As diferentes inteligências e a abordagem do Colégio para desenvolvê-las

Conteúdo

A teoria das múltiplas inteligências pode ser desenvolvida na Educação como forma de trabalhar as habilidades do futuro dos adolescentes. O Colégio Planck considera que para um bom desenvolvimento e evolução das múltiplas inteligências no ambiente escolar é importante que a escola pense o indivíduo como um todo, desde seus aspectos maturacionais, sejam eles físico, emocional ou social, até a avaliação de inteligências mais complexas como questionamentos e levantamento de hipóteses sobre si e sobre o mundo. Vamos entender melhor neste post. O que é a teoria das múltiplas inteligências? Foi o psicólogo norte-americano Howard Gardner que desenvolveu a teoria das Múltiplas Inteligências para descrever a inteligência de forma a abordar diferentes aspectos referentes a ela. Esse estudo foi divulgado no livro “Estruturas da Mente”. Mas o que é inteligência? Embora tenha sido definida de maneiras diferentes ao longo da História, uma das definições de inteligência mais recentes parte de Francesc Torralba Rosselló, doutor em Filosofia pela Universidade de Barcelona e autor de livros como “A Inteligência Espiritual no Contexto Escolar”, que a descreve assim:  “Em um sentido puramente etimológico, a palavra inteligência denota a capacidade de discernir, de separar, de peneirar entre as diferentes alternativas e ser capaz de tomar a decisão mais oportuna. Uma pessoa inteligente é, de fato, uma pessoa que sabe separar o essencial do acidental, o valioso do que carece de valor, aquilo de que necessita para desenvolver uma determinada atividade daquilo que é irrelevante para a mesma. A inteligência, em um sentido puramente etimológico, refere-se a esta capacidade de discernimento”. De certa forma, essa definição coincide com uma outra que já havia sido assinada por 52 pesquisadores em inteligência do Mainstream Science on Intelligence em 1994:  “ É uma capacidade mental bastante geral que, entre outras coisas, envolve a habilidade de raciocinar, planejar, resolver problemas, pensar de forma abstrata, compreender ideias complexas, aprender rápido e aprender com a experiência. Não é uma mera aprendizagem literária, uma habilidade estritamente acadêmica ou um talento para sair-se bem em provas. Ao contrário disso, o conceito refere-se a uma capacidade mais ampla e mais profunda de compreensão do mundo à sua volta - 'pegar no ar', 'pegar' o sentido das coisas ou 'perceber' uma coisa." Quais são as múltiplas inteligências Segundo a teoria de Gardner, cada indivíduo apresenta características e tem aspectos mais desenvolvidos de cada tipo de inteligência, que podem sim ser trabalhadas e desenvolvidas, de forma constante e cotidiana. A equipe de Gardner identificou 9 tipos de inteligência que podem fazer parte de uma pessoa. As primeiras 7 foram divulgadas em 1983, já as inteligências naturalista e existencial fizeram parte de um segundo momento de estudos:  Lógico-matemática Esse tipo de inteligência costuma ser a base de testes de QI, focando no pensamento lógico. A principal capacidade de uma pessoa que tem inteligência lógico-matemática é a habilidade de criar e entender padrões e fazer sistematizações, ou seja, a capacidade de resolver equações, fazer cálculos, etc. Podem ser matemáticos, físicos, engenheiros, etc. Linguística Está ligada a uma capacidade de dominar a linguagem e a expressão, tanto oral quanto escrita. Porém, também é ampliada para as diversas formas de comunicação como a expressão corporal e gestual. Pessoas com essa inteligência conseguem transmitir ideias, motivar, ensinar e negociar. Podem ser políticos, CEOs, escritores, cineastas, mestres de cerimônia, etc. Musical É fácil reconhecer quem tem inteligência musical. É a pessoa que tem grande sensibilidade para reconhecer temas melódicos, timbres e tons, além de organizar essas sonoridades de maneira criativa, transformando-as em ritmos. Espacial Com uma grande capacidade de percepção visual, conseguem criar ideias complexas na mente e manipulá-las em qualquer perspectiva, com associação à matemática e criatividade. É uma das inteligências que pessoas da área das artes plásticas, design e arquitetura manifestam, porém, faz parte também de pilotos, cartógrafos e navegadores.  Corporal-cinestésica São pessoas que têm domínio das capacidades motoras, com ampla capacidade de utilizar o próprio corpo para variadas funções porque tem percepção clara do próprio movimento, resistência, peso e posição corporal. É a inteligência dos atletas, bailarinos, artistas circenses, etc. Intrapessoal Quem tem inteligência intrapessoal consegue atingir um grande autoconhecimento porque consegue compreender as próprias emoções, ideais, motivações e valores. Além disso, não negligenciam pontos de melhoria. Por isso, são aptas para as mais variadas atividades, o que é um grande diferencial na vida. Interpessoal São pessoas que conseguem reconhecer motivações, humor, sentimentos e intenções dos outros. Por isso, pessoas que têm essa inteligência podem manifestar grande empatia e ter facilidade com relacionamentos. São pessoas que conseguem fazer mediação de conflitos, ter uma boa postura de líder e se identificar com as necessidades dos outros. Entre os profissionais que têm essa inteligência estão os professores, terapeutas, atores, vendedores e até políticos. Naturalista Esse tipo de inteligência não foi incluída na primeira fase da teoria das Múltiplas Inteligências. A inteligência naturalista pode ser definida como uma forte ligação entre o indivíduo e o meio ambiente, com sentidos aflorados em relação à natureza e tudo o que nela está, como os animais e plantas. Quem tem essa inteligência se identifica com áreas como a biologia, geologia, agricultura, veterinária, ativistas ambientais, entre outras.  Existencial Outro tipo de inteligência que surgiu em um segundo momento, a existencial carrega a habilidade de refletir sobre questões fundamentais a respeito do propósito do ser humano na Terra. Essa é uma característica de filósofos e muitos líderes espirituais. Como o Colégio Planck entende a Teoria das Múltiplas Inteligências? O Colégio Planck entende hoje que o trabalho que valorize as diferentes visões sobre o indivíduo, que demonstre a importância de uma boa atividade física, psicomotora e que auxilie no reconhecimento corporal, no desenvolvimento de aprendizagens mais complexas e consequentemente de aprendizados mais significativos é o caminho para efetivamente atingir o melhor potencial do estudante.  Valorizar cada passo em busca de uma formação holística, que atenda a diferentes aspectos de desenvolvimento, aprendizagem e formação deve ser o olhar de escolas, famílias e sociedade para a formação de cidadãos mais ativos, independentes, íntegros e criativos. As inteligências múltiplas não se apresentam da mesma forma em um indivíduo, algumas se desenvolvem com maior facilidade e outras requerem ser mais trabalhadas, mas é importante lembrar que todas as inteligências têm o seu valor no desenvolvimento do indivíduo. Sendo assim, o trabalho é aprimorar as inteligências mais desenvolvidas e trabalhar no desenvolvimento das inteligências que apresentam maior fragilidade. Essa é a proposta e o desafio que o Colégio se propõe a realizar em seu trabalho cotidiano com os estudantes. Como detectar cada tipo de inteligência no processo pedagógico?  O processo e compreensão das múltiplas inteligências em um ambiente educacional preparado para reconhecer a individualidade e potencialidades dos estudantes, se dá de maneira orgânica, compreendendo potencialidades e explorando um olhar para as deficiências apresentadas. No Colégio Planck, onde o olhar é individualizado para cada estudante, o trabalho pedagógico visa compreender e trabalhar para garantir a eles mais que os conhecimentos científicos. Assim, é possível atuar nas diferentes formas de inteligências apresentadas nos conceitos desenvolvidos pelos professores de Harvard.  Com um ambiente onde o olhar está direcionado para as relações humanas, para as questões de desenvolvimento social, ambiental e emocional, que são relevantes em diferentes contextos e disciplinas, o Colégio Planck realiza um papel significativo no desenvolvimento das inteligências avaliadas. Para tanto, o Colégio possui algumas “ferramentas” para detectá-las, como atividades complementares e eletivas, que garantem aos estudantes possibilidade de escolha por interesse, tanto de habilidade como para desenvolvimento pessoal, garantindo aos estudantes possibilidades ainda maiores de trabalhar diferentes inteligências e estarem mais preparados para o seu futuro profissional e social. Inteligências são desenvolvidas ao longo da vida As múltiplas inteligências é uma teoria que aborda o ser humano em diferentes etapas de seu desenvolvimento. Desta forma, o trabalho é constante para desenvolver as diferentes habilidades em diferentes momentos da vida.  Assim como não somos seres perfeitos, as inteligências não serão desenvolvidas de forma linear e regular. É importante que seja respeitado o tempo, a condição física e emocional de cada estudante para que suas inteligências sejam desenvolvidas. Neste momento, é importante uma parceria entre família e escola, para que seja ofertado e cobrado do estudante o seu melhor, o melhor que ele for capaz de apresentar em cada uma de suas inteligências.

A teoria das múltiplas inteligências pode ser desenvolvida na Educação como forma de trabalhar as habilidades do futuro dos adolescentes.

O Colégio Planck considera que para um bom desenvolvimento e evolução das múltiplas inteligências no ambiente escolar é importante que a escola pense o indivíduo como um todo, desde seus aspectos maturacionais, sejam eles físico, emocional ou social, até a avaliação de inteligências mais complexas como questionamentos e levantamento de hipóteses sobre si e sobre o mundo.

Vamos entender melhor neste post.

O que é a teoria das múltiplas inteligências?

Foi o psicólogo norte-americano Howard Gardner que desenvolveu a teoria das Múltiplas Inteligências para descrever a inteligência de forma a abordar diferentes aspectos referentes a ela. Esse estudo foi divulgado no livro “Estruturas da Mente”.

Mas o que é inteligência?

Embora tenha sido definida de maneiras diferentes ao longo da História, uma das definições de inteligência mais recentes parte de Francesc Torralba Rosselló, doutor em Filosofia pela Universidade de Barcelona e autor de livros como “A Inteligência Espiritual no Contexto Escolar”, que a descreve assim: 

“Em um sentido puramente etimológico, a palavra inteligência denota a capacidade de discernir, de separar, de peneirar entre as diferentes alternativas e ser capaz de tomar a decisão mais oportuna. Uma pessoa inteligente é, de fato, uma pessoa que sabe separar o essencial do acidental, o valioso do que carece de valor, aquilo de que necessita para desenvolver uma determinada atividade daquilo que é irrelevante para a mesma. A inteligência, em um sentido puramente etimológico, refere-se a esta capacidade de discernimento”.

De certa forma, essa definição coincide com uma outra que já havia sido assinada por 52 pesquisadores em inteligência do Mainstream Science on Intelligence em 1994: 

“ É uma capacidade mental bastante geral que, entre outras coisas, envolve a habilidade de raciocinar, planejar, resolver problemas, pensar de forma abstrata, compreender ideias complexas, aprender rápido e aprender com a experiência. Não é uma mera aprendizagem literária, uma habilidade estritamente acadêmica ou um talento para sair-se bem em provas. Ao contrário disso, o conceito refere-se a uma capacidade mais ampla e mais profunda de compreensão do mundo à sua volta – ‘pegar no ar’, ‘pegar’ o sentido das coisas ou ‘perceber’ uma coisa.”

A teoria das múltiplas inteligências pode ser desenvolvida na Educação como forma de trabalhar as habilidades do futuro dos adolescentes. O Colégio Planck considera que para um bom desenvolvimento e evolução das múltiplas inteligências no ambiente escolar é importante que a escola pense o indivíduo como um todo, desde seus aspectos maturacionais, sejam eles físico, emocional ou social, até a avaliação de inteligências mais complexas como questionamentos e levantamento de hipóteses sobre si e sobre o mundo. Vamos entender melhor neste post. O que é a teoria das múltiplas inteligências? Foi o psicólogo norte-americano Howard Gardner que desenvolveu a teoria das Múltiplas Inteligências para descrever a inteligência de forma a abordar diferentes aspectos referentes a ela. Esse estudo foi divulgado no livro “Estruturas da Mente”. Mas o que é inteligência? Embora tenha sido definida de maneiras diferentes ao longo da História, uma das definições de inteligência mais recentes parte de Francesc Torralba Rosselló, doutor em Filosofia pela Universidade de Barcelona e autor de livros como “A Inteligência Espiritual no Contexto Escolar”, que a descreve assim:  “Em um sentido puramente etimológico, a palavra inteligência denota a capacidade de discernir, de separar, de peneirar entre as diferentes alternativas e ser capaz de tomar a decisão mais oportuna. Uma pessoa inteligente é, de fato, uma pessoa que sabe separar o essencial do acidental, o valioso do que carece de valor, aquilo de que necessita para desenvolver uma determinada atividade daquilo que é irrelevante para a mesma. A inteligência, em um sentido puramente etimológico, refere-se a esta capacidade de discernimento”. De certa forma, essa definição coincide com uma outra que já havia sido assinada por 52 pesquisadores em inteligência do Mainstream Science on Intelligence em 1994:  “ É uma capacidade mental bastante geral que, entre outras coisas, envolve a habilidade de raciocinar, planejar, resolver problemas, pensar de forma abstrata, compreender ideias complexas, aprender rápido e aprender com a experiência. Não é uma mera aprendizagem literária, uma habilidade estritamente acadêmica ou um talento para sair-se bem em provas. Ao contrário disso, o conceito refere-se a uma capacidade mais ampla e mais profunda de compreensão do mundo à sua volta - 'pegar no ar', 'pegar' o sentido das coisas ou 'perceber' uma coisa." Quais são as múltiplas inteligências Segundo a teoria de Gardner, cada indivíduo apresenta características e tem aspectos mais desenvolvidos de cada tipo de inteligência, que podem sim ser trabalhadas e desenvolvidas, de forma constante e cotidiana. A equipe de Gardner identificou 9 tipos de inteligência que podem fazer parte de uma pessoa. As primeiras 7 foram divulgadas em 1983, já as inteligências naturalista e existencial fizeram parte de um segundo momento de estudos:  Lógico-matemática Esse tipo de inteligência costuma ser a base de testes de QI, focando no pensamento lógico. A principal capacidade de uma pessoa que tem inteligência lógico-matemática é a habilidade de criar e entender padrões e fazer sistematizações, ou seja, a capacidade de resolver equações, fazer cálculos, etc. Podem ser matemáticos, físicos, engenheiros, etc. Linguística Está ligada a uma capacidade de dominar a linguagem e a expressão, tanto oral quanto escrita. Porém, também é ampliada para as diversas formas de comunicação como a expressão corporal e gestual. Pessoas com essa inteligência conseguem transmitir ideias, motivar, ensinar e negociar. Podem ser políticos, CEOs, escritores, cineastas, mestres de cerimônia, etc. Musical É fácil reconhecer quem tem inteligência musical. É a pessoa que tem grande sensibilidade para reconhecer temas melódicos, timbres e tons, além de organizar essas sonoridades de maneira criativa, transformando-as em ritmos. Espacial Com uma grande capacidade de percepção visual, conseguem criar ideias complexas na mente e manipulá-las em qualquer perspectiva, com associação à matemática e criatividade. É uma das inteligências que pessoas da área das artes plásticas, design e arquitetura manifestam, porém, faz parte também de pilotos, cartógrafos e navegadores.  Corporal-cinestésica São pessoas que têm domínio das capacidades motoras, com ampla capacidade de utilizar o próprio corpo para variadas funções porque tem percepção clara do próprio movimento, resistência, peso e posição corporal. É a inteligência dos atletas, bailarinos, artistas circenses, etc. Intrapessoal Quem tem inteligência intrapessoal consegue atingir um grande autoconhecimento porque consegue compreender as próprias emoções, ideais, motivações e valores. Além disso, não negligenciam pontos de melhoria. Por isso, são aptas para as mais variadas atividades, o que é um grande diferencial na vida. Interpessoal São pessoas que conseguem reconhecer motivações, humor, sentimentos e intenções dos outros. Por isso, pessoas que têm essa inteligência podem manifestar grande empatia e ter facilidade com relacionamentos. São pessoas que conseguem fazer mediação de conflitos, ter uma boa postura de líder e se identificar com as necessidades dos outros. Entre os profissionais que têm essa inteligência estão os professores, terapeutas, atores, vendedores e até políticos. Naturalista Esse tipo de inteligência não foi incluída na primeira fase da teoria das Múltiplas Inteligências. A inteligência naturalista pode ser definida como uma forte ligação entre o indivíduo e o meio ambiente, com sentidos aflorados em relação à natureza e tudo o que nela está, como os animais e plantas. Quem tem essa inteligência se identifica com áreas como a biologia, geologia, agricultura, veterinária, ativistas ambientais, entre outras.  Existencial Outro tipo de inteligência que surgiu em um segundo momento, a existencial carrega a habilidade de refletir sobre questões fundamentais a respeito do propósito do ser humano na Terra. Essa é uma característica de filósofos e muitos líderes espirituais. Como o Colégio Planck entende a Teoria das Múltiplas Inteligências? O Colégio Planck entende hoje que o trabalho que valorize as diferentes visões sobre o indivíduo, que demonstre a importância de uma boa atividade física, psicomotora e que auxilie no reconhecimento corporal, no desenvolvimento de aprendizagens mais complexas e consequentemente de aprendizados mais significativos é o caminho para efetivamente atingir o melhor potencial do estudante.  Valorizar cada passo em busca de uma formação holística, que atenda a diferentes aspectos de desenvolvimento, aprendizagem e formação deve ser o olhar de escolas, famílias e sociedade para a formação de cidadãos mais ativos, independentes, íntegros e criativos. As inteligências múltiplas não se apresentam da mesma forma em um indivíduo, algumas se desenvolvem com maior facilidade e outras requerem ser mais trabalhadas, mas é importante lembrar que todas as inteligências têm o seu valor no desenvolvimento do indivíduo. Sendo assim, o trabalho é aprimorar as inteligências mais desenvolvidas e trabalhar no desenvolvimento das inteligências que apresentam maior fragilidade. Essa é a proposta e o desafio que o Colégio se propõe a realizar em seu trabalho cotidiano com os estudantes. Como detectar cada tipo de inteligência no processo pedagógico?  O processo e compreensão das múltiplas inteligências em um ambiente educacional preparado para reconhecer a individualidade e potencialidades dos estudantes, se dá de maneira orgânica, compreendendo potencialidades e explorando um olhar para as deficiências apresentadas. No Colégio Planck, onde o olhar é individualizado para cada estudante, o trabalho pedagógico visa compreender e trabalhar para garantir a eles mais que os conhecimentos científicos. Assim, é possível atuar nas diferentes formas de inteligências apresentadas nos conceitos desenvolvidos pelos professores de Harvard.  Com um ambiente onde o olhar está direcionado para as relações humanas, para as questões de desenvolvimento social, ambiental e emocional, que são relevantes em diferentes contextos e disciplinas, o Colégio Planck realiza um papel significativo no desenvolvimento das inteligências avaliadas. Para tanto, o Colégio possui algumas “ferramentas” para detectá-las, como atividades complementares e eletivas, que garantem aos estudantes possibilidade de escolha por interesse, tanto de habilidade como para desenvolvimento pessoal, garantindo aos estudantes possibilidades ainda maiores de trabalhar diferentes inteligências e estarem mais preparados para o seu futuro profissional e social. Inteligências são desenvolvidas ao longo da vida As múltiplas inteligências é uma teoria que aborda o ser humano em diferentes etapas de seu desenvolvimento. Desta forma, o trabalho é constante para desenvolver as diferentes habilidades em diferentes momentos da vida.  Assim como não somos seres perfeitos, as inteligências não serão desenvolvidas de forma linear e regular. É importante que seja respeitado o tempo, a condição física e emocional de cada estudante para que suas inteligências sejam desenvolvidas. Neste momento, é importante uma parceria entre família e escola, para que seja ofertado e cobrado do estudante o seu melhor, o melhor que ele for capaz de apresentar em cada uma de suas inteligências.

Quais são as múltiplas inteligências

Segundo a teoria de Gardner, cada indivíduo apresenta características e tem aspectos mais desenvolvidos de cada tipo de inteligência, que podem sim ser trabalhadas e desenvolvidas, de forma constante e cotidiana.

A equipe de Gardner identificou 9 tipos de inteligência que podem fazer parte de uma pessoa. As primeiras 7 foram divulgadas em 1983, já as inteligências naturalista e existencial fizeram parte de um segundo momento de estudos: 

Segundo a teoria de Gardner, cada indivíduo apresenta características e tem aspectos mais desenvolvidos de cada tipo de inteligência, que podem sim ser trabalhadas e desenvolvidas, de forma constante e cotidiana. A equipe de Gardner identificou 9 tipos de inteligência que podem fazer parte de uma pessoa. As primeiras 7 foram divulgadas em 1983, já as inteligências naturalista e existencial fizeram parte de um segundo momento de estudos:  Lógico-matemática Esse tipo de inteligência costuma ser a base de testes de QI, focando no pensamento lógico. A principal capacidade de uma pessoa que tem inteligência lógico-matemática é a habilidade de criar e entender padrões e fazer sistematizações, ou seja, a capacidade de resolver equações, fazer cálculos, etc. Podem ser matemáticos, físicos, engenheiros, etc. Linguística Está ligada a uma capacidade de dominar a linguagem e a expressão, tanto oral quanto escrita. Porém, também é ampliada para as diversas formas de comunicação como a expressão corporal e gestual. Pessoas com essa inteligência conseguem transmitir ideias, motivar, ensinar e negociar. Podem ser políticos, CEOs, escritores, cineastas, mestres de cerimônia, etc. Musical É fácil reconhecer quem tem inteligência musical. É a pessoa que tem grande sensibilidade para reconhecer temas melódicos, timbres e tons, além de organizar essas sonoridades de maneira criativa, transformando-as em ritmos. Espacial Com uma grande capacidade de percepção visual, conseguem criar ideias complexas na mente e manipulá-las em qualquer perspectiva, com associação à matemática e criatividade. É uma das inteligências que pessoas da área das artes plásticas, design e arquitetura manifestam, porém, faz parte também de pilotos, cartógrafos e navegadores.  Corporal-cinestésica São pessoas que têm domínio das capacidades motoras, com ampla capacidade de utilizar o próprio corpo para variadas funções porque tem percepção clara do próprio movimento, resistência, peso e posição corporal. É a inteligência dos atletas, bailarinos, artistas circenses, etc. Intrapessoal Quem tem inteligência intrapessoal consegue atingir um grande autoconhecimento porque consegue compreender as próprias emoções, ideais, motivações e valores. Além disso, não negligenciam pontos de melhoria. Por isso, são aptas para as mais variadas atividades, o que é um grande diferencial na vida. Interpessoal São pessoas que conseguem reconhecer motivações, humor, sentimentos e intenções dos outros. Por isso, pessoas que têm essa inteligência podem manifestar grande empatia e ter facilidade com relacionamentos. São pessoas que conseguem fazer mediação de conflitos, ter uma boa postura de líder e se identificar com as necessidades dos outros. Entre os profissionais que têm essa inteligência estão os professores, terapeutas, atores, vendedores e até políticos. Naturalista Esse tipo de inteligência não foi incluída na primeira fase da teoria das Múltiplas Inteligências. A inteligência naturalista pode ser definida como uma forte ligação entre o indivíduo e o meio ambiente, com sentidos aflorados em relação à natureza e tudo o que nela está, como os animais e plantas. Quem tem essa inteligência se identifica com áreas como a biologia, geologia, agricultura, veterinária, ativistas ambientais, entre outras.  Existencial Outro tipo de inteligência que surgiu em um segundo momento, a existencial carrega a habilidade de refletir sobre questões fundamentais a respeito do propósito do ser humano na Terra. Essa é uma característica de filósofos e muitos líderes espirituais.

Lógico-matemática

Esse tipo de inteligência costuma ser a base de testes de QI, focando no pensamento lógico. A principal capacidade de uma pessoa que tem inteligência lógico-matemática é a habilidade de criar e entender padrões e fazer sistematizações, ou seja, a capacidade de resolver equações, fazer cálculos, etc. Podem ser matemáticos, físicos, engenheiros, etc.

