Profissões do futuro em um mundo pós-pandemia

Conteúdo

Nos últimos tempos, a tecnologia já estava desenhando um novo formato para o universo das profissões. Porém, com a chegada da pandemia, houve uma verdadeira aceleração das transformações sociais e de mercado. É certo que muitas profissões ligadas ao universo digital vão tomar imensas proporções, porém, outras funções ligadas à área médica e de relações interpessoais também prometem receber um novo destaque. Veja mais neste texto. Estudantes do Ensino Médio ficam de olho nas futuras profissões No Ensino Médio, os estudantes buscam definir as profissões com as quais estão em sintonia. Em princípio, para fazer uma opção para o vestibular, mas, de forma geral, também começam a buscar um rumo para a própria vida. Para quem está entrando na vida adulta, um cenário já era certo antes de março de 2020: a Quarta Revolução Industrial já estava gerando um impacto muito grande no mercado de trabalho, dando grande ênfase para profissões associadas ao universo digital e à Inteligência Artificial. Porém, com a chegada da pandemia, as transformações foram imensamente aceleradas e um novo universo profissional se desvendou. De acordo com o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro, na verdade, o futuro já chegou. O momento demonstra que mais de 80% dos negócios estão sofrendo planos de digitalização para implantação de novas tecnologias e 50% estão acelerando a implantação da automação para algumas funções. O relatório aponta que algumas áreas ganharam grande destaque, com foco muito grande no empreendedorismo. Entre as áreas que estarão em ascensão estão a área da saúde, especialmente, o setor que está ligado com a tecnologia, e carreiras que valorizam o preparo físico. O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma. Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta. Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software. O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade. Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH. Pesquisa aponta tendências até 2028 A multinacional de tecnologia americana Cognizant também encomendou um estudo das principais profissões com futurólogos de mercado com tendências até 2028. O resultado apontou para 21 profissões, algumas com denominações bem interessantes, como alfaiate digital e controlador de tráfego autônomo (gerenciador de veículos autônomos e drones). A ferramenta OOH (Occupational Outlook Handbook) do Bureau of Labor Statistics (BLS) aponta também que profissões ligadas à saúde (foco em genética), tecnologia e preparação e serviço de alimentos (food stylist) estarão entre as mais promissoras. A Indeed, um motor de busca de empregos criado nos Estados Unidos, também apontou algumas profissões que estarão em alta, como os tecnólogos médicos, que são os responsáveis pela manutenção e operação de equipamentos médicos. Enquanto outra profissão que ganha destaque no setor médico é a de fisioterapeuta, que é uma atividade que atua na prevenção e na reabilitação da capacidade física e funcional das pessoas. Por outro lado, o estudo “Projetando 2030: uma visão dividida do futuro”, encomendado pela Dell Technologies Institute For The Future, diz que os estudantes que estão se formando agora vão trabalhar em profissões que ainda sequer existem. Segundo o Instituto, 85% dessas profissões só irão existir em 10 anos. Profissões de destaque segundo a pesquisa da Cognizant Alfaiate digital (profissional de e-commerce que pega medidas de clientes para fazer ajustes em roupas) Analista de cidades cibernéticas Analista de computação quântica Cientistas de dados Chief Trust Officer Coach de saúde financeira Construtor de Realidade Aumentada Consultor fitness Controlador de Tráfego Autônomo Corretor de dados pessoais Curador de memória pessoal Diretor de genoma Especialista em Edge Computing Facilitador de TI Gerente de Ética Gerente de man-machine (faz colaboração entre homem e máquina) Gerente de negócio em IA Oficial de Diversidade (facilitará a produtividade e rentabilidade de uma organização) Sherpa de loja virtual Técnico em saúde informatizada Walker-Talker (profissional que passa tempo com os clientes para ouvir o que eles querem) Previsões do The Future of Jobs Analistas de Inteligência Artificial e Machine Learning Analista de Big Data Analista de Business Intelligence Analista de Tecnologia Arquitetos de Dados Auxiliar de saúde doméstica Business Partner Business Partner em RH Consultor em analytics Consultor de nuvem Desenvolvedores de transporte inteligente Desenvolvedores de desenvolvedores em Python, full stack, Javascript e back Diretor de estratégia Enfermagem Engenheiro de dados Engenheiro de estabilidade de site Engenheiros DevOps Engenheiros de energia Engenheiros de qualidade de software Engenheiro de qualidade Engenheiro de robótica Especialistas em IoT (Internet Of Things) Especialista de e-commerce Especialista em aquisição de talentos Especialistas em sustentabilidade Fisioterapeutas Gerente de conformidade Gerente de Análise de Marketing Guardiões do clima Product owner Tecnólogo médico Habilidades mais buscadas para o século 21 No Relatório Tendências de Capital Humano para 2021, encomendado pela Deloitte, um grupo de empresas de serviços britânica, foi apontado que as organizações precisam ter foco em humanizar as relações de trabalho para crescer. Para isso, devem abraçar três atributos: propósito, perspectiva e potencial. Dentro desses aspectos, especialmente depois da pandemia, algumas tendências estão surgindo: o trabalho projetado para o bem-estar, foco na resiliência para futuros incertos, criação de superequipes com integração da Inteligência Artificial e iniciativas para aumentar o senso de pertencimento dos trabalhadores e gerar mais conexão e engajamento com o ambiente de trabalho (seja presencial ou no home office). Além disso, embora o cenário da Inteligência Artificial esteja ficando cada vez mais nítido, as habilidades que prometem abrir mais portas no mercado de trabalho no século 21 são tipicamente humanas, como: pensamento crítico; inteligência emocional; resiliência; adaptabilidade; capacidade para resolução de problemas complexos. Os profissionais mais valorizados serão aqueles que demonstrarem flexibilidade, criatividade e espírito colaborativo. Conclusão A pandemia promoveu transformações em todos os setores da economia, não só no universo do trabalho. Algumas dessas mudanças tiveram um foco muito positivo, como o aumento da solidariedade entre as pessoas e o desejo por mais conexão (pessoal e virtual). O que percebe-se é que, em todos os aspectos, houve uma grande demanda por habilidades socioemocionais, que fazem parte dos projetos pedagógicos do Colégio Planck. No Colégio, os estudantes são estimulados nas competências e habilidades socioemocionais, em ambientes mais criativos e lúdicos e com novas propostas de ensino, para que desenvolvam mais as suas potencialidades. Com isso, a aposta é que esses alunos ganhem impactos positivos em sua vida pessoal e profissional, sendo pessoas mais criativas, bem-sucedidas e felizes em seu futuro.

