Transição escolar: como ajudar seu filho a superar esse medo?

Conteúdo

Na Educação Básica, há 3 grandes fases de transição escolar, mas uma das que geram mais medos e inseguranças nos estudantes é a mudança do ensino fundamental anos iniciais para o 6૦ ano dos anos finais. Se o seu filho está nesta fase, saiba neste texto como ajudá-lo a superar suas fragilidades. Quais são as fases de transição de escola? A Educação Básica é composta pelo ensino infantil, ensino fundamental e ensino médio. A primeira transição de escola que as crianças vão passar é quando vão para o ensino fundamental anos iniciais, na sequência vêm a passagem para os anos finais e em seguida para o ensino médio. A mudança do ensino fundamental anos iniciais para os finais, quando os estudantes entram no 6૦ ano, é uma das que mais geram insegurança porque os estudantes também estão passando por mudanças em seus corpos e mentes. Estão saindo da infância e entrando na adolescência, que é uma fase marcada por muitas complexidades. Quais os desafios do 6૦ ano? Na mudança para o 6૦ ano, os estudantes enfrentam inúmeros desafios. O primeiro é no corpo: quando essa nova fase começa os estudantes estão com 11 anos, em média, e passam a sentir as transformações que surgem a partir de uma verdadeira explosão hormonal, meninos mudam a voz, meninas começam a ganhar curvas, etc. Um mundo novo é descoberto no que se refere também às emoções. Na sequência, surgem os desafios acadêmicos, o primeiro deles pode ser uma mudança de escola. Apenas a transição de ambiente já estimula muitos questionamentos e eles começam a ter dúvidas sobre se vão gostar da nova escola, se farão novos amigos, se vão se acostumar com as novas diretrizes escolares, se serão aceitos, etc. Já durante o primeiro dia do novo ano letivo, os estudantes também constatam que perderam o professor único, agora são vários professores, um para cada disciplina; novos horários e uma complexidade maior nos conteúdos. Além disso, os anos finais exigem mais habilidades socioemocionais, como autonomia, organização e responsabilidade. Como os pais podem ajudar os filhos na transição de escola? Se o filósofo grego Heráclito (470 a.C.) tinha razão ao dizer que nada é permanente na vida, por outro lado, Leon C. Megginson (1921 - 2010), que foi professor de negócios das universidades de Louisiana, South Alabama e Mobile, também apresentou um conceito utilizado em muitos setores, que pode servir até dentro do contexto escolar: “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, mas as que se adaptam melhor às mudanças.” Assim, se as mudanças na vida são inevitáveis e os estudantes precisam se adaptar a elas, uma das funções dos pais é promover mais tranquilidade para os filhos em cada uma dessas fases de transição. Vale lembrar que para o 6૦ ano, os estudantes podem levar até seis meses para sedimentar essa adaptação. Veja algumas dicas para ajudar o seu filho neste processo: Procure uma escola adequada ao perfil do seu filho Cada estudante tem uma característica e ela pode ser melhor aproveitada em uma escola onde ele poderá dar vazão aos seus talentos. Se for necessária uma mudança escolar, procure uma instituição que vá ajudar no crescimento pessoal e acadêmico do seu filho. Uma escola que trabalha com o desenvolvimento socioemocional, como o Colégio Planck, vai ajudá-los a ter mais ferramentas sociais e emocionais para lidar com o novo momento. Eles vão aprender a se organizar melhor, a desenvolver mais resiliência e tolerar frustrações, vão aprender a trabalhar em equipe e de forma colaborativa. No Planck, a metodologia é da aprendizagem baseada em projetos e aprendizagem colaborativa. Entenda como será a atuação dos educadores na nova escola Com a mudança do professor único para vários mestres, o seu filho poderá ficar inseguro, portanto, nesse momento, o time pedagógico deve estar atento a essa transição também. Neste momento, os professores devem produzir diagnósticos sobre desempenho e criar estratégias para aumentar os níveis de motivação e engajamento desses estudantes recém-chegados. Ao ficar cientes desses critérios nas reuniões iniciais com a escola, converse com o seu filho sobre a mudança de professores, a quantidade de disciplinas e os novos deveres e responsabilidades, para que não sejam pegos de surpresa nesta nova fase, sempre no sentido de tranquilizados. Assim, já chegam preparados para a realidade que vão encontrar. Pais devem ajudar na organização no início Com a mudança para diversos professores e disciplinas, os pais devem ajudar os estudantes na organização dos materiais e gestão do tempo no início, porém, também dar espaço para que desenvolvam autonomia a médio e longo prazo. Como ainda não estão habituados, caso não incentivem essa organização no começo, eles podem deixar acumular tarefas e não cuidar do próprio material pedagógico. Eles vão precisar lembrar que: Devem levar o material certo para as aulas do dia; Organizar trabalhos e tarefas de casa; Ficar atento para a continuidade de temas das disciplinas; Cada professor tem um jeito próprio de ensinar. Mas não façam tudo por eles, orientem, por exemplo, para alertá-los se estão fazendo as lições de casa do dia e se o material certo está na mochila, e observem o desenvolvimento dessas habilidades socioemocionais. Família deve oferecer muito apoio no novo momento Os pais precisam entender o novo momento que os filhos estão passando, tanto em relação às mudanças físicas, como as emocionais. Por isso, precisam estar atentos e sempre abertos ao diálogo. Mostre para eles o lado positivo dessa transição escolar, revelando como o novo período será interessante para fazer novas descobertas e conhecer novos amigos. Também é muito importante manter uma proximidade com a equipe pedagógica, para que seja estabelecida uma ponte de confiança entre esses dois elos que fazem parte da vida do estudante. Assim, fica mais fácil para ele entender que todos estão pensando em seu bem-estar nesta fase de adaptação. Conclusão No Colégio Planck, a chegada dos estudantes no 6૦ ano é acompanhada por uma profissional da Orientação Educacional. Neste momento, eles são acolhidos, acompanhados e têm portas abertas para conversar e manifestar as suas inseguranças. A equipe pedagógica também tem uma postura atenta ao observar os estudantes recém-chegados para entender se estão tendo dificuldades de absorção do conteúdo das disciplinas. Além disso, para equalizar os conhecimentos dos recém-chegados, o Planck tem o programa PAIDA - Atividades Diagnósticas para Novos Estudantes. Ao matricular-se no Colégio, o estudante entra em um ambiente de aprendizagem virtual, que oferece diversas atividades semanais. Além de promover um diagnóstico dos novos estudantes, o PAIDA também oferece orientação, técnicas de estudo e apoio pedagógico. Para os estudantes matriculados para o próximo ano, o programa será realizado em agosto e setembro, para todas as séries. Todas as ferramentas pedagógicas do Colégio Planck visam ressaltar que a instituição está sempre disponível para as famílias que estejam necessitando de auxílio neste processo de transição escolar de seus filhos.

