Como desenvolver raciocínio lógico?

Conteúdo

É cada vez mais comum a percepção de que os estudantes devem desenvolver habilidades como pensamento crítico, gestão emocional e criatividade para ter mais chances de sucesso nos processos que irão enfrentar na vida pessoal e acadêmica. Para isso, a escola deve ter uma proposta pedagógica que permita o desenvolvimento dessas competências e habilidades. Mas o que é de fato uma proposta pedagógica com foco no socioemocional? Se quer saber mais sobre o assunto, leia este texto. Quais são as habilidades socioemocionais apontadas pela BNCC? Não é de hoje que a escola se tornou um ambiente de formação de pessoas no que se refere aos aspectos técnicos, porém, a partir da BNCC, ficou determinado que essa formação também passa pelo socioemocional, por meio de uma instrução explícita. Tudo isso porque a Educação do século 21 mudou. Agora deve ser inerente aos estudantes a capacidade de ser protagonista do seu próprio desenvolvimento, a partir de novas diretrizes. Assim, as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular apontam que o desenvolvimento das habilidades socioemocionais devem ser contempladas nos currículos de todas as escolas brasileiras, desde a educação básica. Essas habilidades estão presentes em competências gerais, que visam dar base para o desenvolvimento da autoconsciência, habilidades de relacionamento, autogestão, consciência social e tomada de decisão responsável. Assim, uma proposta pedagógica que tenha foco no socioemocional deve se concentrar em ajudar os estudantes a lidar com as suas emoções e ter mais entendimento sobre elas, ajudando a prepará-los para a vida adulta.

Pode-se dizer que o raciocínio lógico permite a análise de uma questão a partir de um certo número de elementos que vão ajudar na tomada de decisão assertiva.

Veja neste texto o que significa raciocínio lógico e como desenvolver essa habilidade.

O que é o raciocínio lógico?

Quem se lembra do Dr Spock, da série e filme “Star Trek”? Ele tem a capacidade de desenvolver conclusões razoáveis de forma brilhante a partir de um conjunto de informações. Essa é uma característica da ascendência vulcana dele, o raciocínio lógico.

O raciocínio lógico é uma capacidade de organização e estruturação do pensamento a partir do uso de dados diversos, aumentando assim a eficiência para encontrar soluções para todas as questões.

Mas se os vulcanos têm essa habilidade inata, e nós, seres humanos?

Nós usamos o raciocínio, e raciocinar significa usar a razão, porém, nem sempre, o fazemos de forma lógica e organizada. Mesmo assim, se ainda não temos essa competência, é possível sim desenvolvê-la.

Nas fases escolares e pré-vestibulares, é imprescindível que o estudante desenvolva o raciocínio lógico porque será fundamental para o bom resultado em provas e vestibulares. No entanto, para o futuro, também será uma competência muito importante para a vida profissional e pessoal, em vários aspectos.

Em escolas que também trabalham as habilidades socioemocionais, como o Colégio Planck, essa competência também favorece o estímulo do pensamento crítico e da criatividade.

Leia mais:

Como aprender o raciocínio lógico?

Mesmo sem saber da necessidade de desenvolver essa habilidade, somos estimulados ao uso dela em várias situações do dia a dia, por exemplo, para calcular instintivamente o tempo que vamos levar para realizar uma determinada tarefa, ou seja, quanto tempo vamos gastar para ir de um lugar a outro.

Neste caso, vamos precisar de dados para chegar a uma conclusão: qual é o tempo que temos para concluir a tarefa, a distância, de que forma queremos chegar (a pé, de bicicleta, de ônibus), etc. Essa é uma forma de entender o que é o raciocínio lógico matemático (quantitativo), que costuma estar associado a números. 

Porém, o raciocínio lógico também deve ser aplicado para várias questões, não só as matemáticas e não só do cotidiano, mas também para tomada de decisões muito importantes, porque prevê a análise de vários aspectos de um problema de forma objetiva, gerar ideias criativas e estabelecer metas. 

A partir dele podemos deliberar sobre assuntos que vão afetar a nossa vida: onde queremos estudar na fase universitária? Vamos ter recursos e condições? Esse curso tem a ver com o que esperamos da vida? Seremos felizes?

Caso a lógica não seja utilizada em questões como essas, podemos nos basear apenas em emoções do momento e acabar tomando uma decisão muito errada. 

Como desenvolver raciocínio lógico?

Assim como fazemos para ganharmos expertise em qualquer tema, para ficarmos craques no raciocínio lógico é preciso treino constante.

Para isso, é possível tomar algumas iniciativas:

  • Pratique o questionamento

Faça a si mesmo perguntas para raciocínio lógico, para buscar novas descobertas sobre aspectos que ainda não havia considerado em uma questão.

Esse hábito serve tanto para resolver problemas de raciocínio lógico, para matemática, por exemplo, como para outros assuntos do cotidiano.

Na verdade, fazer esse exercício de forma constante vai ajudar a solucionar muitas outras questões da própria vida. Conheça algumas maneiras de treinar essa habilidade.

  • Use aplicativos e jogos de raciocínio lógico

Aplicativos e jogos específicos podem ajudar a treinar o seu cérebro para pensar de forma lógica.

Eles servem para fazer esse treino de forma divertida e contribuir para a flexibilidade cerebral por meio de exercícios, brincadeiras e charadas. Alguns deles são: Brainzzz, Luminosity, Elevate, Math Riddles, Fit Brains e até o bom e velho Sudoku, etc.

ebook como unir cultura maker e design thinking

  • Procure aprender uma nova habilidade

Estudos de neurociência apontam que quando alguém aprende uma nova habilidade faz um treino de raciocínio lógico.

  • Diferencie observação e indução

Fazer essa diferenciação também ajuda no desenvolvimento dessa competência, porque a observação é a capacidade de usar seus sentidos para coletar dados, enquanto a indução é a conclusão tirada da observação.

Após ter uma melhor compreensão sobre a observação, indução, dados e fatos pode tomar melhores decisões a partir do raciocínio lógico.

  • Encontre um hobby criativo

Quando uma pessoa pratica um passatempo criativo, que pode ser tocar um instrumento, pintar, escrever, etc, ela desenvolve naturalmente a capacidade de resolução de problemas, que também está intimamente ligada ao raciocínio lógico.

  • Aprenda a desenvolver hipóteses

Ao tentar antecipar o resultado da solução dos problemas, treina também as consequências daquela tomada de decisão e, assim, estimula a capacidade de raciocínio lógico.

É preciso buscar fazer esse exercício regularmente para ampliar essa capacidade não só nas disciplinas escolares, mas em várias situações cotidianas.

Pode-se dizer que o raciocínio lógico permite a análise de uma questão a partir de um certo número de elementos que vão ajudar na tomada de decisão assertiva. Veja neste texto o que significa raciocínio lógico e como desenvolver essa habilidade. O que é o raciocínio lógico? Quem se lembra do Dr Spock, da série e filme “Star Trek”? Ele tem a capacidade de desenvolver conclusões razoáveis de forma brilhante a partir de um conjunto de informações. Essa é uma característica da ascendência vulcana dele, o raciocínio lógico. O raciocínio lógico é uma capacidade de organização e estruturação do pensamento a partir do uso de dados diversos, aumentando assim a eficiência para encontrar soluções para todas as questões. Mas se os vulcanos têm essa habilidade inata, e nós, seres humanos? Nós usamos o raciocínio, e raciocinar significa usar a razão, porém, nem sempre, o fazemos de forma lógica e organizada. Mesmo assim, se ainda não temos essa competência, é possível sim desenvolvê-la. Nas fases escolares e pré-vestibulares, é imprescindível que o estudante desenvolva o raciocínio lógico porque será fundamental para o bom resultado em provas e vestibulares. No entanto, para o futuro, também será uma competência muito importante para a vida profissional e pessoal, em vários aspectos. Em escolas que também trabalham as habilidades socioemocionais, como o Colégio Planck, essa competência também favorece o estímulo do pensamento crítico e da criatividade. Leia mais: Aprendizagem socioemocional na prática Como aprender o raciocínio lógico? Mesmo sem saber da necessidade de desenvolver essa habilidade, somos estimulados ao uso dela em várias situações do dia a dia, por exemplo, para calcular instintivamente o tempo que vamos levar para realizar uma determinada tarefa, ou seja, quanto tempo vamos gastar para ir de um lugar a outro. Neste caso, vamos precisar de dados para chegar a uma conclusão: qual é o tempo que temos para concluir a tarefa, a distância, de que forma queremos chegar (a pé, de bicicleta, de ônibus), etc. Essa é uma forma de entender o que é o raciocínio lógico matemático (quantitativo), que costuma estar associado a números. Porém, o raciocínio lógico também deve ser aplicado para várias questões, não só as matemáticas e não só do cotidiano, mas também para tomada de decisões muito importantes, porque prevê a análise de vários aspectos de um problema de forma objetiva, gerar ideias criativas e estabelecer metas. A partir dele podemos deliberar sobre assuntos que vão afetar a nossa vida: onde queremos estudar na fase universitária? Vamos ter recursos e condições? Esse curso tem a ver com o que esperamos da vida? Seremos felizes? Caso a lógica não seja utilizada em questões como essas, podemos nos basear apenas em emoções do momento e acabar tomando uma decisão muito errada. Como desenvolver raciocínio lógico? Assim como fazemos para ganharmos expertise em qualquer tema, para ficarmos craques no raciocínio lógico é preciso treino constante. Para isso, é possível tomar algumas iniciativas: Pratique o questionamento Faça a si mesmo perguntas para raciocínio lógico, para buscar novas descobertas sobre aspectos que ainda não havia considerado em uma questão. Esse hábito serve tanto para resolver problemas de raciocínio lógico, para matemática, por exemplo, como para outros assuntos do cotidiano. Na verdade, fazer esse exercício de forma constante vai ajudar a solucionar muitas outras questões da própria vida. Conheça algumas maneiras de treinar essa habilidade. Use aplicativos e jogos de raciocínio lógico Aplicativos e jogos específicos podem ajudar a treinar o seu cérebro para pensar de forma lógica. Eles servem para fazer esse treino de forma divertida e contribuir para a flexibilidade cerebral por meio de exercícios, brincadeiras e charadas de raciocínio lógico. Alguns deles são: Brainzzz, Luminosity, Elevate, Math Riddles, Fit Brains e até o bom e velho Sudoku, etc. Procure aprender uma nova habilidade Estudos de neurociência apontam que quando alguém aprende uma nova habilidade faz um treino de raciocínio lógico. Diferencie observação e indução Fazer essa diferenciação também ajuda no desenvolvimento do raciocínio lógico, porque a observação é a capacidade de usar seus sentidos para coletar dados, enquanto a indução é a conclusão tirada da observação. Após ter uma melhor compreensão sobre a observação, indução, dados e fatos pode tomar melhores decisões a partir do raciocínio lógico. Encontre um hobby criativo Quando uma pessoa pratica um passatempo criativo, que pode ser tocar um instrumento, pintar, escrever, etc, ela desenvolve naturalmente a capacidade de resolução de problemas, que também está intimamente ligada ao raciocínio lógico. Aprenda a desenvolver hipóteses Ao tentar antecipar o resultado da solução dos problemas, treina também as consequências daquela tomada de decisão e, assim, estimula a capacidade de raciocínio lógico. É preciso buscar fazer esse exercício regularmente para ampliar essa capacidade não só nas disciplinas escolares, mas em várias situações cotidianas. Treine a resolução de mistérios de livros e séries Ao ler romances ou ver séries policiais, tente decifrar o enigma antes do final da história. Comece eliminando as respostas que se apresentam impossíveis e vá trabalhando naquelas que são mais plausíveis. Aprenda a reconhecer padrões Essa competência é fundamental para desenvolver o raciocínio lógico, porque fortalece suas habilidades mentais. Por exemplo, quando se brinca com um aplicativo que mostra uma sequência de números, saber qual é o próximo fica muito mais fácil se reconhecer um padrão. Conclusão O Colégio Planck tem entre os seus pilares o desenvolvimento de habilidades socioemocionais como criatividade, pensamento crítico, resolução de problemas, trabalho em equipe, etc. Como parte do seu projeto pedagógico, utiliza a aprendizagem baseada em projetos e a aprendizagem colaborativa, que estimulam os estudantes a trabalhar em equipe para solucionar problemas, o que contribui amplamente com o desenvolvimento da capacidade de raciocínio lógico. Um dos projetos pedagógicos que o Planck utiliza que induz muito ao raciocínio lógico é a Academia Sherlock, que visa desenvolver competências cognitivas e propriedades investigativas nos estudantes. O objetivo é prepará-los academicamente, mas também para a vida, para que sejam bem-sucedidos em seus projetos futuros.

  • Treine a resolução de mistérios de livros e séries

Ao ler romances ou ver séries policiais, tente decifrar o enigma antes do final da história. Comece eliminando as respostas que se apresentam impossíveis e vá trabalhando naquelas que são mais plausíveis.

  • Aprenda a reconhecer padrões

Essa competência é fundamental para desenvolver o raciocínio lógico, porque fortalece suas habilidades mentais.

Por exemplo, quando se brinca com um aplicativo que mostra uma sequência de números, saber qual é o próximo fica muito mais fácil se reconhecer um padrão.

Conclusão

O Colégio Planck tem entre os seus pilares o desenvolvimento de habilidades socioemocionais como criatividade, pensamento crítico, resolução de problemas, trabalho em equipe, etc.

Como parte do seu projeto pedagógico, utiliza a aprendizagem baseada em projetos e a aprendizagem colaborativa, que estimulam os estudantes a trabalhar em equipe para solucionar problemas, o que contribui amplamente com o desenvolvimento da capacidade de raciocínio lógico.

Um dos projetos pedagógicos que o Planck utiliza que induz muito ao raciocínio lógico é a Academia Sherlock, que visa desenvolver competências cognitivas e propriedades investigativas nos estudantes.

O objetivo é prepará-los academicamente, mas também para a vida, para que sejam bem-sucedidos em seus projetos futuros. 

Clique e agende uma visita. Matrículas Planck 2024.

 

Compartilhe:

Compartilhe:

Leia também:

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades e deveres, que caminha junto a mudanças físicas e neurológicas. No ambiente escolar, os estudantes deparam-se com novos desafios, mas também com novas oportunidades e paixões. É neste momento que suas vozes despertam e começam a descobrir-se como pessoas.

Ensino fundamental 2: o que esperar?

O Ensino Fundamental 2 é um período de aprendizagem importante para as crianças e pré-adolescentes, pois marca sua passagem para um mundo com mais responsabilidades

Translate »