Nos últimos tempos, a tecnologia já estava desenhando um novo formato para o universo das profissões do futuro. Porém, com a chegada da pandemia, houve uma verdadeira aceleração das transformações sociais e de mercado.

É certo que muitas profissões ligadas ao universo digital vão tomar imensas proporções, porém, outras funções ligadas à área médica e de relações interpessoais também prometem receber um novo destaque. Veja mais neste texto.

Estudantes do Ensino Médio ficam de olho nas futuras profissões

No Ensino Médio, os estudantes buscam definir as profissões com as quais estão em sintonia. Em princípio, para fazer uma opção para o vestibular, mas, de forma geral, também começam a buscar um rumo para a própria vida.

Para quem está entrando na vida adulta, um cenário já era certo antes de março de 2020: a Quarta Revolução Industrial já estava gerando um impacto muito grande no mercado de trabalho, dando grande ênfase para profissões associadas ao universo digital e à Inteligência Artificial.

Porém, com a chegada da pandemia, as transformações foram imensamente aceleradas e um novo universo profissional se desvendou.

De acordo com o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro, na verdade, o futuro já chegou. Segundo o relatório, criado em parceria com o ADP Research Institute, a pandemia afetou o mercado de trabalho muito mais rápido do que se esperava. O momento demonstra que mais de 80% dos negócios estão sofrendo planos de digitalização para implantação de novas tecnologias e 50% estão acelerando a implantação da automação para algumas funções

Segundo o relatório, em 2025, a automação e uma nova divisão do trabalho entre humanos e máquinas impactarão em 85 milhões de empregos em todo o mundo, em empresas de médio e grande porte em 15 setores e 26 economias.

O relatório Future of Jobs mapeia os empregos e habilidades do futuro, acompanhando o ritmo das mudanças, e divulga esse levantamento sempre no Fórum Econômico. Para o estudo deste ano, o relatório aponta que algumas áreas ganharam grande destaque, com foco muito grande no empreendedorismo.

Entre as áreas que estarão em ascensão estão a área da saúde, especialmente, o setor que está ligado com a tecnologia, e carreiras que valorizam o preparo físico.

Nos últimos tempos, a tecnologia já estava desenhando um novo formato para o universo das profissões. Porém, com a chegada da pandemia, houve uma verdadeira aceleração das transformações sociais e de mercado. É certo que muitas profissões ligadas ao universo digital vão tomar imensas proporções, porém, outras funções ligadas à área médica e de relações interpessoais também prometem receber um novo destaque. Veja mais neste texto. Estudantes do Ensino Médio ficam de olho nas futuras profissões No Ensino Médio, os estudantes buscam definir as profissões com as quais estão em sintonia. Em princípio, para fazer uma opção para o vestibular, mas, de forma geral, também começam a buscar um rumo para a própria vida. Para quem está entrando na vida adulta, um cenário já era certo antes de março de 2020: a Quarta Revolução Industrial já estava gerando um impacto muito grande no mercado de trabalho, dando grande ênfase para profissões associadas ao universo digital e à Inteligência Artificial. Porém, com a chegada da pandemia, as transformações foram imensamente aceleradas e um novo universo profissional se desvendou. De acordo com o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro, na verdade, o futuro já chegou. O momento demonstra que mais de 80% dos negócios estão sofrendo planos de digitalização para implantação de novas tecnologias e 50% estão acelerando a implantação da automação para algumas funções. O relatório aponta que algumas áreas ganharam grande destaque, com foco muito grande no empreendedorismo. Entre as áreas que estarão em ascensão estão a área da saúde, especialmente, o setor que está ligado com a tecnologia, e carreiras que valorizam o preparo físico. O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma. Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta. Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software. O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade. Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH. Pesquisa aponta tendências até 2028 A multinacional de tecnologia americana Cognizant também encomendou um estudo das principais profissões com futurólogos de mercado com tendências até 2028. O resultado apontou para 21 profissões, algumas com denominações bem interessantes, como alfaiate digital e controlador de tráfego autônomo (gerenciador de veículos autônomos e drones). A ferramenta OOH (Occupational Outlook Handbook) do Bureau of Labor Statistics (BLS) aponta também que profissões ligadas à saúde (foco em genética), tecnologia e preparação e serviço de alimentos (food stylist) estarão entre as mais promissoras. A Indeed, um motor de busca de empregos criado nos Estados Unidos, também apontou algumas profissões que estarão em alta, como os tecnólogos médicos, que são os responsáveis pela manutenção e operação de equipamentos médicos. Enquanto outra profissão que ganha destaque no setor médico é a de fisioterapeuta, que é uma atividade que atua na prevenção e na reabilitação da capacidade física e funcional das pessoas. Por outro lado, o estudo “Projetando 2030: uma visão dividida do futuro”, encomendado pela Dell Technologies Institute For The Future, diz que os estudantes que estão se formando agora vão trabalhar em profissões que ainda sequer existem. Segundo o Instituto, 85% dessas profissões