Dicas para exercitar a memória

Conteúdo
Não é de hoje que pesquisas comprovam que crianças que são expostas a manifestações artísticas como dança, música e teatro demonstram melhor domínio da leitura, escrita e matemática. Entenda nesse texto qual a relação do desempenho acadêmico dos estudantes com as artes e como o Colégio Planck utiliza esses recursos pedagógicos. Quais os benefícios das artes para os estudantes? Muitas vezes, parece ser até instintivo: os pais dão lápis de cor e papéis para crianças que ainda não estão nem perto da alfabetização para que elas se distraiam fazendo rabiscos coloridos. No entanto, esses rabiscos já vão começar a dar elementos ao cérebro infantil para uma futura alfabetização e noção espacial. A expressão artística começa a favorecer o aprendizado desde esse momento. No Ensino Fundamental, a Base Nacional Comum Curricular contempla a arte por meio da dança, teatro, música e artes visuais. Essas manifestações vão articular saberes que envolvem a prática de criar, ler, produzir, construir, exteriorizar e refletir por meio de seis dimensões de conhecimento: criação, crítica, experiência sensível, expressão, fruição e reflexão. Envolver os estudantes na prática dessas manifestações artísticas vai trazer inúmeros benefícios que contribuirão com a formação do indivíduo, além de contemplar, inclusive, o desenvolvimento das habilidades socioemocionais e proporcionar o alto desempenho. Os estudantes que praticam atividades artísticas se tornam capazes de: Desenvolver habilidades motoras, de linguagem e sociais; Desenvolver habilidades que ajudam na resolução de problemas; Melhorar a tomada de decisões e não ter medo de correr riscos; Ter mais criatividade; Desenvolver o pensamento crítico, etc. Estudos reforçam as vantagens de investir nas artes na educação Algumas pesquisas, como a reunião de 62 estudos no relatório Arts Education Partnership, já revelaram que as práticas artísticas, como a música, podem ajudar estudantes a ter mais noções de layout, perspectiva e equilíbrio, o que também ajudaria na integração com conhecimentos de outras disciplinas, como a matemática, além de melhorar a proficiência em leitura e no desenvolvimento cognitivo como um todo, porque permite a organização da escrita e também o entendimento de textos complexos, que são próprios de disciplinas como ciências, por exemplo. Outro aspecto é que a prática da música também ajudaria estudantes que estão aprendendo um segundo idioma. Mais um aspecto positivo de estimular os estudantes à prática das mais variadas manifestações artísticas é que proporcionam melhoria de saúde, afetando positivamente o humor e bem-estar, conforme a pesquisa da Frontiers in Psychology. “A arte gera um prazer desinteressado”, conforme já dizia o filósofo medieval Immanuel Kant (1724-1804). Esse prazer pode surgir na observação ou na elaboração de obras de arte dos estilos mais diversificados, seja pinturas, esculturas ou outras artes visuais, além da música, poesia, literatura e outras formas de expressão artística. Além disso, o estudo também revelou que a arte ajuda a melhorar a memória, diminuir o estresse