Na Educação Básica, há 3 grandes fases de transição escolar, mas uma das que geram mais medos e inseguranças nos estudantes é a mudança do ensino fundamental anos iniciais para o 6૦ ano dos anos finais. 

Se o seu filho está nesta fase, saiba neste texto como ajudá-lo a superar suas fragilidades.

Quais são as fases de transição de escola?

A Educação Básica é composta pelo ensino infantil, ensino fundamental e ensino médio. A primeira transição de escola que as crianças vão passar é quando vão para o ensino fundamental anos iniciais, na sequência vêm a passagem para os anos finais e em seguida para o ensino médio.

A mudança do ensino fundamental anos iniciais para os finais, quando os estudantes entram no 6૦ ano, é uma das que mais geram insegurança porque os estudantes também estão passando por mudanças em seus corpos e mentes.

Estão saindo da infância e entrando na adolescência, que é uma fase marcada por muitas complexidades. 

campanha de matrículas 2023

Quais os desafios do 6૦ ano?

Na transição escolar para o 6૦ ano, os estudantes enfrentam inúmeros desafios. O primeiro é no corpo: quando essa nova fase começa os estudantes estão com 11 anos, em média, e passam a sentir as transformações que surgem a partir de uma verdadeira explosão hormonal, meninos mudam a voz, meninas começam a ganhar curvas, etc. Um mundo novo é descoberto no que se refere também às emoções.

Na sequência, surgem os desafios acadêmicos, o primeiro deles pode ser uma mudança de escola. Apenas a transição de ambiente já estimula muitos questionamentos e eles começam a ter dúvidas sobre se vão gostar da nova escola, se farão novos amigos, se vão se acostumar com as novas diretrizes escolares, se serão aceitos, etc.

Já durante o primeiro dia do novo ano letivo, os estudantes também constatam que perderam o professor único, agora são vários professores, um para cada disciplina; novos horários e uma complexidade maior nos conteúdos. 

Além disso, os anos finais exigem mais habilidades socioemocionais, como autonomia, organização e responsabilidade.

Leia também:

Como os pais podem ajudar os filhos na transição de escola?

Se o filósofo grego Heráclito (470 a.C.) tinha razão ao dizer que nada é permanente na vida, por outro lado, Leon C. Megginson (1921 – 2010), que foi professor de negócios das universidades de Louisiana, South Alabama e Mobile, também apresentou um conceito utilizado em muitos setores, que pode servir até dentro do contexto escolar: “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, mas as que se adaptam melhor às mudanças.”

Assim, se as mudanças na vida são inevitáveis e os estudantes precisam se adaptar a elas, uma das funções dos pais é promover mais tranquilidade para os filhos em cada uma dessas fases de transição. 

Vale lembrar que nesta fase de transição escolar para o 6૦ ano, os estudantes podem levar até seis meses para sedimentar essa adaptação.

Veja algumas dicas para ajudar o seu filho neste processo:

Procure uma escola adequada ao perfil do seu filho

Cada estudante tem uma característica e ela pode ser melhor aproveitada em uma escola onde ele poderá dar vazão aos seus talentos.

Se for necessária uma mudança escolar, procure uma instituição que vá ajudar no crescimento pessoal e acadêmico do seu filho.

Uma escola que trabalha com o desenvolvimento socioemocional, como o Colégio Planck, vai ajudá-los a ter mais ferramentas sociais e emocionais para lidar com o novo momento. 

Eles vão aprender a se organizar melhor, a desenvolver mais resiliência e tolerar frustrações, vão aprender a trabalhar em equipe e de forma colaborativa.

No Planck, a metodologia é da aprendizagem baseada em projetos e aprendizagem colaborativa.