só irão existir em 10 anos. Profissões de destaque segundo a pesquisa da Cognizant Alfaiate digital (profissional de e-commerce que pega medidas de clientes para fazer ajustes em roupas) Analista de cidades cibernéticas Analista de computação quântica Cientistas de dados Chief Trust Officer Coach de saúde financeira Construtor de Realidade Aumentada Consultor fitness Controlador de Tráfego Autônomo Corretor de dados pessoais Curador de memória pessoal Diretor de genoma Especialista em Edge Computing Facilitador de TI Gerente de Ética Gerente de man-machine (faz colaboração entre homem e máquina) Gerente de negócio em IA Oficial de Diversidade (facilitará a produtividade e rentabilidade de uma organização) Sherpa de loja virtual Técnico em saúde informatizada Walker-Talker (profissional que passa tempo com os clientes para ouvir o que eles querem) Previsões do The Future of Jobs Analistas de Inteligência Artificial e Machine Learning Analista de Big Data Analista de Business Intelligence Analista de Tecnologia Arquitetos de Dados Auxiliar de saúde doméstica Business Partner Business Partner em RH Consultor em analytics Consultor de nuvem Desenvolvedores de transporte inteligente Desenvolvedores de desenvolvedores em Python, full stack, Javascript e back Diretor de estratégia Enfermagem Engenheiro de dados Engenheiro de estabilidade de site Engenheiros DevOps Engenheiros de energia Engenheiros de qualidade de software Engenheiro de qualidade Engenheiro de robótica Especialistas em IoT (Internet Of Things) Especialista de e-commerce Especialista em aquisição de talentos Especialistas em sustentabilidade Fisioterapeutas Gerente de conformidade Gerente de Análise de Marketing Guardiões do clima Product owner Tecnólogo médico Habilidades mais buscadas para o século 21 No Relatório Tendências de Capital Humano para 2021, encomendado pela Deloitte, um grupo de empresas de serviços britânica, foi apontado que as organizações precisam ter foco em humanizar as relações de trabalho para crescer. Para isso, devem abraçar três atributos: propósito, perspectiva e potencial. Dentro desses aspectos, especialmente depois da pandemia, algumas tendências estão surgindo: o trabalho projetado para o bem-estar, foco na resiliência para futuros incertos, criação de superequipes com integração da Inteligência Artificial e iniciativas para aumentar o senso de pertencimento dos trabalhadores e gerar mais conexão e engajamento com o ambiente de trabalho (seja presencial ou no home office). Além disso, embora o cenário da Inteligência Artificial esteja ficando cada vez mais nítido, as habilidades que prometem abrir mais portas no mercado de trabalho no século 21 são tipicamente humanas, como: pensamento crítico; inteligência emocional; resiliência; adaptabilidade; capacidade para resolução de problemas complexos. Os profissionais mais valorizados serão aqueles que demonstrarem flexibilidade, criatividade e espírito colaborativo. Conclusão A pandemia promoveu transformações em todos os setores da economia, não só no universo do trabalho. Algumas dessas mudanças tiveram um foco muito positivo, como o aumento da solidariedade entre as pessoas e o desejo por mais conexão (pessoal e virtual). O que percebe-se é que, em todos os aspectos, houve uma grande demanda por habilidades socioemocionais, que fazem parte dos projetos pedagógicos do Colégio Planck. No Colégio, os estudantes são estimulados nas competências e habilidades socioemocionais, em ambientes mais criativos e lúdicos e com novas propostas de ensino, para que desenvolvam mais as suas potencialidades. Com isso, a aposta é que esses alunos ganhem impactos positivos em sua vida pessoal e profissional, sendo pessoas mais criativas, bem-sucedidas e felizes em seu futuro.

O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma.

Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta.

Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software.

O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade.

Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH.

Pesquisa aponta tendências até 2028

A multinacional de tecnologia americana Cognizant também encomendou um estudo das principais profissões com futurólogos de mercado com tendências até 2028. O resultado apontou para 21 profissões do futuro, algumas com denominações bem interessantes, como alfaiate digital e controlador de tráfego autônomo (gerenciador de veículos autônomos e drones).

A Cognizant é líder mundial mundial em tecnologia e negócios, fez esse levantamento com base em análises e insights coletados nos 10 anos de trabalho do Center for the Future of Work (CFoW – Centro para o Futuro do Trabalho) da empresa.

A publicação OOH (Occupational Outlook Handbook) do Bureau of Labor Statistics (BLS) aponta também que profissões ligadas à saúde (foco em genética), tecnologia e preparação e serviço de alimentos (food stylist) estarão entre as mais promissoras. A OOH está ligada ao Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, que inclui informações sobre a natureza do trabalho, condições de trabalho, treinamento e educação, ganhos e perspectivas de emprego para centenas de ocupações diferentes nos Estados Unidos.

A Indeed, um motor de busca de empregos criado nos Estados Unidos, também apontou algumas profissões que estarão em alta, como os tecnólogos médicos, que são os responsáveis pela manutenção e operação de equipamentos médicos. Enquanto outra profissão que ganha destaque no setor médico é a de fisioterapeuta, que é uma atividade que atua na prevenção e na reabilitação da capacidade física e funcional das pessoas

Por outro lado, o estudo “Projetando 2030: uma visão dividida do futuro”, encomendado pela Dell Technologies Institute For The Future, diz que os estudantes que estão se formando agora vão trabalhar em profissões que ainda sequer existem. Segundo o Instituto, 85% dessas profissões só irão existir em 10 anos. A Dell Technologies é uma  empresa de hardware de computador dos Estados Unidos, que emprega mais de 106.700 pessoas no mundo inteiro.

Profissões do futuro segundo a pesquisa da Cognizant

A multinacional de tecnologia americana Cognizant também encomendou um estudo das principais profissões com futurólogos de mercado com tendências até 2028. O resultado apontou para 21 profissões do futuro, algumas com denominações bem interessantes, como alfaiate digital e controlador de tráfego autônomo (gerenciador de veículos autônomos e drones). A Cognizant é líder mundial mundial em tecnologia e negócios, fez esse levantamento com base em análises e insights coletados nos 10 anos de trabalho do Center for the Future of Work (CFoW - Centro para o Futuro do Trabalho) da empresa.
O relatório foi criado pela Cognizante, que é uma líder mundial mundial em tecnologia e negócios. A empresa fez esse levantamento com base em análises e insights coletados nos 10 anos de trabalho do Center for the Future of Work (CFoW – Centro para o Futuro do Trabalho) da empresa.

Previsões do The Future of Jobs

De acordo com o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro, na verdade, o futuro já chegou. Segundo o relatório, criado em parceria com o ADP Research Institute, a pandemia afetou o mercado de trabalho muito mais rápido do que se esperava. O momento demonstra que mais de 80% dos negócios estão sofrendo planos de digitalização para implantação de novas tecnologias e 50% estão acelerando a implantação da automação para algumas funções.  Segundo o relatório, em 2025, a automação e uma nova divisão do trabalho entre humanos e máquinas impactarão em 85 milhões de empregos em todo o mundo, em empresas de médio e grande porte em 15 setores e 26 economias. O relatório Future of Jobs mapeia os empregos e habilidades do futuro, acompanhando o ritmo das mudanças, e divulga esse levantamento sempre no Fórum Econômico. Para o estudo deste ano, o relatório aponta que algumas áreas ganharam grande destaque, com foco muito grande no empreendedorismo. A missão do ADP Research Institute é gerar descobertas baseadas em dados sobre o mundo do trabalho e derivar indicadores econômicos confiáveis ​​a partir dessas percepções. Entre as áreas que estarão em ascensão estão a área da saúde, especialmente, o setor que está ligado com a tecnologia, e carreiras que valorizam o preparo físico.O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma. Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta. Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software. O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade. Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH.O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma. Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta. Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software. O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade. Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH.
 O relatório vem sendo criado para divulgação no Fórum Econômico Mundial em parceria com o ADP Research Institute. A missão do ADP é gerar descobertas baseadas em dados sobre o mundo do trabalho e derivar indicadores econômicos confiáveis ​​a partir dessas percepções. Em todos os anos, aponta as tendências do mercado de trabalho.

Habilidades mais buscadas para o século 21

No Relatório Tendências de Capital Humano para 2021, encomendado pela Deloitte, um grupo de empresas de serviços britânica que realiza pesquisa constantemente sobre diversos setores, foi apontado que as organizações precisam ter foco em humanizar as relações de trabalho para crescer. Para compor o estudo foram entrevistados cerca de 9.000 líderes de negócios e RH em 119 países.

Para isso, devem abraçar três atributos: propósito, perspectiva e potencial. Dentro desses aspectos, especialmente depois da pandemia, algumas tendências estão surgindo: o trabalho projetado para o bem-estar, foco na resiliência para futuros incertos, criação de superequipes com integração da Inteligência Artificial e iniciativas para aumentar o senso de pertencimento dos trabalhadores e gerar mais conexão e engajamento com o ambiente de trabalho (seja presencial ou no home office).

Além disso, embora o cenário da Inteligência Artificial esteja ficando cada vez mais nítido, as habilidades das profissões do futuro que prometem abrir mais portas no mercado de trabalho no século 21 são tipicamente humanas, como:

  • Pensamento crítico; 
  • Inteligência emocional;
  • Resiliência; 
  • Adaptabilidade;
  • Capacidade para resolução de problemas complexos.

Os profissionais mais valorizados serão aqueles que demonstrarem flexibilidade, criatividade e espírito colaborativo.

Nos últimos tempos, a tecnologia já estava desenhando um novo formato para o universo das profissões. Porém, com a chegada da pandemia, houve uma verdadeira aceleração das transformações sociais e de mercado. É certo que muitas profissões ligadas ao universo digital vão tomar imensas proporções, porém, outras funções ligadas à área médica e de relações interpessoais também prometem receber um novo destaque. Veja mais neste texto. Estudantes do Ensino Médio ficam de olho nas futuras profissões No Ensino Médio, os estudantes buscam definir as profissões com as quais estão em sintonia. Em princípio, para fazer uma opção para o vestibular, mas, de forma geral, também começam a buscar um rumo para a própria vida. Para quem está entrando na vida adulta, um cenário já era certo antes de março de 2020: a Quarta Revolução Industrial já estava gerando um impacto muito grande no mercado de trabalho, dando grande ênfase para profissões associadas ao universo digital e à Inteligência Artificial. Porém, com a chegada da pandemia, as transformações foram imensamente aceleradas e um novo universo profissional se desvendou. De acordo com o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro, na verdade, o futuro já chegou. O momento demonstra que mais de 80% dos negócios estão sofrendo planos de digitalização para implantação de novas tecnologias e 50% estão acelerando a implantação da automação para algumas funções. O relatório aponta que algumas áreas ganharam grande destaque, com foco muito grande no empreendedorismo. Entre as áreas que estarão em ascensão estão a área da saúde, especialmente, o setor que está ligado com a tecnologia, e carreiras que valorizam o preparo físico. O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma. Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta. Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software. O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade. Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH. Pesquisa aponta tendências até 2028 A multinacional de tecnologia americana Cognizant também encomendou um estudo das principais profissões com futurólogos de mercado com tendências até 2028. O resultado apontou para 21 profissões, algumas com denominações bem interessantes, como alfaiate digital e controlador de tráfego autônomo (gerenciador de veículos autônomos e drones). A ferramenta OOH (Occupational Outlook Handbook) do Bureau of Labor Statistics (BLS) aponta também que profissões ligadas à saúde (foco em genética), tecnologia e preparação e serviço de alimentos (food stylist) estarão entre as mais promissoras. A Indeed, um motor de busca de empregos criado nos Estados Unidos, também apontou algumas profissões que estarão em alta, como os tecnólogos médicos, que são os responsáveis pela manutenção e operação de equipamentos médicos. Enquanto outra profissão que ganha destaque no setor médico é a de fisioterapeuta, que é uma atividade que atua na prevenção e na reabilitação da capacidade física e funcional das pessoas. Por outro lado, o estudo “Projetando 2030: uma visão dividida do futuro”, encomendado pela Dell Technologies Institute For The Future, diz que os estudantes que estão se formando agora vão trabalhar em profissões que ainda sequer existem. Segundo o Instituto, 85% dessas profissões só irão existir em 10 anos. Profissões de destaque segundo a pesquisa da Cognizant Alfaiate digital (profissional de e-commerce que pega medidas de clientes para fazer ajustes em roupas) Analista de cidades cibernéticas Analista de computação quântica Cientistas de dados Chief Trust Officer Coach de saúde financeira Construtor de Realidade Aumentada Consultor fitness Controlador de Tráfego Autônomo Corretor de dados pessoais Curador de memória pessoal Diretor de genoma Especialista em Edge Computing Facilitador de TI Gerente de Ética Gerente de man-machine (faz colaboração entre homem e máquina) Gerente de negócio em IA Oficial de Diversidade (facilitará a produtividade e rentabilidade de uma organização) Sherpa de loja virtual Técnico em saúde informatizada Walker-Talker (profissional que passa tempo com os clientes para ouvir o que eles querem) Previsões do The Future of Jobs Analistas de Inteligência Artificial e Machine Learning Analista de Big Data Analista de Business Intelligence Analista de Tecnologia Arquitetos de Dados Auxiliar de saúde doméstica Business Partner Business Partner em RH Consultor em analytics Consultor de nuvem Desenvolvedores de transporte inteligente Desenvolvedores de desenvolvedores em Python, full stack, Javascript e back Diretor de estratégia Enfermagem Engenheiro de dados Engenheiro de estabilidade de site Engenheiros DevOps Engenheiros de energia Engenheiros de qualidade de software Engenheiro de qualidade Engenheiro de robótica Especialistas em IoT (Internet Of Things) Especialista de e-commerce Especialista em aquisição de talentos Especialistas em sustentabilidade Fisioterapeutas Gerente de conformidade Gerente de Análise de Marketing Guardiões do clima Product owner Tecnólogo médico Habilidades mais buscadas para o século 21 No Relatório Tendências de Capital Humano para 2021, encomendado pela Deloitte, um grupo de empresas de serviços britânica, foi apontado que as organizações precisam ter foco em humanizar as relações de trabalho para crescer. Para isso, devem abraçar três atributos: propósito, perspectiva e potencial. Dentro desses aspectos, especialmente depois da pandemia, algumas tendências estão surgindo: o trabalho projetado para o bem-estar, foco na resiliência para futuros incertos, criação de superequipes com integração da Inteligência Artificial e iniciativas para aumentar o senso de pertencimento dos trabalhadores e gerar mais conexão e engajamento com o ambiente de trabalho (seja presencial ou no home office). Além disso, embora o cenário da Inteligência Artificial esteja ficando cada vez mais nítido, as habilidades que prometem abrir mais portas no mercado de trabalho no século 21 são tipicamente humanas, como: pensamento crítico; inteligência emocional; resiliência; adaptabilidade; capacidade para resolução de problemas complexos. Os profissionais mais valorizados serão aqueles que demonstrarem flexibilidade, criatividade e espírito colaborativo. Conclusão A pandemia promoveu transformações em todos os setores da economia, não só no universo do trabalho. Algumas dessas mudanças tiveram um foco muito positivo, como o aumento da solidariedade entre as pessoas e o desejo por mais conexão (pessoal e virtual). O que percebe-se é que, em todos os aspectos, houve uma grande demanda por habilidades socioemocionais, que fazem parte dos projetos pedagógicos do Colégio Planck. No Colégio, os estudantes são estimulados nas competências e habilidades socioemocionais, em ambientes mais criativos e lúdicos e com novas propostas de ensino, para que desenvolvam mais as suas potencialidades. Com isso, a aposta é que esses alunos ganhem impactos positivos em sua vida pessoal e profissional, sendo pessoas mais criativas, bem-sucedidas e felizes em seu futuro.

Conclusão

A pandemia promoveu transformações em todos os setores da economia, não só no universo do trabalho. Algumas dessas mudanças tiveram um foco muito positivo, como o aumento da solidariedade entre as pessoas e o desejo por mais conexão (pessoal e virtual). O que percebe-se é que, em todos os aspectos, houve uma grande demanda por habilidades socioemocionais, que fazem parte dos projetos pedagógicos do Colégio Planck.

No Colégio, os estudantes são estimulados nas competências e habilidades socioemocionais, em ambientes mais criativos e lúdicos e com novas propostas de ensino, para que desenvolvam mais as suas potencialidades.

Com isso, a aposta é que esses alunos ganhem impactos positivos em sua vida pessoal e profissional, sendo pessoas mais criativas, bem-sucedidas e felizes em seu futuro.

Leia mais:

➡️ Robótica

➡️ Summit Planck 2020

➡️ Bilinguismo na Educação Brasileira

Compartilhe:

Leia também:

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Dicas para exercitar a memória

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular

Translate »