas, que dão ênfase em vivências, que permitem a participação, pesquisa, interação e aprendizagens contínuas dos estudantes.

Nessas vivências, os estudantes são estimulados a realizar tarefas e superar desafios para resolver problemas do mundo real, não só nas disciplinas curriculares, como em projetos pedagógicos especiais, como: Academia Sherlock, Laboratório Design Maker ou pelo PPAD (Programa Planck de Atividade Diversificada).  

Nos projetos, os estudantes precisam colocar os múltiplos conhecimentos das mais variadas disciplinas, seja matemática, ciência, geografia ou outras. 

Assim, desenvolvem também autonomia, porque aprendem a assumir responsabilidades e também se arriscam para chegar à melhor solução para cada caso. Caso falhem, será mais uma experiência que trará resultados que serão aprendidos para uma nova tentativa em busca do sucesso.

No Colégio, ao treinarem essa aprendizagem socioemocional na prática, os estudantes começam a perceber que têm o poder de serem donos de si e superar os obstáculos que surgem no caminho. Assim, há uma grande chance de que essas habilidades sejam integradas ao comportamento do estudante para o resto da vida. 

Leia mais:

Compartilhe:

Leia também:

Translate »