Educação socioemocional para formar adultos mais preparados para lidar com os desafios da vida

Conteúdo

Competências que estão previstas na Base Nacional Comum Curricular, as habilidades socioemocionais desempenham papel fundamental na vida de uma pessoa, em processos que vão muito além da sala de aula. Uma pesquisa realizada na Loyola University Chicago, com 270 mil estudantes do ensino infantil ao médio, demonstrou que as crianças que passaram por programas de aprendizagem socioemocional tiveram melhorias significativas no desempenho acadêmico e no comportamento. Além disso, revelou-se resultados positivos a curto, médio e longo prazo. Vamos ver como o Colégio Planck estimula o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do seu projeto pedagógico. O que são as habilidades socioemocionais? A aprendizagem social e emocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano, é um processo de aquisição de conhecimento e habilidades para: Desenvolver a autoconsciência (reconhecer o impacto das emoções e pensamentos sobre comportamento); Desenvolver o autocontrole (capacidade de regular emoções, pensamentos e comportamentos em diferentes situações); Desenvolver as habilidades interpessoais (necessárias para estabelecer e manter conexões saudáveis), que são vitais para o sucesso na escola, no trabalho e na vida. A cognição está profundamente ligada à emoção. Os desenvolvimentos cognitivo e socioemocional não ocorrem separadamente, ou seja, o aprendizado não pode ocorrer de forma distante dos sentimentos dos estudantes. Toda vez que um estudante necessita resolver um problema, por meio de um projeto, ou no componente curricular de matemática, ou de ciências, por exemplo, as funções executivas e as emoções são ativadas, visando a obtenção da resposta adequada para a tarefa proposta. As habilidades não cognitivas e atributos como trabalho em equipe, maturidade emocional, empatia e outras habilidades interpessoais são tão importantes quanto aprender matemática e português, por exemplo. É preciso oferecer oportunidades para que os estudantes pratiquem e aprimorem essas habilidades em situações reais. Qual a importância de desenvolver habilidades socioemocionais na escola e na vida? O Colégio, além de promover o desenvolvimento acadêmico e cognitivo, também pode se envolver na estimulação das habilidades sociais e emocionais. As habilidades socioemocionais compreendem uma série de competências que são necessárias para que o indivíduo desenvolva mecanismos para aprender a lidar com seu autoconhecimento, com as emoções e interações cotidianas com o meio ao longo da vida, compreendem pontos como: aprender a lidar com suas emoções, desenvolver metas claras para a vida, se relacionar com as outras pessoas e interagir de forma atuante no meio. Apresentam-se como pilares da formação humana que são amplamente valorizados nos ambientes corporativos tanto quanto às formações científico acadêmicas. Desenvolver nos estudantes habilidades como autonomia, tomada de decisão responsável, iniciativa social e trabalho em equipe, são ferramentas que poderão transpor os muros da escola e atuar em suas vidas nas mais diferentes áreas, podendo garantir melhores acessos e, principalmente, melhores oportunidades no futuro. Escolas com perfil metodológico mais arrojado tratam as habilidades socioemocionais não apenas como um projeto, mas como parte de um planejamento pedagógico estruturado, levando os estudantes a vivenciar, em seu dia a dia, as experimentações de autoconhecimento, autogestão, curiosidade, resiliência, tomada de decisão consciente, etc. Essas escolas visualizam seus estudantes de maneira holística, podendo auxiliar no desenvolvimento das suas potencialidades com maior propriedade e garantir maior engajamento nos propósitos. Como o Planck trabalha essas habilidades socioemocionais? O Projeto Político Pedagógico do Planck está fundamentado no desenvolvimento de habilidades e competências de aprendizagem social e de inteligência emocional, porque a equipe pedagógica sabe que tal desenvolvimento produz resultados significativos nas questões acadêmicas, comportamentais, emocionais, sociais e cognitivas dos estudantes. No Colégio, esse processo pode ser observado pelos projetos interdisciplinares, como o Programa Planck de Mentoria, o Clube de Debates, a Academia Sherlock, o Laboratório Maker, além dos temas transversais trabalhados nos componentes curriculares. As habilidades socioemocionais podem ser ensinadas, modeladas e praticadas. Os estudantes não aprendem sozinhos, mas em colaboração com seus professores, na companhia de seus amigos, e com o incentivo de suas famílias. Por isso, é tão importante o envolvimento da família neste processo. Além dos professores, os responsáveis têm um papel duplo a desempenhar na criação de uma criança autoconsciente e respeitosa, que sabe como controlar suas emoções, tomar decisões responsáveis ​​e resolver conflitos de forma não violenta. Em casa, deve haver um esforço para criar um ambiente de confiança, respeito e apoio. É importante lembrar que modelar um comportamento "emocionalmente inteligente" dentro de casa é o primeiro passo para criar filhos emocionalmente inteligentes. Como ajudar a desenvolver as habilidades socioemocionais? Existem muitas maneiras de os responsáveis encorajarem um comportamento emocionalmente inteligente nos filhos. Pequenas ações podem potencializar o trabalho de desenvolvimento destas competências para ter crianças cada vez mais saudáveis emocionalmente. Confira algumas dicas: Ajude seu filho(a) a expressar seus sentimentos; Incentive a compartilhar seus sentimentos e o conforte com suas palavras e ações; Escute sempre, seja um bom ouvinte; Alimente a autoestima de seu filho(a). Uma criança com bom senso de identidade é mais feliz, mais bem ajustada e se sai melhor na escola; Quando seu filho(a) estiver se sentindo frustrado ou inquieto, traçe um plano pode ajudá-lo a se sentir melhor; Respeite as diferenças. Cada criança tem seus próprios talentos e habilidades únicas. Desenvolvimento das habilidades é constante As habilidades são desenvolvidas ao longo da vida, podem e devem ser aprimoradas constantemente. Pela visão do Colégio Planck, não existem seres humanos prontos, acabados, as pessoas estão em constante evolução. É preciso garantir que a evolução caminhe para um autodesenvolvimento e, principalmente, entendendo que esse desenvolvimento pode alterar a própria pessoa e o meio onde vive. Assim, tem-se certeza de que as habilidades socioemocionais estão sendo desenvolvidas da maneira esperada. Para o Colégio Planck, o autoconhecimento é uma ferramenta chave para garantir esse desenvolvimento. Manter-se conectado ao novo, buscar o desenvolvimento constante de suas habilidades, encarar o mundo como um espaço para transformação e agir com determinação e persistência em suas metas, são pequenos pontos que, somados, garantem um processo constante de desenvolvimento socioemocional.