Na Educação Básica, há 3 grandes fases de transição escolar, mas uma das que geram mais medos e inseguranças nos estudantes é a mudança do ensino fundamental anos iniciais para o 6૦ ano dos anos finais. Se o seu filho está nesta fase, saiba neste texto como ajudá-lo a superar suas fragilidades. Quais são as fases de transição de escola? A Educação Básica é composta pelo ensino infantil, ensino fundamental e ensino médio. A primeira transição de escola que as crianças vão passar é quando vão para o ensino fundamental anos iniciais, na sequência vêm a passagem para os anos finais e em seguida para o ensino médio. A mudança do ensino fundamental anos iniciais para os finais, quando os estudantes entram no 6૦ ano, é uma das que mais geram insegurança porque os estudantes também estão passando por mudanças em seus corpos e mentes. Estão saindo da infância e entrando na adolescência, que é uma fase marcada por muitas complexidades. Quais os desafios do 6૦ ano? Na mudança para o 6૦ ano, os estudantes enfrentam inúmeros desafios. O primeiro é no corpo: quando essa nova fase começa os estudantes estão com 11 anos, em média, e passam a sentir as transformações que surgem a partir de uma verdadeira explosão hormonal, meninos mudam a voz, meninas começam a ganhar curvas, etc. Um mundo novo é descoberto no que se refere também às emoções. Na sequência, surgem os desafios acadêmicos, o primeiro deles pode ser uma mudança de escola. Apenas a transição de ambiente já estimula muitos questionamentos e eles começam a ter dúvidas sobre se vão gostar da nova escola, se farão novos amigos, se vão se acostumar com as novas diretrizes escolares, se serão aceitos, etc. Já durante o primeiro dia do novo ano letivo, os estudantes também constatam que perderam o professor único, agora são vários professores, um para cada disciplina; novos horários e uma complexidade maior nos conteúdos. Além disso, os anos finais exigem mais habilidades socioemocionais, como autonomia, organização e responsabilidade. Como os pais podem ajudar os filhos na transição de escola? Se o filósofo grego Heráclito (470 a.C.) tinha razão ao dizer que nada é permanente na vida, por outro lado, Leon C. Megginson (1921 - 2010), que foi professor de negócios das universidades de Louisiana, South Alabama e Mobile, também apresentou um conceito utilizado em muitos setores, que pode servir até dentro do contexto escolar: “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, mas as que se adaptam melhor às mudanças.” Assim, se as mudanças na vida são inevitáveis e os estudantes precisam se adaptar a elas, uma das funções dos pais é promover mais tranquilidade para os filhos em cada uma dessas fases de transição. Vale lembrar que para o 6૦ ano, os estudantes podem levar até seis meses para sedimentar essa adaptação. Veja algumas dicas para ajudar o seu filho neste processo: Procure uma escola adequada ao perfil do seu filho Cada estudante tem uma característica e ela pode ser melhor aproveitada em uma escola onde ele poderá dar vazão aos seus talentos. Se for necessária uma mudança escolar, procure uma instituição que vá ajudar no crescimento pessoal e acadêmico do seu filho. Uma escola que trabalha com o desenvolvimento socioemocional, como o Colégio Planck, vai ajudá-los a ter mais ferramentas sociais e emocionais para lidar com o novo momento. Eles vão aprender a se organizar melhor, a desenvolver mais resiliência e tolerar frustrações, vão aprender a trabalhar em equipe e de forma colaborativa. No Planck, a metodologia é da aprendizagem baseada em projetos e aprendizagem colaborativa. Entenda como será a atuação dos educadores na nova escola Com a mudança do professor único para vários mestres, o seu filho poderá ficar inseguro, portanto, nesse momento, o time pedagógico deve estar atento a essa transição também. Neste momento, os professores devem produzir diagnósticos sobre desempenho e criar estratégias para aumentar os níveis de motivação e engajamento desses estudantes recém-chegados. Ao ficar cientes desses critérios nas reuniões iniciais com a escola, converse com o seu filho sobre a mudança de professores, a quantidade de disciplinas e os novos deveres e responsabilidades, para que não sejam pegos de surpresa nesta nova fase, sempre no sentido de tranquilizados. Assim, já chegam preparados para a realidade que vão encontrar. Pais devem ajudar na organização no início Com a mudança para diversos professores e disciplinas, os pais devem ajudar os estudantes na organização dos materiais e gestão do tempo no início, porém, também dar espaço para que desenvolvam autonomia a médio e longo prazo. Como ainda não estão habituados, caso não incentivem essa organização no começo, eles podem deixar acumular tarefas e não cuidar do próprio material pedagógico. Eles vão precisar lembrar que: Devem levar o material certo para as aulas do dia; Organizar trabalhos e tarefas de casa; Ficar atento para a continuidade de temas das disciplinas; Cada professor tem um jeito próprio de ensinar. Mas não façam tudo por eles, orientem, por exemplo, para alertá-los se estão fazendo as lições de casa do dia e se o material certo está na mochila, e observem o desenvolvimento dessas habilidades socioemocionais. Família deve oferecer muito apoio no novo momento Os pais precisam entender o novo momento que os filhos estão passando, tanto em relação às mudanças físicas, como as emocionais. Por isso, precisam estar atentos e sempre abertos ao diálogo. Mostre para eles o lado positivo dessa transição escolar, revelando como o novo período será interessante para fazer novas descobertas e conhecer novos amigos. Também é muito importante manter uma proximidade com a equipe pedagógica, para que seja estabelecida uma ponte de confiança entre esses dois elos que fazem parte da vida do estudante. Assim, fica mais fácil para ele entender que todos estão pensando em seu bem-estar nesta fase de adaptação. Conclusão No Colégio Planck, a chegada dos estudantes no 6૦ ano é acompanhada por uma profissional da Orientação Educacional. Neste momento, eles são acolhidos, acompanhados e têm portas abertas para conversar e manifestar as suas inseguranças. A equipe pedagógica também tem uma postura atenta ao observar os estudantes recém-chegados para entender se estão tendo dificuldades de absorção do conteúdo das disciplinas. Além disso, para equalizar os conhecimentos dos recém-chegados, o Planck tem o programa PAIDA - Atividades Diagnósticas para Novos Estudantes. Ao matricular-se no Colégio, o estudante entra em um ambiente de aprendizagem virtual, que oferece diversas atividades semanais. Além de promover um diagnóstico dos novos estudantes, o PAIDA também oferece orientação, técnicas de estudo e apoio pedagógico. Para os estudantes matriculados para o próximo ano, o programa será realizado em agosto e setembro, para todas as séries. Todas as ferramentas pedagógicas do Colégio Planck visam ressaltar que a instituição está sempre disponível para as famílias que estejam necessitando de auxílio neste processo de transição escolar de seus filhos.