e também permite uma melhor conexão social. Com isso, os estudantes que participam de programas de arte, ao menos semanalmente, apresentam habilidades orais, de escrita e de matemática superiores, além de um pensamento mais aprimorado na análise e resolução de problemas, com capacidade para desenvolver ideias originais próprias e inovadoras. Essas pesquisas dão base para que pais e profissionais de instituições escolares defendam a prática das artes nas mais variadas fases estudantis. Algumas vantagens de investir nas manifestações artísticas Como desperta muitas sensações e emoções, as artes, também, trazem inúmeros benefícios para o corpo e para a mente: Artes plásticas Essa é, talvez, a primeira expressão artística que muitas crianças passam a conhecer, quando os pais as convidam a desenhar ou pintar com lápis de cor. Com as artes plásticas e visuais, os estudantes são estimulados a praticar as habilidades de observação, senso crítico, criatividade, imaginação e de entendimento do mundo à sua volta. Essas capacidades aumentadas também favorecem o desenvolvimento cognitivo como um todo. Outro aspecto é que as artes plásticas ajudam na psicomotricidade e expressão de sentimentos. Os estudos também demonstram que favorecem o raciocínio sobre imagens científicas, a sofisticação na leitura e interpretação de textos. Música Ouvir música ou praticá-la, acalma, relaxa, alivia dores e estresse, e até estimula a prática de atividades físicas. Além disso, deixar certas músicas ao fundo, enquanto se estuda, também pode elevar o desempenho cognitivo e ajudar na criatividade. A música ativa a descoberta de novos caminhos e conexões cerebrais, por isso, é importante para quem está aprendendo uma nova língua. Dança Já a dança na escola como prática pedagógica, além de ajudar a manter o corpo ativo, permite a ampliação da capacidade de expressão, estimula a socialização, persistência, autoconfiança e autoestima, desenvolve a noção de espaço e equilíbrio, autoconsciência corporal, criatividade e disciplina. Artes cênicas O teatro é uma ferramenta pedagógica muito importante para o desenvolvimento dos estudantes desde o Ensino Fundamental porque também estimula o autoconhecimento e socialização, desenvolve desinibição, autoestima, autoconfiança, autonomia, motricidade, ampliação da memória e concentração, além de aperfeiçoamento da dicção e da melhoria da capacidade de comunicação. As artes no Colégio Planck Entre os núcleos de projetos especiais, o Colégio Planck oferece aos estudantes o Núcleo de Artes, que permite desenvolver e cultivar seus talentos enquanto promove reflexão, cultura e sensibilidade por meio desta linguagem de expressão, por meio das modalidades artísticas: Desenho, Pintura e Escultura; Teatro; Sapateado; Street Dance; Bateria; Piano; Guitarra; Violão; Contrabaixo; Teclado. O Núcleo Planck de Artes proporciona aos estudantes o desenvolvimento e aperfeiçoamento das habilidades sociais, trabalho em equipe, liderança e cooperação. De tempos em tempos, o Colégio realiza eventos que possibilitam que os estudantes apresentem suas conquistas artísticas.
Piano – Colégio Planck

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase.

Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos.

Como o cérebro e a memória funcionam?

A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. 

Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida.

Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos.

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. 

No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória.

Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular.

Leia mais:

➡️ Neurociência: como funciona o cérebro de um adolescente?

Clique e agende uma visita. Matrículas Planck 2024.

Tipos de memórias

Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust,  a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações:

Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado.

Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos.

Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta.

As fases da memória

A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). 

Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas.

Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento,  começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar.

Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases:

Memorização

Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. 

Compreensão

O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar.

Armazenamento

Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro.

Recuperação

O cérebro  organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação.

ebook como unir cultura maker e design thinking

Conheça dicas para exercitar a memória

É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade.

Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular?

Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno.

Treine o seu cérebro
Estudantes Colégio Planck

Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. 

Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes):

Ative sua memória

Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos.

Dê atenção aos detalhes

Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada.

Quando um estudante precisa de apoio na aprendizagem, ele pode passar pelo PAIDA. Neste texto, conheça como funciona esse programa do Colégio Planck. O que é o PAIDA? O PAIDA (Projeto de Acompanhamento Individual de Desempenho Acadêmico) é um programa de apoio e acolhimento, oferecido pelo Colégio Planck para todos os seus estudantes, sejam veteranos ou recém-chegados. O principal objetivo do programa é a aprendizagem dos estudantes. Nele, os estudantes podem aprimorar suas habilidades, superar eventuais dificuldades/lacunas, e ainda se apropriar de métodos de aprendizagem ativa que maximizem ao máximo a autonomia em sala de aula e a rotina de estudos individualizados. O programa vai oferecer os meios para que todos os estudantes desenvolvam habilidades e competências para aprender e aprofundar os objetos de conhecimento dos componentes curriculares. Para tanto, o PAIDA é desenvolvido em três modalidades: Diagnóstico; Orientação e técnicas de estudo; Apoio Pedagógico. Quando um estudante faz a matrícula no Colégio Planck para o 6º ano, ele entra neste programa na modalidade Diagnóstico no semestre anterior ao ano letivo que vai cursar. Por exemplo, os estudantes matriculados para 2023 ano começam as atividades do PAIDA nos próximos meses de agosto e setembro. Para isso, eles são inseridos em um ambiente de aprendizagem virtual, que oferece cadernos de atividades e videoaulas dos componentes curriculares de: Matemática, Língua Portuguesa, Produção Textual e Inglês. O objetivo é mapear as lacunas conceituais das aprendizagens essenciais desses novos estudantes. Diante deste fato, é constatada a necessidade de um trabalho focado nos conteúdos estruturantes e que antecede o ingresso do estudante, de forma paralela ao programa da escola de origem. Essa personalização diagnóstica + atividades de resgate e/ou aprofundamento, permitirá que todos estejam mais preparados para desenvolver todas as suas potencialidades no Colégio Planck no início do ano letivo de 2023. Esse trabalho se estende durante a jornada do estudante com os módulos do projeto. Como é o PAIDA para orientação e técnicas de estudo? Essa modalidade do PAIDA é um projeto ministrado pelo Núcleo de Orientação Educacional do Colégio Planck, mediado nas aulas de Habilidade Socioemocional e Projeto de Vida ao longo do ano letivo. Para isso, os estudantes conhecerão técnicas e ferramentas relacionadas à gestão de tempo, metas de aprendizagem, síntese semanal de estudos e elaboração do plano de estudo individual. O objetivo é que identifiquem hábitos fundamentais para a criação de uma rotina organizada, compreendam a diferença entre intensidade e qualidade do estudo, aprendam a adequar o tempo dedicado aos conteúdos e apliquem técnicas de estudo que tragam maior autonomia e protagonismo à própria aprendizagem. Leia mais: Desenvolvimento do estudante Transição escolar PAIDA para apoio pedagógico O Colégio Planck oferece, no contraturno das aulas curriculares, o Plantão de Dúvidas, que é mais uma possibilidade de suporte à aprendizagem. São atendimentos fixos que ocorrem semanalmente, organizados por componente curricular. Os plantões são são ministrados por professores plantonistas para todos os estudantes, durante todo o ano letivo, inclusive, no processo de recuperação escolar. No Ensino Fundamental, a recuperação é oferecida para as disciplinas da base comum. Já no ensino médio, a recuperação trimestral é para todas as disciplinas da base comum e diversificada. Nos plantões, os estudantes possuem a oportunidade de retomar esses conteúdos e esclarecer dúvidas, tanto para superar as dificuldades de forma individualizada ou em pequenos grupos. Assim, podem melhorar o entendimento e fixar os conteúdos das disciplinas. Conclusão Com o PAIDA, o trabalho do Planck é oferecer a atuação do time de relacionamento e da Educação Pedagógica, identificar os grupos com maior fragilidade, apresentar relatórios para os professores e desenvolver estratégias para a sala de aula e criar atividades complementares visando auxiliar no processo de aprendizagem. Dentro desse aspecto, o olhar atento e cuidadoso da Orientação Educacional durante todo o ano letivo é para sinalizar que o Colégio oportuniza ferramentas para que os estudantes tenham um diálogo franco e aberto com a equipe para expor suas fragilidades e receber a ajuda necessária. Além disso, o Planck também estabelece uma parceria bastante próxima com as famílias para que os pais e responsáveis compartilhem com a instituição de todos os recursos para os estudantes que querem ou precisem superar suas dificuldades de aprendizado.
Estudantes Planck

Associe informações com imagens

Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização.

Faça cálculos mentais

Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar.

Invista em jogos de memorização

Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas.

Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro.

Estudantes – Xadrez – Colégio Planck

Leia e repita as citações

Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais.

Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. 

Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa.

Procure lembrar os detalhes do dia

Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante.

Conclusão

É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios,  também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Leia mais:

➡️ App para estudar

➡️ Como desenvolver a criatividade em crianças e adolescentes

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »