O que é de fato uma proposta pedagógica com foco no socioemocional?

Conteúdo

É cada vez mais comum a percepção de que os estudantes devem desenvolver habilidades como pensamento crítico, gestão emocional e criatividade para ter mais chances de sucesso nos processos que irão enfrentar na vida pessoal e acadêmica. Para isso, a escola deve ter uma proposta pedagógica que permita o desenvolvimento dessas competências e habilidades. Mas o que é de fato uma proposta pedagógica com foco no socioemocional? Se quer saber mais sobre o assunto, leia este texto. Quais são as habilidades socioemocionais apontadas pela BNCC? Não é de hoje que a escola se tornou um ambiente de formação de pessoas no que se refere aos aspectos técnicos, porém, a partir da BNCC, ficou determinado que essa formação também passa pelo socioemocional, por meio de uma instrução explícita. Tudo isso porque a Educação do século 21 mudou. Agora deve ser inerente aos estudantes a capacidade de ser protagonista do seu próprio desenvolvimento, a partir de novas diretrizes. Assim, as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular apontam que o desenvolvimento das habilidades socioemocionais devem ser contempladas nos currículos de todas as escolas brasileiras, desde a educação básica. Essas habilidades estão presentes em competências gerais, que visam dar base para o desenvolvimento da autoconsciência, habilidades de relacionamento, autogestão, consciência social e tomada de decisão responsável. Assim, uma proposta pedagógica que tenha foco no socioemocional deve se concentrar em ajudar os estudantes a lidar com as suas emoções e ter mais entendimento sobre elas, ajudando a prepará-los para a vida adulta.

É cada vez mais comum a percepção de que os estudantes devem desenvolver habilidades como pensamento crítico, gestão emocional e criatividade para ter mais chances de sucesso nos processos que irão enfrentar na vida pessoal e acadêmica. 

Para isso, a escola deve ter uma proposta pedagógica que permita o desenvolvimento dessas competências e habilidades.

Mas o que é de fato uma proposta pedagógica com foco no socioemocional? Se quer saber mais sobre o assunto, leia este texto.

Quais são as habilidades socioemocionais apontadas pela BNCC?

Não é de hoje que a escola se tornou um ambiente de formação de pessoas no que se refere aos aspectos técnicos, porém, a partir da BNCC, ficou determinado que essa formação também passa pelo socioemocional, por meio de uma instrução explícita.

Tudo isso porque a Educação do século 21 mudou. Agora deve ser inerente aos estudantes a capacidade de ser protagonista do seu próprio desenvolvimento, a partir de novas diretrizes.

Assim, as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular apontam que o desenvolvimento das habilidades socioemocionais devem ser contempladas nos currículos de todas as escolas brasileiras, desde a educação básica.

Essas habilidades estão presentes em competências gerais, que visam dar base para o desenvolvimento da autoconsciência,  habilidades de relacionamento, autogestão, consciência social e tomada de decisão responsável. 

Assim, uma proposta pedagógica que tenha foco no socioemocional deve se concentrar em ajudar os estudantes a lidar com as suas emoções e ter mais entendimento sobre elas, ajudando a prepará-los para a vida adulta.

Como a proposta pedagógica pode proporcionar esse desenvolvimento?

Quando somos adultos, espera-se que autonomia, responsabilidade, regras sociais, pensamento crítico, gestão emocional e outras habilidades socioemocionais já estejam integradas em nossa personalidade, de forma que já estejamos preparados para os desafios que surgem nos relacionamentos de forma geral, tanto nos ambientes sociais e familiares, como no mercado de trabalho.

No entanto, ter todas essas competências aperfeiçoadas dentro de si não ocorre da noite para o dia. A partir da BNCC, criou-se uma exigência para que essas habilidades sejam trabalhadas nas mais diversas situações que são proporcionadas no período escolar.

Dessa forma, uma proposta pedagógica que tenha foco no socioemocional  estimulará o desenvolvimento de habilidades de raciocínio prático e analítico, resiliência, responsabilidade e autonomia nas atividades das mais diversas disciplinas.

O interessante é que essas competências sejam entrelaçadas, permitindo aperfeiçoamento geral. 

Na Matriz Socioemocional do Colégio Planck, todas as habilidades são concentradas em 4 grandes áreas: abertura ao novo, resiliência emocional, autogestão e amabilidade e engajamento.

Case Planck Home School, entenda ideias, fases e resultados do ensino remoto do Planck

Autogestão

Habilidade de regular com sucesso as emoções, pensamentos e comportamentos em diferentes situações – gerenciando efetivamente o estresse, controlando impulsos e motivando-se. A habilidade de definir e trabalhar em direção a objetivos pessoais e acadêmicos.

Amabilidade & engajamento

Habilidade de ser empático, afetuoso e solidário, e também ter compaixão, ser tolerante e inspirar confiança. Espera-se a participação ativa por meio de expressões e linguagens diversificadas, tendo por base informações confiáveis para tomada de decisões éticas.

Resiliência emocional

É a habilidade de conviver com situações adversas, adaptar-se a mudanças e lidar com sentimentos adversos, como: raiva, ansiedade e medo de forma saudável, sem que isso abale a sua confiança.

Abertura ao novo

É a habilidade de ser flexível e a disposição pessoal para vivenciar novas experiências respeitando as diferentes manifestações estéticas, culturais e intelectuais.

Todas as competências apontadas pela BNCC estão contempladas nas mais diversas atividades do Colégio Planck, que ocorrem dentro das disciplinas curriculares e também das disciplinas eletivas, que são aquelas que são escolhidas pelos próprios estudantes para complementar suas competências cognitivas e, consequentemente, as habilidades socioemocionais.

Com a aprendizagem baseada em projetos e colaborativa, os estudantes vão desenvolvendo diversas habilidades socioemocionais, como a autonomia. Além disso, também aprendem como desenvolver raciocínio lógico e a solucionar problemas com as aulas do laboratório Design Maker e Academia Sherlock, ou até ter mais gestão de suas emoções, desenvolvendo inteligência emocional e ganhando mais autocontrole.

É cada vez mais comum a percepção de que os estudantes devem desenvolver habilidades como pensamento crítico, gestão emocional e criatividade para ter mais chances de sucesso nos processos que irão enfrentar na vida pessoal e acadêmica. Para isso, a escola deve ter uma proposta pedagógica que permita o desenvolvimento dessas competências e habilidades. Mas o que é de fato uma proposta pedagógica com foco no socioemocional? Se quer saber mais sobre o assunto, leia este texto. Quais são as habilidades socioemocionais apontadas pela BNCC? Não é de hoje que a escola se tornou um ambiente de formação de pessoas no que se refere aos aspectos técnicos, porém, a partir da BNCC, ficou determinado que essa formação também passa pelo socioemocional, por meio de uma instrução explícita. Tudo isso porque a Educação do século 21 mudou. Agora deve ser inerente aos estudantes a capacidade de ser protagonista do seu próprio desenvolvimento, a partir de novas diretrizes. Assim, as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular apontam que o desenvolvimento das habilidades socioemocionais devem ser contempladas nos currículos de todas as escolas brasileiras, desde a educação básica. Essas habilidades estão presentes em competências gerais, que visam dar base para o desenvolvimento da autoconsciência, habilidades de relacionamento, autogestão, consciência social e tomada de decisão responsável. Assim, uma proposta pedagógica que tenha foco no socioemocional deve se concentrar em ajudar os estudantes a lidar com as suas emoções e ter mais entendimento sobre elas, ajudando a prepará-los para a vida adulta.

Leia mais:

Competências para o século 21

Uma proposta pedagógica com foco no socioemocional também não pode excluir o papel da tecnologia na Educação. 

Por isso, entre essas competências, que aparentemente têm a ver com apenas com questões técnicas e cognitivas, mas também envolvem o socioemocional, estão a capacidade de aplicar rapidamente os novos conhecimentos e as habilidades essenciais do século 21, que também passam pela resolução de problemas, uso da tecnologia, comunicação, trabalho em equipe e inovação.

Um projeto pedagógico inovador focado no socioemocional visa preparar o estudante para um mundo onde não há certezas futuras, porque as transformações têm sido muito rápidas. 

Neste aspecto, muito mais do que apenas preparar os estudantes para certas profissões, o Colégio deve trabalhar com o desenvolvimento da adaptabilidade, pensamento criativo e crítico, raciocínio, relacionamento interpessoal, autonomia e sensibilidade estética e científica, de forma que estejam prontos para atender as necessidades exigidas a cada momento futuro.

No Colégio Planck, que tem o DNA tecnológico, os estudantes são preparados para aplicar os conhecimentos que são exigidos neste mundo mutável que vivemos hoje. 

É uma escola certificada pelo Google, que utiliza todos os recursos tecnológicos para contribuir com o resultado dos seus estudantes, entre eles, o Google Sites, Agenda, Classroom, etc.

Mas o Colégio também oferece a base socioemocional para que os estudantes façam bom uso dessa tecnologia.

Conclusão

Uma proposta pedagógica focada no socioemocional deve avaliar o estudante como um todo, e não apenas em seus resultados no desempenho. O emocional deve ser observado pela equipe pedagógica para entender se existe alguma forma de auxiliá-lo ainda mais.

O desenvolvimento das habilidades socioemocionais é um dos pilares do Colégio Planck, ao lado do Alto Desempenho. Além das atividades curriculares e extracurriculares, a Orientação Pedagógica cumpre também o papel de acolhimento desses estudantes, que têm portas abertas para manifestar as suas inseguranças.

Neste aspecto, há um incentivo do desenvolvimento do autoconhecimento, que permite o conhecimento de suas forças e fragilidades, para que seja dada a atenção devida a cada vetor.

O objetivo do Planck é que os estudantes estejam preparados não só academicamente, mas também em todos os aspectos sociais e emocionais que possam levá-los ao sucesso em suas vidas.

ebook ensino fundamental anos finais

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »