Como desenvolver o autocontrole emocional?

Conteúdo

Lidar bem com as emoções e reações é fundamental em todas as áreas da vida. Mas você sabe como desenvolver autocontrole emocional e a importância de ter essa competência da inteligência emocional? Veja nesse texto, dicas que vão ensinar como manter o autocontrole emocional. O que é o autocontrole emocional? Autocontrole emocional trata-se de conter os impulsos, identificar e gerenciar as próprias emoções nos variados âmbitos do cotidiano, seja no acadêmico, pessoal ou profissional. Por isso, autocontrole emocional pode ter vários sinônimos, como: autorregulação, equilíbrio, moderação, autodomínio, agir de forma comedida e ter capacidade de se desviar de tentações. Faz parte das 12 competências da inteligência emocional, assim como autoconsciência emocional e organizacional, otimismo, adaptabilidade, orientação para realização, influência, empatia, trabalho em equipe, gestão de conflitos, coach e mentor e liderança inspiradora.  Por isso, ao trabalhar o autocontrole também está sendo trabalhada a inteligência emocional. Qual é a importância de ter autocontrole emocional? O autocontrole emocional é um elemento que deve começar a ser desenvolvido na infância e adolescência, e também deve ser muito bem trabalhado na vida adulta, quando as situações estressantes podem levar as pessoas a tomar atitudes intempestivas ou até procrastinar. A necessidade do autocontrole acompanha as mais variadas faixas etárias. Pense em uma cena: quando a criança ainda é pequena e estabelece determinados objetos de desejo, cabe aos pais ensinar que não deve bater, tentar tomar ou praticar qualquer violência com outra criança para obter o que quer. Começa aí a ser ensinado o autocontrole emocional. É evidente que na infância, quando ainda não tem controle dos próprios sentimentos, a criança pode chorar, espernear, gritar e praticar diversas outras atitudes consideradas descontroladas quando quer algo. Ao ensinar o autocontrole emocional, os pais ensinam também a lidar logo cedo com as frustrações e com as reações advindas delas. Já na escola, esse autocontrole emocional também é essencial para o processo de socialização. Quando alguém desenvolve o autocontrole emocional, aprende também a desenvolver assertividade, empatia, foco, disciplina e autopreservação. À medida que o tempo passa, essa competência será cada vez mais importante, como por exemplo, na fase pré-vestibular, quando o adolescente se candidatar a processos seletivos, sejam vestibulares nacionais ou até entrevistas para aplicação em universidades internacionais. Nestes momentos, ter controle das próprias emoções pode determinar o sucesso dos objetivos. Além disso, ao desenvolver o autocontrole, o estudante pode: Aprender a preservar bons hábitos; Lidar melhor com o estresse; Ter decisões mais assertivas; Superar comportamentos autodestrutivos; Aumentar o desempenho e produtividade; Aumentar a resiliência; Conquistar melhores resultados em seus processos; Construir bons relacionamentos. Como ter autocontrole emocional? Considerando que saber lidar com as emoções não se trata de reprimi-las, será que existem técnicas de autocontrole emocional? Conheça algumas dicas: Autoconhecimento Em primeiro lugar, é preciso entender que para desenvolver essa competência é também necessário trabalhar o autoconhecimento. Quando alguém se conhece, sabe qual reação pode ter diante de certos fatos.  Conhecendo as próprias características, fica mais fácil entender quais gatilhos podem acionar suas fragilidades e trabalhar esses aspectos. Assim, também vai aprender a lidar melhor com as emoções perturbadoras, que podem prejudicar a sua eficácia diante de determinadas situações. Estabeleça metas e direcione suas energias para elas É preciso ter clareza sobre o que deseja para estabelecer metas e centrar energia nelas. Quando alguém sabe o que quer, por exemplo, passar em um determinado vestibular nacional ou ser aprovado em uma universidade estrangeira, consegue ter foco e disciplina para estudar, não procrastinar e acordar todos os dias cedo para fazer o que for necessário para alcançar o próprio objetivo. Ao ter essa clareza, as tentações podem até rondar o estudante, mas ele estará firme em suas decisões e terá autocontrole para alcançar o seu máximo. E esse aspecto vale para qualquer projeto que se tenha na vida. Use o Método do Semáforo O professor Roger Weissberg (1951-2021), que era um dos principais líderes na aprendizagem socioemocional,  e outros professores da Universidade de Yale, criaram a técnica do semáforo para ajudar crianças e adolescentes a desenvolverem autocontrole emocional. Consiste em usar as cores das luzes de um semáforo para compreender estados emocionais e diminuir a impulsividade: Vermelho (pare): significa a hora de respirar fundo diante do problema;  Amarelo (espere): é a hora de pensar no que fazer; Verde (Siga): é a hora de optar pela melhor decisão diante do fato. Embora tenha sido direcionado para crianças, esse método cabe bem aos adolescentes e até adultos diante de uma situação difícil, para avaliar os próprios estados emocionais e tomar as decisões sem impulsividade.  Weissberg via esse método como uma forma de estabelecer um “pensamento consequente”, ou seja, quando as pessoas param para pensar nas consequências de agir por impulso, mudam a forma de reagir e ganham autocontrole emocional. Aprenda técnicas de relaxamento e meditação Técnicas de relaxamento e meditação, ajudam a melhorar a criatividade, a concentração e o foco, consequentemente, também ajudam no desenvolvimento do autocontrole. Além disso, parar poucos minutos do dia para um momento de calma e relaxamento, respirando devagar e calmamente, vai ajudar a colocar os pensamentos em ordem e diminuir a ansiedade. Tenha hábitos saudáveis Quando o estudante se alimenta direito, dorme as horas necessárias e pratica atividades físicas, consegue lidar melhor com o estresse e não fica esgotado emocionalmente. Quando a pessoa está dentro de uma rotina equilibrada fica muito mais fácil manter o autocontrole emocional. Procure ajuda profissional Em muitos casos, a ansiedade é muito grande e o estudante acredita que é muito difícil ter autocontrole. Nessas situações, as terapias ajudam a buscar mais autoconhecimento e mais equilíbrio emocional. Se for necessário, não tenha receio de buscar um bom profissional dessa área. Conclusão O desenvolvimento socioemocional é um dos pilares do método pedagógico utilizado pelo Colégio Planck. Preparar os estudantes para os variados desafios que vão encontrar ao longo da vida é uma das metas do time Planck. No Colégio, tanto nas aulas curriculares como em diversos projetos pedagógicos são aprimoradas as competências socioemocionais, inclusive, o autocontrole emocional.

Lidar bem com as emoções e reações é fundamental em todas as áreas da vida. Mas você sabe como desenvolver autocontrole emocional e a importância de ter essa competência da inteligência emocional?

Veja nesse texto, dicas que vão ensinar como manter o autocontrole emocional.

O que é o autocontrole emocional?

Autocontrole emocional trata-se de conter os impulsos, identificar e gerenciar as próprias emoções nos variados âmbitos do cotidiano, seja no acadêmico, pessoal ou profissional.

Por isso, autocontrole emocional pode ter vários sinônimos, como: autorregulação, equilíbrio, moderação, autodomínio, agir de forma comedida e ter capacidade de se desviar de tentações.

Faz parte das 12 competências da inteligência emocional, assim como autoconsciência emocional e organizacional, otimismo, adaptabilidade, orientação para realização, influência, empatia, trabalho em equipe, gestão de conflitos, coach e mentor e liderança inspiradora. 

Por isso, ao trabalhar o autocontrole também está sendo trabalhada a inteligência emocional.

Qual é a importância de ter autocontrole emocional?

O autocontrole emocional é um elemento que deve começar a ser desenvolvido na infância e adolescência, e também deve ser muito bem trabalhado na vida adulta, quando as situações estressantes podem levar as pessoas a tomar atitudes intempestivas ou até procrastinar.

A necessidade do autocontrole acompanha as mais variadas faixas etárias. Pense em uma cena: quando a criança ainda é pequena e estabelece determinados objetos de desejo, cabe aos pais ensinar que não deve bater, tentar tomar ou praticar qualquer violência com outra criança para obter o que quer. Começa aí a ser ensinado o autocontrole emocional.

É evidente que na infância, quando ainda não tem controle dos próprios sentimentos, a criança pode chorar, espernear, gritar e praticar diversas outras atitudes consideradas descontroladas quando quer algo. Ao ensinar o autocontrole emocional, os pais ensinam também a lidar logo cedo com as frustrações e com as reações advindas delas.

Lidar bem com as emoções e reações é fundamental em todas as áreas da vida. Mas você sabe como desenvolver autocontrole emocional e a importância de ter essa competência da inteligência emocional? Veja nesse texto, dicas que vão ensinar como manter o autocontrole emocional. O que é o autocontrole emocional? Autocontrole emocional trata-se de conter os impulsos, identificar e gerenciar as próprias emoções nos variados âmbitos do cotidiano, seja no acadêmico, pessoal ou profissional. Por isso, autocontrole emocional pode ter vários sinônimos, como: autorregulação, equilíbrio, moderação, autodomínio, agir de forma comedida e ter capacidade de se desviar de tentações. Faz parte das 12 competências da inteligência emocional, assim como autoconsciência emocional e organizacional, otimismo, adaptabilidade, orientação para realização, influência, empatia, trabalho em equipe, gestão de conflitos, coach e mentor e liderança inspiradora.  Por isso, ao trabalhar o autocontrole também está sendo trabalhada a inteligência emocional. Qual é a importância de ter autocontrole emocional? O autocontrole emocional é um elemento que deve começar a ser desenvolvido na infância e adolescência, e também deve ser muito bem trabalhado na vida adulta, quando as situações estressantes podem levar as pessoas a tomar atitudes intempestivas ou até procrastinar. A necessidade do autocontrole acompanha as mais variadas faixas etárias. Pense em uma cena: quando a criança ainda é pequena e estabelece determinados objetos de desejo, cabe aos pais ensinar que não deve bater, tentar tomar ou praticar qualquer violência com outra criança para obter o que quer. Começa aí a ser ensinado o autocontrole emocional. É evidente que na infância, quando ainda não tem controle dos próprios sentimentos, a criança pode chorar, espernear, gritar e praticar diversas outras atitudes consideradas descontroladas quando quer algo. Ao ensinar o autocontrole emocional, os pais ensinam também a lidar logo cedo com as frustrações e com as reações advindas delas. Já na escola, esse autocontrole emocional também é essencial para o processo de socialização. Quando alguém desenvolve o autocontrole emocional, aprende também a desenvolver assertividade, empatia, foco, disciplina e autopreservação. À medida que o tempo passa, essa competência será cada vez mais importante, como por exemplo, na fase pré-vestibular, quando o adolescente se candidatar a processos seletivos, sejam vestibulares nacionais ou até entrevistas para aplicação em universidades internacionais. Nestes momentos, ter controle das próprias emoções pode determinar o sucesso dos objetivos. Além disso, ao desenvolver o autocontrole, o estudante pode: Aprender a preservar bons hábitos; Lidar melhor com o estresse; Ter decisões mais assertivas; Superar comportamentos autodestrutivos; Aumentar o desempenho e produtividade; Aumentar a resiliência; Conquistar melhores resultados em seus processos; Construir bons relacionamentos. Como ter autocontrole emocional? Considerando que saber lidar com as emoções não se trata de reprimi-las, será que existem técnicas de autocontrole emocional? Conheça algumas dicas: Autoconhecimento Em primeiro lugar, é preciso entender que para desenvolver essa competência é também necessário trabalhar o autoconhecimento. Quando alguém se conhece, sabe qual reação pode ter diante de certos fatos.  Conhecendo as próprias características, fica mais fácil entender quais gatilhos podem acionar suas fragilidades e trabalhar esses aspectos. Assim, também vai aprender a lidar melhor com as emoções perturbadoras, que podem prejudicar a sua eficácia diante de determinadas situações. Estabeleça metas e direcione suas energias para elas É preciso ter clareza sobre o que deseja para estabelecer metas e centrar energia nelas. Quando alguém sabe o que quer, por exemplo, passar em um determinado vestibular nacional ou ser aprovado em uma universidade estrangeira, consegue ter foco e disciplina para estudar, não procrastinar e acordar todos os dias cedo para fazer o que for necessário para alcançar o próprio objetivo. Ao ter essa clareza, as tentações podem até rondar o estudante, mas ele estará firme em suas decisões e terá autocontrole para alcançar o seu máximo. E esse aspecto vale para qualquer projeto que se tenha na vida. Use o Método do Semáforo O professor Roger Weissberg (1951-2021), que era um dos principais líderes na aprendizagem socioemocional,  e outros professores da Universidade de Yale, criaram a técnica do semáforo para ajudar crianças e adolescentes a desenvolverem autocontrole emocional. Consiste em usar as cores das luzes de um semáforo para compreender estados emocionais e diminuir a impulsividade: Vermelho (pare): significa a hora de respirar fundo diante do problema;  Amarelo (espere): é a hora de pensar no que fazer; Verde (Siga): é a hora de optar pela melhor decisão diante do fato. Embora tenha sido direcionado para crianças, esse método cabe bem aos adolescentes e até adultos diante de uma situação difícil, para avaliar os próprios estados emocionais e tomar as decisões sem impulsividade.  Weissberg via esse método como uma forma de estabelecer um “pensamento consequente”, ou seja, quando as pessoas param para pensar nas consequências de agir por impulso, mudam a forma de reagir e ganham autocontrole emocional. Aprenda técnicas de relaxamento e meditação Técnicas de relaxamento e meditação, ajudam a melhorar a criatividade, a concentração e o foco, consequentemente, também ajudam no desenvolvimento do autocontrole. Além disso, parar poucos minutos do dia para um momento de calma e relaxamento, respirando devagar e calmamente, vai ajudar a colocar os pensamentos em ordem e diminuir a ansiedade. Tenha hábitos saudáveis Quando o estudante se alimenta direito, dorme as horas necessárias e pratica atividades físicas, consegue lidar melhor com o estresse e não fica esgotado emocionalmente. Quando a pessoa está dentro de uma rotina equilibrada fica muito mais fácil manter o autocontrole emocional. Procure ajuda profissional Em muitos casos, a ansiedade é muito grande e o estudante acredita que é muito difícil ter autocontrole. Nessas situações, as terapias ajudam a buscar mais autoconhecimento e mais equilíbrio emocional. Se for necessário, não tenha receio de buscar um bom profissional dessa área. Conclusão O desenvolvimento socioemocional é um dos pilares do método pedagógico utilizado pelo Colégio Planck. Preparar os estudantes para os variados desafios que vão encontrar ao longo da vida é uma das metas do time Planck. No Colégio, tanto nas aulas curriculares como em diversos projetos pedagógicos são aprimoradas as competências socioemocionais, inclusive, o autocontrole emocional.

Já na escola, esse autocontrole emocional também é essencial para o processo de socialização. Quando alguém desenvolve o autocontrole emocional, aprende também a desenvolver assertividade, empatia, foco, disciplina e autopreservação.

À medida que o tempo passa, essa competência será cada vez mais importante, como por exemplo, na fase pré-vestibular, quando o adolescente se candidatar a processos seletivos, sejam vestibulares nacionais ou até entrevistas para aplicação em universidades internacionais. Nestes momentos, ter controle das próprias emoções pode determinar o sucesso dos objetivos.

Além disso, ao desenvolver o autocontrole, o estudante pode:

  • Aprender a preservar bons hábitos;
  • Lidar melhor com o estresse;
  • Ter decisões mais assertivas;
  • Superar comportamentos autodestrutivos;
  • Aumentar o desempenho e produtividade;
  • Aumentar a resiliência;
  • Conquistar melhores resultados em seus processos;
  • Construir bons relacionamentos.

Ebook meu filho não sabe que carreira investir como posso ajudar

Como ter autocontrole emocional?

Considerando que saber lidar com as emoções não se trata de reprimi-las, será que existem técnicas de autocontrole emocional? Conheça algumas dicas:

Autoconhecimento

Em primeiro lugar, é preciso entender que para desenvolver essa competência é também necessário trabalhar o autoconhecimento. Quando alguém se conhece, sabe qual reação pode ter diante de certos fatos. 

Conhecendo as próprias características, fica mais fácil entender quais gatilhos podem acionar suas fragilidades e trabalhar esses aspectos.

Assim, também vai aprender a lidar melhor com as emoções perturbadoras, que podem prejudicar a sua eficácia diante de determinadas situações.

Estabeleça metas e direcione suas energias para elas

É preciso ter clareza sobre o que deseja para estabelecer metas e centrar energia nelas.

Quando alguém sabe o que quer, por exemplo, passar em um determinado vestibular nacional ou ser aprovado em uma universidade estrangeira, consegue ter foco e disciplina para estudar, não procrastinar e acordar todos os dias cedo para fazer o que for necessário para alcançar o próprio objetivo.

Ao ter essa clareza, as tentações podem até rondar o estudante, mas ele estará firme em suas decisões e terá autocontrole para alcançar o seu máximo. E esse aspecto vale para qualquer projeto que se tenha na vida.

Lidar bem com as emoções e reações é fundamental em todas as áreas da vida. Mas você sabe como desenvolver autocontrole emocional e a importância de ter essa competência da inteligência emocional? Veja nesse texto, dicas que vão ensinar como manter o autocontrole emocional. O que é o autocontrole emocional? Autocontrole emocional trata-se de conter os impulsos, identificar e gerenciar as próprias emoções nos variados âmbitos do cotidiano, seja no acadêmico, pessoal ou profissional. Por isso, autocontrole emocional pode ter vários sinônimos, como: autorregulação, equilíbrio, moderação, autodomínio, agir de forma comedida e ter capacidade de se desviar de tentações. Faz parte das 12 competências da inteligência emocional, assim como autoconsciência emocional e organizacional, otimismo, adaptabilidade, orientação para realização, influência, empatia, trabalho em equipe, gestão de conflitos, coach e mentor e liderança inspiradora.  Por isso, ao trabalhar o autocontrole também está sendo trabalhada a inteligência emocional. Qual é a importância de ter autocontrole emocional? O autocontrole emocional é um elemento que deve começar a ser desenvolvido na infância e adolescência, e também deve ser muito bem trabalhado na vida adulta, quando as situações estressantes podem levar as pessoas a tomar atitudes intempestivas ou até procrastinar. A necessidade do autocontrole acompanha as mais variadas faixas etárias. Pense em uma cena: quando a criança ainda é pequena e estabelece determinados objetos de desejo, cabe aos pais ensinar que não deve bater, tentar tomar ou praticar qualquer violência com outra criança para obter o que quer. Começa aí a ser ensinado o autocontrole emocional. É evidente que na infância, quando ainda não tem controle dos próprios sentimentos, a criança pode chorar, espernear, gritar e praticar diversas outras atitudes consideradas descontroladas quando quer algo. Ao ensinar o autocontrole emocional, os pais ensinam também a lidar logo cedo com as frustrações e com as reações advindas delas. Já na escola, esse autocontrole emocional também é essencial para o processo de socialização. Quando alguém desenvolve o autocontrole emocional, aprende também a desenvolver assertividade, empatia, foco, disciplina e autopreservação. À medida que o tempo passa, essa competência será cada vez mais importante, como por exemplo, na fase pré-vestibular, quando o adolescente se candidatar a processos seletivos, sejam vestibulares nacionais ou até entrevistas para aplicação em universidades internacionais. Nestes momentos, ter controle das próprias emoções pode determinar o sucesso dos objetivos. Além disso, ao desenvolver o autocontrole, o estudante pode: Aprender a preservar bons hábitos; Lidar melhor com o estresse; Ter decisões mais assertivas; Superar comportamentos autodestrutivos; Aumentar o desempenho e produtividade; Aumentar a resiliência; Conquistar melhores resultados em seus processos; Construir bons relacionamentos. Como ter autocontrole emocional? Considerando que saber lidar com as emoções não se trata de reprimi-las, será que existem técnicas de autocontrole emocional? Conheça algumas dicas: Autoconhecimento Em primeiro lugar, é preciso entender que para desenvolver essa competência é também necessário trabalhar o autoconhecimento. Quando alguém se conhece, sabe qual reação pode ter diante de certos fatos.  Conhecendo as próprias características, fica mais fácil entender quais gatilhos podem acionar suas fragilidades e trabalhar esses aspectos. Assim, também vai aprender a lidar melhor com as emoções perturbadoras, que podem prejudicar a sua eficácia diante de determinadas situações. Estabeleça metas e direcione suas energias para elas É preciso ter clareza sobre o que deseja para estabelecer metas e centrar energia nelas. Quando alguém sabe o que quer, por exemplo, passar em um determinado vestibular nacional ou ser aprovado em uma universidade estrangeira, consegue ter foco e disciplina para estudar, não procrastinar e acordar todos os dias cedo para fazer o que for necessário para alcançar o próprio objetivo. Ao ter essa clareza, as tentações podem até rondar o estudante, mas ele estará firme em suas decisões e terá autocontrole para alcançar o seu máximo. E esse aspecto vale para qualquer projeto que se tenha na vida. Use o Método do Semáforo O professor Roger Weissberg (1951-2021), que era um dos principais líderes na aprendizagem socioemocional,  e outros professores da Universidade de Yale, criaram a técnica do semáforo para ajudar crianças e adolescentes a desenvolverem autocontrole emocional. Consiste em usar as cores das luzes de um semáforo para compreender estados emocionais e diminuir a impulsividade: Vermelho (pare): significa a hora de respirar fundo diante do problema;  Amarelo (espere): é a hora de pensar no que fazer; Verde (Siga): é a hora de optar pela melhor decisão diante do fato. Embora tenha sido direcionado para crianças, esse método cabe bem aos adolescentes e até adultos diante de uma situação difícil, para avaliar os próprios estados emocionais e tomar as decisões sem impulsividade.  Weissberg via esse método como uma forma de estabelecer um “pensamento consequente”, ou seja, quando as pessoas param para pensar nas consequências de agir por impulso, mudam a forma de reagir e ganham autocontrole emocional. Aprenda técnicas de relaxamento e meditação Técnicas de relaxamento e meditação, ajudam a melhorar a criatividade, a concentração e o foco, consequentemente, também ajudam no desenvolvimento do autocontrole. Além disso, parar poucos minutos do dia para um momento de calma e relaxamento, respirando devagar e calmamente, vai ajudar a colocar os pensamentos em ordem e diminuir a ansiedade. Tenha hábitos saudáveis Quando o estudante se alimenta direito, dorme as horas necessárias e pratica atividades físicas, consegue lidar melhor com o estresse e não fica esgotado emocionalmente. Quando a pessoa está dentro de uma rotina equilibrada fica muito mais fácil manter o autocontrole emocional. Procure ajuda profissional Em muitos casos, a ansiedade é muito grande e o estudante acredita que é muito difícil ter autocontrole. Nessas situações, as terapias ajudam a buscar mais autoconhecimento e mais equilíbrio emocional. Se for necessário, não tenha receio de buscar um bom profissional dessa área. Conclusão O desenvolvimento socioemocional é um dos pilares do método pedagógico utilizado pelo Colégio Planck. Preparar os estudantes para os variados desafios que vão encontrar ao longo da vida é uma das metas do time Planck. No Colégio, tanto nas aulas curriculares como em diversos projetos pedagógicos são aprimoradas as competências socioemocionais, inclusive, o autocontrole emocional.

Use o Método do Semáforo

O professor Roger Weissberg (1951-2021), que era um dos principais líderes na aprendizagem socioemocional,  e outros professores da Universidade de Yale, criaram a técnica do semáforo para ajudar crianças e adolescentes a desenvolverem autocontrole emocional.

Consiste em usar as cores das luzes de um semáforo para compreender estados emocionais e diminuir a impulsividade:

  • Vermelho (pare): significa a hora de respirar fundo diante do problema; 
  • Amarelo (espere): é a hora de pensar no que fazer;
  • Verde (Siga): é a hora de optar pela melhor decisão diante do fato.

Embora tenha sido direcionado para crianças, esse método cabe bem aos adolescentes e até adultos diante de uma situação difícil, para avaliar os próprios estados emocionais e tomar as decisões sem impulsividade. 

Weissberg via esse método como uma forma de estabelecer um “pensamento consequente”, ou seja, quando as pessoas param para pensar nas consequências de agir por impulso, mudam a forma de reagir e ganham autocontrole emocional.

Aprenda técnicas de relaxamento e meditação

Técnicas de relaxamento e meditação, ajudam a melhorar a criatividade, a concentração e o foco, consequentemente, também ajudam no desenvolvimento do autocontrole.

Além disso, parar poucos minutos do dia para um momento de calma e relaxamento, respirando devagar e calmamente, vai ajudar a colocar os pensamentos em ordem e diminuir a ansiedade.

Leia mais sobre:

Tenha hábitos saudáveis

Quando o estudante se alimenta direito, dorme as horas necessárias e pratica atividades físicas, consegue lidar melhor com o estresse e não fica esgotado emocionalmente.

Quando a pessoa está dentro de uma rotina equilibrada fica muito mais fácil manter o autocontrole emocional.

Procure ajuda profissional

Em muitos casos, a ansiedade é muito grande e o estudante acredita que é muito difícil ter autocontrole.

Nessas situações, as terapias ajudam a buscar mais autoconhecimento e mais equilíbrio emocional. Se for necessário, não tenha receio de buscar um bom profissional dessa área.

Conclusão

O desenvolvimento socioemocional é um dos pilares do método pedagógico utilizado pelo Colégio Planck.

Preparar os estudantes para os variados desafios que vão encontrar ao longo da vida é uma das metas do time Planck.

No Colégio, tanto nas aulas curriculares como em diversos projetos pedagógicos são aprimoradas as competências socioemocionais, inclusive, o autocontrole emocional. 

campanha de matrículas 2023

Compartilhe:

Leia também:

Translate »