Competências que estão previstas na Base Nacional Comum Curricular, as habilidades socioemocionais desempenham papel fundamental na vida de uma pessoa, em processos que vão muito além da sala de aula.

Uma pesquisa realizada na Loyola University Chicago, com 270 mil estudantes do ensino infantil ao médio, demonstrou que as crianças que passaram por programas de educação socioemocional tiveram melhorias significativas no desempenho acadêmico e no comportamento. Além disso, revelou-se resultados positivos a curto, médio e longo prazo.

Vamos ver como o Colégio Planck estimula o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do seu projeto pedagógico.

O que são as habilidades socioemocionais?

A aprendizagem social e emocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano, é um processo de aquisição de conhecimento e habilidades para:

  • Desenvolver a autoconsciência (reconhecer o impacto das emoções e pensamentos sobre comportamento);
  • Desenvolver o autocontrole (capacidade de regular emoções, pensamentos e comportamentos em diferentes situações);
  • Desenvolver as habilidades interpessoais (necessárias para estabelecer e manter conexões saudáveis), que são vitais para o sucesso na escola, no trabalho e na vida.

A cognição está profundamente ligada à emoção.  Os desenvolvimentos cognitivo e socioemocional não ocorrem separadamente, ou seja, o aprendizado não pode ocorrer de forma distante dos sentimentos dos estudantes. 

Toda vez que um estudante necessita resolver um problema, por meio de um projeto, ou no componente curricular de matemática, ou de ciências, por exemplo, as funções executivas e as emoções são ativadas, visando a obtenção da resposta adequada para a tarefa proposta.

As habilidades não cognitivas e atributos como trabalho em equipe, maturidade emocional, empatia e outras habilidades interpessoais são tão importantes quanto aprender matemática e português, por exemplo. É preciso oferecer oportunidades para que os estudantes pratiquem e aprimorem essas habilidades em situações reais.

Competências que estão previstas na Base Nacional Comum Curricular, as habilidades socioemocionais desempenham papel fundamental na vida de uma pessoa, em processos que vão muito além da sala de aula. Uma pesquisa realizada na Loyola University Chicago, com 270 mil estudantes do ensino infantil ao médio, demonstrou que as crianças que passaram por programas de aprendizagem socioemocional tiveram melhorias significativas no desempenho acadêmico e no comportamento. Além disso, revelou-se resultados positivos a curto, médio e longo prazo. Vamos ver como o Colégio Planck estimula o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do seu projeto pedagógico. O que são as habilidades socioemocionais? A aprendizagem social e emocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano, é um processo de aquisição de conhecimento e habilidades para: Desenvolver a autoconsciência (reconhecer o impacto das emoções e pensamentos sobre comportamento); Desenvolver o autocontrole (capacidade de regular emoções, pensamentos e comportamentos em diferentes situações); Desenvolver as habilidades interpessoais (necessárias para estabelecer e manter conexões saudáveis), que são vitais para o sucesso na escola, no trabalho e na vida. A cognição está profundamente ligada à emoção. Os desenvolvimentos cognitivo e socioemocional não ocorrem separadamente, ou seja, o aprendizado não pode ocorrer de forma distante dos sentimentos dos estudantes. Toda vez que um estudante necessita resolver um problema, por meio de um projeto, ou no componente curricular de matemática, ou de ciências, por exemplo, as funções executivas e as emoções são ativadas, visando a obtenção da resposta adequada para a tarefa proposta. As habilidades não cognitivas e atributos como trabalho em equipe, maturidade emocional, empatia e outras habilidades interpessoais são tão importantes quanto aprender matemática e português, por exemplo. É preciso oferecer oportunidades para que os estudantes pratiquem e aprimorem essas habilidades em situações reais. Qual a importância de desenvolver habilidades socioemocionais na escola e na vida? O Colégio, além de promover o desenvolvimento acadêmico e cognitivo, também pode se envolver na estimulação das habilidades sociais e emocionais. As habilidades socioemocionais compreendem uma série de competências que são necessárias para que o indivíduo desenvolva mecanismos para aprender a lidar com seu autoconhecimento, com as emoções e interações cotidianas com o meio ao longo da vida, compreendem pontos como: aprender a lidar com suas emoções, desenvolver metas claras para a vida, se relacionar com as outras pessoas e interagir de forma atuante no meio. Apresentam-se como pilares da formação humana que são amplamente valorizados nos ambientes corporativos tanto quanto às formações científico acadêmicas. Desenvolver nos estudantes habilidades como autonomia, tomada de decisão responsável, iniciativa social e trabalho em equipe, são ferramentas que poderão transpor os muros da escola e atuar em suas vidas nas mais diferentes áreas, podendo garantir melhores acessos e, principalmente, melhores oportunidades no futuro. Escolas com perfil metodológico mais arrojado tratam as habilidades socioemocionais não apenas como um projeto, mas como parte de um planejamento pedagógico estruturado, levando os estudantes a vivenciar, em seu dia a dia, as experimentações de autoconhecimento, autogestão, curiosidade, resiliência, tomada de decisão consciente, etc. Essas escolas visualizam seus estudantes de maneira holística, podendo auxiliar no desenvolvimento das suas potencialidades com maior propriedade e garantir maior engajamento nos propósitos. Como o Planck trabalha essas habilidades socioemocionais? O Projeto Político Pedagógico do Planck está fundamentado no desenvolvimento de habilidades e competências de aprendizagem social e de inteligência emocional, porque a equipe pedagógica sabe que tal desenvolvimento produz resultados significativos nas questões acadêmicas, comportamentais, emocionais, sociais e cognitivas dos estudantes. No Colégio, esse processo pode ser observado pelos projetos interdisciplinares, como o Programa Planck de Mentoria, o Clube de Debates, a Academia Sherlock, o Laboratório Maker, além dos temas transversais trabalhados nos componentes curriculares. As habilidades socioemocionais podem ser ensinadas, modeladas e praticadas. Os estudantes não aprendem sozinhos, mas em colaboração com seus professores, na companhia de seus amigos, e com o incentivo de suas famílias. Por isso, é tão importante o envolvimento da família neste processo. Além dos professores, os responsáveis têm um papel duplo a desempenhar na criação de uma criança autoconsciente e respeitosa, que sabe como controlar suas emoções, tomar decisões responsáveis ​​e resolver conflitos de forma não violenta. Em casa, deve haver um esforço para criar um ambiente de confiança, respeito e apoio. É importante lembrar que modelar um comportamento "emocionalmente inteligente" dentro de casa é o primeiro passo para criar filhos emocionalmente inteligentes. Como ajudar a desenvolver as habilidades socioemocionais? Existem muitas maneiras de os responsáveis encorajarem um comportamento emocionalmente inteligente nos filhos. Pequenas ações podem potencializar o trabalho de desenvolvimento destas competências para ter crianças cada vez mais saudáveis emocionalmente. Confira algumas dicas: Ajude seu filho(a) a expressar seus sentimentos; Incentive a compartilhar seus sentimentos e o conforte com suas palavras e ações; Escute sempre, seja um bom ouvinte; Alimente a autoestima de seu filho(a). Uma criança com bom senso de identidade é mais feliz, mais bem ajustada e se sai melhor na escola; Quando seu filho(a) estiver se sentindo frustrado ou inquieto, traçe um plano pode ajudá-lo a se sentir melhor; Respeite as diferenças. Cada criança tem seus próprios talentos e habilidades únicas. Desenvolvimento das habilidades é constante As habilidades são desenvolvidas ao longo da vida, podem e devem ser aprimoradas constantemente. Pela visão do Colégio Planck, não existem seres humanos prontos, acabados, as pessoas estão em constante evolução. É preciso garantir que a evolução caminhe para um autodesenvolvimento e, principalmente, entendendo que esse desenvolvimento pode alterar a própria pessoa e o meio onde vive. Assim, tem-se certeza de que as habilidades socioemocionais estão sendo desenvolvidas da maneira esperada. Para o Colégio Planck, o autoconhecimento é uma ferramenta chave para garantir esse desenvolvimento. Manter-se conectado ao novo, buscar o desenvolvimento constante de suas habilidades, encarar o mundo como um espaço para transformação e agir com determinação e persistência em suas metas, são pequenos pontos que, somados, garantem um processo constante de desenvolvimento socioemocional.

Qual a importância de desenvolver habilidades socioemocionais na escola e na vida?

O Colégio, além de promover o desenvolvimento acadêmico e cognitivo, também pode se envolver na educação socioemocional.

As habilidades socioemocionais compreendem uma série de competências que são necessárias para que o indivíduo desenvolva mecanismos para aprender a lidar com seu autoconhecimento, com as emoções e interações cotidianas com o meio ao longo da vida, compreendem pontos como: aprender a lidar com suas emoções, desenvolver metas claras para a vida, se relacionar com as outras pessoas e interagir de forma atuante no meio.

Apresentam-se como pilares da formação humana que são amplamente valorizados nos ambientes corporativos tanto quanto às formações científico acadêmicas.

Desenvolver nos estudantes habilidades como autonomia, tomada de decisão responsável, iniciativa social e trabalho em equipe, são ferramentas que poderão transpor os muros da escola e atuar em suas vidas nas mais diferentes áreas, podendo garantir melhores acessos e, principalmente, melhores oportunidades no futuro.

Escolas com perfil metodológico mais arrojado tratam as habilidades socioemocionais não apenas como um projeto, mas como parte de um planejamento pedagógico estruturado, levando os estudantes a vivenciar, em seu dia a dia, as experimentações de autoconhecimento, autogestão, curiosidade, resiliência, tomada de decisão consciente, etc.

Essas escolas visualizam seus estudantes de maneira holística, podendo auxiliar no desenvolvimento das suas potencialidades com maior propriedade e garantir maior engajamento nos propósitos.

Leia também:

➡️ Inteligência Emocional nas escolas? Sim, por favor!

Como o Planck trabalha a educação socioemocional?

O Projeto Político Pedagógico do Planck está fundamentado no desenvolvimento de habilidades e competências de aprendizagem social e de inteligência emocional, porque a equipe pedagógica sabe que tal desenvolvimento produz resultados significativos nas questões acadêmicas, comportamentais, emocionais, sociais e cognitivas dos estudantes.

No Colégio, esse processo pode ser observado pelos projetos interdisciplinares, como  o Programa Planck de Mentoria, o Clube de Debates, a Academia Sherlock, o Laboratório Maker, além dos temas transversais trabalhados nos componentes curriculares.

As habilidades socioemocionais podem ser ensinadas, modeladas e praticadas. Os estudantes não aprendem sozinhos, mas em colaboração com seus professores, na companhia de seus amigos, e com o incentivo de suas famílias. Por isso, é tão importante o envolvimento da família neste processo.

Além dos professores, os responsáveis têm um papel duplo a desempenhar na criação de uma criança autoconsciente e respeitosa, que sabe como controlar suas emoções, tomar decisões responsáveis ​​e resolver conflitos de forma não violenta.

Em casa, deve haver um esforço para criar um ambiente de confiança, respeito e apoio. É importante lembrar que modelar um comportamento “emocionalmente inteligente” dentro de casa é o primeiro passo para criar filhos emocionalmente inteligentes. 

Competências que estão previstas na Base Nacional Comum Curricular, as habilidades socioemocionais desempenham papel fundamental na vida de uma pessoa, em processos que vão muito além da sala de aula. Uma pesquisa realizada na Loyola University Chicago, com 270 mil estudantes do ensino infantil ao médio, demonstrou que as crianças que passaram por programas de aprendizagem socioemocional tiveram melhorias significativas no desempenho acadêmico e no comportamento. Além disso, revelou-se resultados positivos a curto, médio e longo prazo. Vamos ver como o Colégio Planck estimula o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, que é um dos pilares do seu projeto pedagógico. O que são as habilidades socioemocionais? A aprendizagem social e emocional é parte integrante da educação e do desenvolvimento humano, é um processo de aquisição de conhecimento e habilidades para: Desenvolver a autoconsciência (reconhecer o impacto das emoções e pensamentos sobre comportamento); Desenvolver o autocontrole (capacidade de regular emoções, pensamentos e comportamentos em diferentes situações); Desenvolver as habilidades interpessoais (necessárias para estabelecer e manter conexões saudáveis), que são vitais para o sucesso na escola, no trabalho e na vida. A cognição está profundamente ligada à emoção. Os desenvolvimentos cognitivo e socioemocional não ocorrem separadamente, ou seja, o aprendizado não pode ocorrer de forma distante dos sentimentos dos estudantes. Toda vez que um estudante necessita resolver um problema, por meio de um projeto, ou no componente curricular de matemática, ou de ciências, por exemplo, as funções executivas e as emoções são ativadas, visando a obtenção da resposta adequada para a tarefa proposta. As habilidades não cognitivas e atributos como trabalho em equipe, maturidade emocional, empatia e outras habilidades interpessoais são tão importantes quanto aprender matemática e português, por exemplo. É preciso oferecer oportunidades para que os estudantes pratiquem e aprimorem essas habilidades em situações reais. Qual a importância de desenvolver habilidades socioemocionais na escola e na vida? O Colégio, além de promover o desenvolvimento acadêmico e cognitivo, também pode se envolver na estimulação das habilidades sociais e emocionais. As habilidades socioemocionais compreendem uma série de competências que são necessárias para que o indivíduo desenvolva mecanismos para aprender a lidar com seu autoconhecimento, com as emoções e interações cotidianas com o meio ao longo da vida, compreendem pontos como: aprender a lidar com suas emoções, desenvolver metas claras para a vida, se relacionar com as outras pessoas e interagir de forma atuante no meio. Apresentam-se como pilares da formação humana que são amplamente valorizados nos ambientes corporativos tanto quanto às formações científico acadêmicas. Desenvolver nos estudantes habilidades como autonomia, tomada de decisão responsável, iniciativa social e trabalho em equipe, são ferramentas que poderão transpor os muros da escola e atuar em suas vidas nas mais diferentes áreas, podendo garantir melhores acessos e, principalmente, melhores oportunidades no futuro. Escolas com perfil metodológico mais arrojado tratam as habilidades socioemocionais não apenas como um projeto, mas como parte de um planejamento pedagógico estruturado, levando os estudantes a vivenciar, em seu dia a dia, as experimentações de autoconhecimento, autogestão, curiosidade, resiliência, tomada de decisão consciente, etc. Essas escolas visualizam seus estudantes de maneira holística, podendo auxiliar no desenvolvimento das suas potencialidades com maior propriedade e garantir maior engajamento nos propósitos. Como o Planck trabalha essas habilidades socioemocionais? O Projeto Político Pedagógico do Planck está fundamentado no desenvolvimento de habilidades e competências de aprendizagem social e de inteligência emocional, porque a equipe pedagógica sabe que tal desenvolvimento produz resultados significativos nas questões acadêmicas, comportamentais, emocionais, sociais e cognitivas dos estudantes. No Colégio, esse processo pode ser observado pelos projetos interdisciplinares, como o Programa Planck de Mentoria, o Clube de Debates, a Academia Sherlock, o Laboratório Maker, além dos temas transversais trabalhados nos componentes curriculares. As habilidades socioemocionais podem ser ensinadas, modeladas e praticadas. Os estudantes não aprendem sozinhos, mas em colaboração com seus professores, na companhia de seus amigos, e com o incentivo de suas famílias. Por isso, é tão importante o envolvimento da família neste processo. Além dos professores, os responsáveis têm um papel duplo a desempenhar na criação de uma criança autoconsciente e respeitosa, que sabe como controlar suas emoções, tomar decisões responsáveis ​​e resolver conflitos de forma não violenta. Em casa, deve haver um esforço para criar um ambiente de confiança, respeito e apoio. É importante lembrar que modelar um comportamento "emocionalmente inteligente" dentro de casa é o primeiro passo para criar filhos emocionalmente inteligentes. Como ajudar a desenvolver as habilidades socioemocionais? Existem muitas maneiras de os responsáveis encorajarem um comportamento emocionalmente inteligente nos filhos. Pequenas ações podem potencializar o trabalho de desenvolvimento destas competências para ter crianças cada vez mais saudáveis emocionalmente. Confira algumas dicas: Ajude seu filho(a) a expressar seus sentimentos; Incentive a compartilhar seus sentimentos e o conforte com suas palavras e ações; Escute sempre, seja um bom ouvinte; Alimente a autoestima de seu filho(a). Uma criança com bom senso de identidade é mais feliz, mais bem ajustada e se sai melhor na escola; Quando seu filho(a) estiver se sentindo frustrado ou inquieto, traçe um plano pode ajudá-lo a se sentir melhor; Respeite as diferenças. Cada criança tem seus próprios talentos e habilidades únicas. Desenvolvimento das habilidades é constante As habilidades são desenvolvidas ao longo da vida, podem e devem ser aprimoradas constantemente. Pela visão do Colégio Planck, não existem seres humanos prontos, acabados, as pessoas estão em constante evolução. É preciso garantir que a evolução caminhe para um autodesenvolvimento e, principalmente, entendendo que esse desenvolvimento pode alterar a própria pessoa e o meio onde vive. Assim, tem-se certeza de que as habilidades socioemocionais estão sendo desenvolvidas da maneira esperada. Para o Colégio Planck, o autoconhecimento é uma ferramenta chave para garantir esse desenvolvimento. Manter-se conectado ao novo, buscar o desenvolvimento constante de suas habilidades, encarar o mundo como um espaço para transformação e agir com determinação e persistência em suas metas, são pequenos pontos que, somados, garantem um processo constante de desenvolvimento socioemocional.

Como ajudar a desenvolver as habilidades socioemocionais?

Existem muitas maneiras de os responsáveis encorajarem um comportamento emocionalmente inteligente nos filhos. 

Pequenas ações podem potencializar o trabalho de desenvolvimento destas competências para ter crianças cada vez mais saudáveis emocionalmente. Confira algumas dicas:

  • Ajude seu filho(a) a expressar seus sentimentos;
  • Incentive a compartilhar seus sentimentos e o conforte com suas palavras e ações;
  • Escute sempre, seja um bom ouvinte;
  • Alimente a autoestima de seu filho(a). Uma criança com bom senso de identidade é mais feliz, mais bem ajustada e se sai melhor na escola;
  • Quando seu filho(a) estiver se sentindo frustrado ou inquieto, traçe um plano pode ajudá-lo a se sentir melhor;
  • Respeite as diferenças. Cada criança tem seus próprios talentos e habilidades únicas. 

ebook a evolução dos processos avaliativos

Desenvolvimento das habilidades é constante

As habilidades são desenvolvidas ao longo da vida, podem e devem ser aprimoradas constantemente. Pela visão do Colégio Planck, não existem seres humanos prontos, acabados, as pessoas estão em constante evolução. 

É preciso garantir que a evolução caminhe para um autodesenvolvimento e, principalmente, entendendo que esse desenvolvimento pode alterar a própria pessoa e o meio onde vive. Assim, tem-se certeza de que as habilidades socioemocionais estão sendo desenvolvidas da maneira esperada.

Para o Colégio Planck, o autoconhecimento é uma ferramenta chave para garantir esse desenvolvimento. 

Manter-se conectado ao novo, buscar o desenvolvimento constante de suas habilidades, encarar o mundo como um espaço para transformação e agir com determinação e persistência em suas metas, são pequenos pontos que, somados, garantem um processo constante de desenvolvimento socioemocional.

Leia mais:

➡️ Definição de carreira para estudantes com múltiplos interesses

➡️ As diferentes inteligências e a abordagem do Colégio para desenvolvê-las 

Compartilhe:

Leia também:

Um tema que vem levantando muitas dúvidas em pais e estudantes sobre cronograma, estrutura e até conteúdos, é o Novo Ensino Médio, que entra em vigor a partir de 2022 . Veja nesse texto o que muda no Colégio Planck para quem está ingressando nesta etapa escolar. Novo Ensino Médio: quais são os principais tópicos? Foi a Lei nº 13.415/2017 que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para estabelecer uma mudança na estrutura do Ensino Médio. Nesta alteração ficou definida uma ampliação do tempo mínimo dos estudantes na escola e uma nova organização curricular. A primeira grande alteração para 2022 é que a estrutura pedagógica no Ensino Médio será dividida em 2 partes: a formação geral básica (FGB) e os itinerários formativos e unidades eletivas. O primeiro tem foco nas áreas de conhecimento (Ciências Humanas, Matemática, Linguagens e Ciências da Natureza), que serão obrigatórias para todos os estudantes. Nos itinerários formativos e unidades eletivas estão previstas disciplinas que terão a ver com os seus interesses, acadêmicos e ou profissionais. Essa mudança também oferece um maior protagonismo ao estudante, ao escolher suas áreas eletivas, e também dá a ele uma oportunidade de desenvolver seu projeto de vida, que é uma competência já prevista pela BNCC. Contextualizando a mudança O Colégio Planck já nasceu com um viés contemporâneo, com um DNA tecnológico, e oferece a seus estudantes uma carga eletiva intensa, com mais de 38 disciplinas, divididas em 6 núcleos, que atraem os mais diferentes perfis. Desde o Ensino Fundamental Anos Finais, a bagagem diversificada oferecida pelo Colégio é diferenciada. São aulas como Laboratório Maker, Academia Sherlock, idiomas que apresentam uma carga horária maior, assim como outros projetos que visam a ampliação dos horizontes dos estudantes. A carga extracurricular do Ensino Médio no Colégio Planck conta com disciplinas eletivas como Startup & Empreendedorismo, Maker, Olimpíadas de Conhecimento, PGG, etc. Além disso, o terceiro ano é direcionado também às áreas de conhecimento focadas no vestibular e na definição de carreira, com um processo intenso de simulados e orientação educacional individualizada . Porém, o novo Ensino Médio vai permitir que uma ampliação dessa grade diversificada traga uma outra perspectiva para os estudantes das primeiras e segundas séries. Neste momento, entram novas palavras no vocabulário deles, como itinerários e trilhas. Atualmente, os estudantes da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio têm 6 aulas pela manhã (segunda a sexta); provas e atividades complementares e eletivas, que são realizadas no período da tarde. São 30 aulas semanais. A carga atual, então, é de 1.200 horas/aulas por ano, o que também acontece para o 9º ano do Ensino Fundamental. Já na 3ª série do Ensino Médio, a carga é de até 1.440 horas ao ano, porque os estudantes também têm aulas aos sábados. O que acontece a partir de 2022? A partir de 2022, essa carga horária será diferente: para a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, serão 800 horas para a Formação Geral Básica (FGB) e mais 200 horas de itinerários, que serão as trilhas escolhidas pelos estudantes. O que vai ocorrer é que serão 24 horas aula/semanais dedicadas à FGB e seis horas dedicadas para os itinerários. Com essa nova carga, a partir de 2022, a mudança será na sexta-feira de todas as semanas, quando os estudantes irão participar das aulas diversificadas. No entanto, a 3ª série do Ensino Médio não vai sofrer alteração na carga horária, pelo menos até 2023. Como ficam as aulas regulares? Embora tenha havido uma redução de aulas nas áreas de conhecimento específicas, o certo é que no Colégio Planck não haverá prejuízo no conteúdo, que continuará consistente, estruturado e completo. Será uma nova carga com estudo de curadoria. A essência de alto desempenho do Colégio será mantida. Essa nova carga horária vai continuar proporcionando aos estudantes a compreensão dos conteúdos pedagógicos e científicos. Além disso, serão garantidos todos os conteúdos básicos para ENEM, vestibulares do Brasil e applications para universidades internacionais. O que ocorre é que, no formato atual, muitas vezes, os estudantes têm um conteúdo muito detalhado de cada área de conhecimento, mas, nem sempre, essas informações estão associadas aos interesses pessoais de cada um. A mudança do Ensino Médio dá essa liberdade de escolha ao estudante. Nesse novo formato, os estudantes terão uma aula de Projeto de Vida, que será direcionado por profissionais da Orientação Pedagógica e/ou outros profissionais convidados. A aula será desenvolvida em 3 dimensões: Pessoal (autoconhecimento, autoaceitação e autoestima); Social (relações interpessoais); Profissional (mundo profissional). Matriz socioemocional do Planck ganha mais destaque Além do eixo acadêmico e rigor pedagógico, o desenvolvimento socioemocional é um dos pilares do Colégio Planck. Com esse novo formato para o Ensino Médio, essas habilidades e competências, que estão dispostas em 4 eixos, ganham destaque: abertura ao novo, resiliência emocional, autogestão e amabilidade e engajamento. Esse desenvolvimento vai ganhar muita presença nos itinerários formativos e no Projeto de Vida. Para se ter uma ideia de como será esse processo, o Projeto de Vida, que entra na grade da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, será uma aula que tem 3 grandes objetivos, que são: trabalhar o autoconhecimento, desenvolvimento da autonomia e escolhas profissionais e escolhas de futuro. Ao se conhecer, acreditar no próprio potencial e ter um repertório amplo, ele terá um alicerce que vai ajudá-lo a desenvolver os seus sonhos. Essa aula vai ajudar o estudante a conhecer e esclarecer suas dúvidas sobre áreas, aprender a pesquisar sobre carreiras, mercado de trabalho e tendências, para entender mais sobre esses tópicos e para ir ao encontro dos seus sonhos. O trabalho individual da Orientação Educacional permanece, porém, a aula vai trazer soluções de forma coletiva. Como serão os itinerários informativos por áreas de conhecimento? Em relação às aulas que serão oferecidas às sextas, sobre os itinerários informativos, nas áreas de conhecimento, o estudante poderá escolher conteúdos de Matemática, Linguagens, Ciências da Natureza e Ciências Humanas, de acordo com a área que mais se identificar. Os eixos estruturantes dos itinerários formativos não visam ter mais aulas de uma determinada disciplina, não se tratam apenas de mais aulas teóricas, mas sim usar determinadas áreas de conhecimento como alicerce. São aulas que vão responder ao estudante onde ele vai empregar aquele determinado conhecimento em sua vida. Essas trilhas irão estimular o protagonismo dos estudantes e possibilitar o desenvolvimento de aspectos importantes, como: Investigação científica, que vai aprofundar os principais conceitos de cada área; Estimular os processos criativos; Realizar uma mediação e intervenção sociocultural; Empreendedorismo. Focando nestes 4 principais aspectos, esses conteúdos foram criados, em sua maioria, pela equipe pedagógica interna do Planck, e também com um material de apoio do SAS. Nestas aulas não haverá provas, recuperação ou repetência, mas sim a entrega semestral de um projeto, com 3 marcadores de entrega. Essas notas irão compor o histórico do estudante. A cada semestre, o estudante irá escolher uma das áreas de conhecimento, e fazer inscrições em cada um dos pacotes de aulas. Cada área é composta por 3 trilhas, cada uma com 2 horas-aulas. O Planck vai oferecer 24 opções de trilhas anuais e multisseriadas, que vão complementar as diferentes áreas de conhecimento. São: 1º Semestre Matemáticas e suas tecnologias Fechando a conta: desenvolvendo a consciência financeira; Design gráfico; A Matemática da Inteligência Artificial. Humanidades e suas tecnologias Mundo em movimento: explorando fatos e contextos; Cidadania e direitos fundamentais; História do pensamento humano. Ciências da Natureza e suas tecnologias Ambiente-se: escolhas de hoje para viver o amanhã; Sustentabilidade e desenvolvimento de materiais; Circuito elétricos na prática. Linguagens e suas tecnologias Muito além da influência: argumentação na linguagem; Design de interiores; Revelando mais que a escrita. 2º Semestre Matemáticas e suas tecnologias Problemas em cheque: táticas de resoluções; Processo de decisão e lógicas cotidianas; Funções no mundo: métricas e relações. Humanidades e suas tecnologias Empreendedores Under 20; Constituição e poderes; Políticas públicas (Unesco). Ciências da Natureza e suas tecnologias Investigação forense; Química dos alimentos; História da Ciência. Linguagens e suas tecnologias Strike a pose: nossa vida em rede; Escrita criativa; Sustentabilidade maker (design de móveis). Inscrições para as trilhas começam em novembro Para que os estudantes saibam mais sobre os conteúdos de cada trilha, o Colégio Planck fará uma campanha de divulgação. As inscrições para os itinerários formativos para o primeiro semestre do ano que vem começam já em novembro deste ano. Para o segundo semestre, as inscrições serão em junho de 2022. Cada estudante pode realizar duas áreas iguais ou distintas por ano. No entanto, a escolha precisa ser bem pensada, porque ele não poderá mudar de trilha ao longo do semestre. Vale lembrar que todos os projetos pedagógicos do Colégio Planck, inclusive as atividades eletivas, seguem com sua realização normal, no contraturno das aulas. Conclusão As mudanças que vão ocorrer para o Novo Ensino Médio prometem uma nova dinâmica, porém, com um clima mais leve e descontraído para as sextas-feiras do Colégio. Dentro dessa nova rotina, ocorrerá também maior interação entre as séries, porque durante as trilhas, os estudantes das turmas do 1o e 2o anos estarão em turmas mistas. Além disso, o Novo Ensino Médio do Planck trará mais oportunidades de gerar encantamento nos estudantes, mais colaboração e engajamento nas atividades que norteiam escolhas profissionais e o Colégio vai atuar também como um instrumento de integração com a realidade. Em qualquer mudança no Colégio, o objetivo da equipe Planck é sempre trazer a inovação que vai proporcionar o melhor desenvolvimento de seus estudantes.

Novo Ensino Médio: saiba mais

Um tema que vem levantando muitas dúvidas em pais e estudantes sobre cronograma, estrutura e até conteúdos, é o Novo Ensino Médio, que entra em

Translate »