Linguística

Está ligada a uma capacidade de dominar a linguagem e a expressão, tanto oral quanto escrita. Porém, também é ampliada para as diversas formas de comunicação como a expressão corporal e gestual. Pessoas com essa inteligência conseguem transmitir ideias, motivar, ensinar e negociar. Podem ser políticos, CEOs, escritores, cineastas, mestres de cerimônia, etc.

Musical

É fácil reconhecer quem tem inteligência musical. É a pessoa que tem grande sensibilidade para reconhecer temas melódicos, timbres e tons, além de organizar essas sonoridades de maneira criativa, transformando-as em ritmos.

Espacial

Com uma grande capacidade de percepção visual, conseguem criar ideias complexas na mente e manipulá-las em qualquer perspectiva, com associação à matemática e criatividade.

É uma das inteligências que pessoas da área das artes plásticas, design e arquitetura manifestam, porém, faz parte também de pilotos, cartógrafos e navegadores. 

Corporal-cinestésica

São pessoas que têm domínio das capacidades motoras, com ampla capacidade de utilizar o próprio corpo para variadas funções porque tem percepção clara do próprio movimento, resistência, peso e posição corporal. É a inteligência dos atletas, bailarinos, artistas circenses, etc.

Intrapessoal

Quem tem inteligência intrapessoal consegue atingir um grande autoconhecimento porque consegue compreender as próprias emoções, ideais, motivações e valores. Além disso, não negligenciam pontos de melhoria. Por isso, são aptas para as mais variadas atividades, o que é um grande diferencial na vida.

Interpessoal

São pessoas que conseguem reconhecer motivações, humor, sentimentos e intenções dos outros. Por isso, pessoas que têm essa inteligência podem manifestar grande empatia e ter facilidade com relacionamentos.

São pessoas que conseguem fazer mediação de conflitos, ter uma boa postura de líder e se identificar com as necessidades dos outros. Entre os profissionais que têm essa inteligência estão os professores, terapeutas, atores, vendedores e até políticos.

Naturalista

Esse tipo de inteligência não foi incluída na primeira fase da teoria das Múltiplas Inteligências. A inteligência naturalista pode ser definida como uma forte ligação entre o indivíduo e o meio ambiente, com sentidos aflorados em relação à natureza e tudo o que nela está, como os animais e plantas. Quem tem essa inteligência se identifica com áreas como a biologia, geologia, agricultura, veterinária, ativistas ambientais, entre outras. 

Existencial

Outro tipo de inteligência que surgiu em um segundo momento, a existencial carrega a habilidade de refletir sobre questões fundamentais a respeito do propósito do ser humano na Terra. Essa é uma característica de filósofos e muitos líderes espirituais.

➡️ Profissões do futuro

➡️ Robótica

Como o Colégio Planck entende a Teoria das Múltiplas Inteligências?

O Colégio Planck entende hoje que o trabalho que valorize as diferentes visões sobre o indivíduo, que demonstre a importância de uma boa atividade física, psicomotora e que auxilie no reconhecimento corporal, no desenvolvimento de aprendizagens mais complexas e consequentemente de aprendizados mais significativos é o caminho para efetivamente atingir o melhor potencial do estudante. 

Valorizar cada passo em busca de uma formação holística, que atenda a diferentes aspectos de desenvolvimento, aprendizagem e formação deve ser o olhar de escolas, famílias e sociedade para a formação de cidadãos mais ativos, independentes, íntegros e criativos.

A teoria das múltiplas inteligências pode ser desenvolvida na Educação como forma de trabalhar as habilidades do futuro dos adolescentes. O Colégio Planck considera que para um bom desenvolvimento e evolução das múltiplas inteligências no ambiente escolar é importante que a escola pense o indivíduo como um todo, desde seus aspectos maturacionais, sejam eles físico, emocional ou social, até a avaliação de inteligências mais complexas como questionamentos e levantamento de hipóteses sobre si e sobre o mundo. Vamos entender melhor neste post. O que é a teoria das múltiplas inteligências? Foi o psicólogo norte-americano Howard Gardner que desenvolveu a teoria das Múltiplas Inteligências para descrever a inteligência de forma a abordar diferentes aspectos referentes a ela. Esse estudo foi divulgado no livro “Estruturas da Mente”. Mas o que é inteligência? Embora tenha sido definida de maneiras diferentes ao longo da História, uma das definições de inteligência mais recentes parte de Francesc Torralba Rosselló, doutor em Filosofia pela Universidade de Barcelona e autor de livros como “A Inteligência Espiritual no Contexto Escolar”, que a descreve assim:  “Em um sentido puramente etimológico, a palavra inteligência denota a capacidade de discernir, de separar, de peneirar entre as diferentes alternativas e ser capaz de tomar a decisão mais oportuna. Uma pessoa inteligente é, de fato, uma pessoa que sabe separar o essencial do acidental, o valioso do que carece de valor, aquilo de que necessita para desenvolver uma determinada atividade daquilo que é irrelevante para a mesma. A inteligência, em um sentido puramente etimológico, refere-se a esta capacidade de discernimento”. De certa forma, essa definição coincide com uma outra que já havia sido assinada por 52 pesquisadores em inteligência do Mainstream Science on Intelligence em 1994:  “ É uma capacidade mental bastante geral que, entre outras coisas, envolve a habilidade de raciocinar, planejar, resolver problemas, pensar de forma abstrata, compreender ideias complexas, aprender rápido e aprender com a experiência. Não é uma mera aprendizagem literária, uma habilidade estritamente acadêmica ou um talento para sair-se bem em provas. Ao contrário disso, o conceito refere-se a uma capacidade mais ampla e mais profunda de compreensão do mundo à sua volta - 'pegar no ar', 'pegar' o sentido das coisas ou 'perceber' uma coisa." Quais são as múltiplas inteligências Segundo a teoria de Gardner, cada indivíduo apresenta características e tem aspectos mais desenvolvidos de cada tipo de inteligência, que podem sim ser trabalhadas e desenvolvidas, de forma constante e cotidiana. A equipe de Gardner identificou 9 tipos de inteligência que podem fazer parte de uma pessoa. As primeiras 7 foram divulgadas em 1983, já as inteligências naturalista e existencial fizeram parte de um segundo momento de estudos:  Lógico-matemática Esse tipo de inteligência costuma ser a base de testes de QI, focando no pensamento lógico. A principal capacidade de uma pessoa que tem inteligência lógico-matemática é a habilidade de criar e entender padrões e fazer sistematizações, ou seja, a capacidade de resolver equações, fazer cálculos, etc. Podem ser matemáticos, físicos, engenheiros, etc. Linguística Está ligada a uma capacidade de dominar a linguagem e a expressão, tanto oral quanto escrita. Porém, também é ampliada para as diversas formas de comunicação como a expressão corporal e gestual. Pessoas com essa inteligência conseguem transmitir ideias, motivar, ensinar e negociar. Podem ser políticos, CEOs, escritores, cineastas, mestres de cerimônia, etc. Musical É fácil reconhecer quem tem inteligência musical. É a pessoa que tem grande sensibilidade para reconhecer temas melódicos, timbres e tons, além de organizar essas sonoridades de maneira criativa, transformando-as em ritmos. Espacial Com uma grande capacidade de percepção visual, conseguem criar ideias complexas na mente e manipulá-las em qualquer perspectiva, com associação à matemática e criatividade. É uma das inteligências que pessoas da área das artes plásticas, design e arquitetura manifestam, porém, faz parte também de pilotos, cartógrafos e navegadores.  Corporal-cinestésica São pessoas que têm domínio das capacidades motoras, com ampla capacidade de utilizar o próprio corpo para variadas funções porque tem percepção clara do próprio movimento, resistência, peso e posição corporal. É a inteligência dos atletas, bailarinos, artistas circenses, etc. Intrapessoal Quem tem inteligência intrapessoal consegue atingir um grande autoconhecimento porque consegue compreender as próprias emoções, ideais, motivações e valores. Além disso, não negligenciam pontos de melhoria. Por isso, são aptas para as mais variadas atividades, o que é um grande diferencial na vida. Interpessoal São pessoas que conseguem reconhecer motivações, humor, sentimentos e intenções dos outros. Por isso, pessoas que têm essa inteligência podem manifestar grande empatia e ter facilidade com relacionamentos. São pessoas que conseguem fazer mediação de conflitos, ter uma boa postura de líder e se identificar com as necessidades dos outros. Entre os profissionais que têm essa inteligência estão os professores, terapeutas, atores, vendedores e até políticos. Naturalista Esse tipo de inteligência não foi incluída na primeira fase da teoria das Múltiplas Inteligências. A inteligência naturalista pode ser definida como uma forte ligação entre o indivíduo e o meio ambiente, com sentidos aflorados em relação à natureza e tudo o que nela está, como os animais e plantas. Quem tem essa inteligência se identifica com áreas como a biologia, geologia, agricultura, veterinária, ativistas ambientais, entre outras.  Existencial Outro tipo de inteligência que surgiu em um segundo momento, a existencial carrega a habilidade de refletir sobre questões fundamentais a respeito do propósito do ser humano na Terra. Essa é uma característica de filósofos e muitos líderes espirituais. Como o Colégio Planck entende a Teoria das Múltiplas Inteligências? O Colégio Planck entende hoje que o trabalho que valorize as diferentes visões sobre o indivíduo, que demonstre a importância de uma boa atividade física, psicomotora e que auxilie no reconhecimento corporal, no desenvolvimento de aprendizagens mais complexas e consequentemente de aprendizados mais significativos é o caminho para efetivamente atingir o melhor potencial do estudante.  Valorizar cada passo em busca de uma formação holística, que atenda a diferentes aspectos de desenvolvimento, aprendizagem e formação deve ser o olhar de escolas, famílias e sociedade para a formação de cidadãos mais ativos, independentes, íntegros e criativos. As inteligências múltiplas não se apresentam da mesma forma em um indivíduo, algumas se desenvolvem com maior facilidade e outras requerem ser mais trabalhadas, mas é importante lembrar que todas as inteligências têm o seu valor no desenvolvimento do indivíduo. Sendo assim, o trabalho é aprimorar as inteligências mais desenvolvidas e trabalhar no desenvolvimento das inteligências que apresentam maior fragilidade. Essa é a proposta e o desafio que o Colégio se propõe a realizar em seu trabalho cotidiano com os estudantes. Como detectar cada tipo de inteligência no processo pedagógico?  O processo e compreensão das múltiplas inteligências em um ambiente educacional preparado para reconhecer a individualidade e potencialidades dos estudantes, se dá de maneira orgânica, compreendendo potencialidades e explorando um olhar para as deficiências apresentadas. No Colégio Planck, onde o olhar é individualizado para cada estudante, o trabalho pedagógico visa compreender e trabalhar para garantir a eles mais que os conhecimentos científicos. Assim, é possível atuar nas diferentes formas de inteligências apresentadas nos conceitos desenvolvidos pelos professores de Harvard.  Com um ambiente onde o olhar está direcionado para as relações humanas, para as questões de desenvolvimento social, ambiental e emocional, que são relevantes em diferentes contextos e disciplinas, o Colégio Planck realiza um papel significativo no desenvolvimento das inteligências avaliadas. Para tanto, o Colégio possui algumas “ferramentas” para detectá-las, como atividades complementares e eletivas, que garantem aos estudantes possibilidade de escolha por interesse, tanto de habilidade como para desenvolvimento pessoal, garantindo aos estudantes possibilidades ainda maiores de trabalhar diferentes inteligências e estarem mais preparados para o seu futuro profissional e social. Inteligências são desenvolvidas ao longo da vida As múltiplas inteligências é uma teoria que aborda o ser humano em diferentes etapas de seu desenvolvimento. Desta forma, o trabalho é constante para desenvolver as diferentes habilidades em diferentes momentos da vida.  Assim como não somos seres perfeitos, as inteligências não serão desenvolvidas de forma linear e regular. É importante que seja respeitado o tempo, a condição física e emocional de cada estudante para que suas inteligências sejam desenvolvidas. Neste momento, é importante uma parceria entre família e escola, para que seja ofertado e cobrado do estudante o seu melhor, o melhor que ele for capaz de apresentar em cada uma de suas inteligências.

As inteligências múltiplas não se apresentam da mesma forma em um indivíduo, algumas se desenvolvem com maior facilidade e outras requerem ser mais trabalhadas, mas é importante lembrar que todas as inteligências têm o seu valor no desenvolvimento do indivíduo.

Sendo assim, o trabalho é aprimorar as inteligências mais desenvolvidas e trabalhar no desenvolvimento das inteligências que apresentam maior fragilidade. Essa é a proposta e o desafio que o Colégio se propõe a realizar em seu trabalho cotidiano com os estudantes.

Como detectar cada tipo de inteligência no processo pedagógico? 

O processo e compreensão das múltiplas inteligências em um ambiente educacional preparado para reconhecer a individualidade e potencialidades dos estudantes, se dá de maneira orgânica, compreendendo potencialidades e explorando um olhar para as deficiências apresentadas.

No Colégio Planck, onde o olhar é individualizado para cada estudante, o trabalho pedagógico visa compreender e trabalhar para garantir a eles mais que os conhecimentos científicos. Assim, é possível atuar nas diferentes formas de inteligências apresentadas nos conceitos desenvolvidos pelos professores de Harvard. 

Com um ambiente onde o olhar está direcionado para as relações humanas, para as questões de desenvolvimento social, ambiental e emocional, que são relevantes em diferentes contextos e disciplinas, o Colégio Planck realiza um papel significativo no desenvolvimento das inteligências avaliadas.

Para tanto, o Colégio possui algumas “ferramentas” para detectá-las, como atividades complementares e eletivas, que garantem aos estudantes possibilidade de escolha por interesse, tanto de habilidade como para desenvolvimento pessoal, garantindo aos estudantes possibilidades ainda maiores de trabalhar diferentes inteligências e estarem mais preparados para o seu futuro profissional e social.

ebook como unir cultura maker e design thinking

Inteligências são desenvolvidas ao longo da vida

As múltiplas inteligências é uma teoria que aborda o ser humano em diferentes etapas de seu desenvolvimento. Desta forma, o trabalho é constante para desenvolver as diferentes habilidades em diferentes momentos da vida. 

Assim como não somos seres perfeitos, as inteligências não serão desenvolvidas de forma linear e regular.

É importante que seja respeitado o tempo, a condição física e emocional de cada estudante para que suas inteligências sejam desenvolvidas. Neste momento, é importante uma parceria entre família e escola, para que seja ofertado e cobrado do estudante o seu melhor, o melhor que ele for capaz de apresentar em cada uma de suas inteligências.

➡️ Olimpíada Internacional de Economia

➡️ Protagonismo e Empreendedorismo nos Jovens

Compartilhe:

Leia também:

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Dicas para exercitar a memória

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular

Translate »