Entenda como será a atuação dos educadores na nova escola

Com a mudança do professor único para vários mestres, o seu filho poderá ficar inseguro, portanto, nesse momento, o time pedagógico deve estar atento a essa transição também.

Neste momento, os professores devem produzir diagnósticos sobre desempenho e criar estratégias para aumentar os níveis de motivação e engajamento desses estudantes recém-chegados. 

Ao ficar cientes desses critérios nas reuniões iniciais com a escola, converse com o seu filho sobre a mudança de professores, a quantidade de disciplinas e os novos deveres e responsabilidades, para que não sejam pegos de surpresa nesta nova fase, sempre no sentido de tranquilizados. Assim, já chegam preparados para a realidade que vão encontrar.

ebook ensino fundamental anos finais

Pais devem ajudar na organização no início

Com a mudança para diversos professores e disciplinas, os pais devem ajudar os estudantes na organização dos materiais e gestão do tempo no início, porém, também dar espaço para que desenvolvam autonomia a médio e longo prazo.

Como ainda não estão habituados, caso não incentivem essa organização no começo, eles podem deixar acumular tarefas e não cuidar do próprio material pedagógico. 

Eles vão precisar lembrar que:

  • Devem levar o material certo para as aulas do dia;
  • Organizar trabalhos e tarefas de casa;
  • Ficar atento para a continuidade de temas das disciplinas;
  • Cada professor tem um jeito próprio de ensinar.

Mas não façam tudo por eles, orientem, por exemplo, para alertá-los se estão fazendo as lições de casa do dia e se o material certo está na mochila, e observem o desenvolvimento dessas habilidades socioemocionais. 

Na Educação Básica, há 3 grandes fases de transição escolar, mas uma das que geram mais medos e inseguranças nos estudantes é a mudança do ensino fundamental anos iniciais para o 6૦ ano dos anos finais. Se o seu filho está nesta fase, saiba neste texto como ajudá-lo a superar suas fragilidades. Quais são as fases de transição de escola? A Educação Básica é composta pelo ensino infantil, ensino fundamental e ensino médio. A primeira transição de escola que as crianças vão passar é quando vão para o ensino fundamental anos iniciais, na sequência vêm a passagem para os anos finais e em seguida para o ensino médio. A mudança do ensino fundamental anos iniciais para os finais, quando os estudantes entram no 6૦ ano, é uma das que mais geram insegurança porque os estudantes também estão passando por mudanças em seus corpos e mentes. Estão saindo da infância e entrando na adolescência, que é uma fase marcada por muitas complexidades. Quais os desafios do 6૦ ano? Na mudança para o 6૦ ano, os estudantes enfrentam inúmeros desafios. O primeiro é no corpo: quando essa nova fase começa os estudantes estão com 11 anos, em média, e passam a sentir as transformações que surgem a partir de uma verdadeira explosão hormonal, meninos mudam a voz, meninas começam a ganhar curvas, etc. Um mundo novo é descoberto no que se refere também às emoções. Na sequência, surgem os desafios acadêmicos, o primeiro deles pode ser uma mudança de escola. Apenas a transição de ambiente já estimula muitos questionamentos e eles começam a ter dúvidas sobre se vão gostar da nova escola, se farão novos amigos, se vão se acostumar com as novas diretrizes escolares, se serão aceitos, etc. Já durante o primeiro dia do novo ano letivo, os estudantes também constatam que perderam o professor único, agora são vários professores, um para cada disciplina; novos horários e uma complexidade maior nos conteúdos. Além disso, os anos finais exigem mais habilidades socioemocionais, como autonomia, organização e responsabilidade. Como os pais podem ajudar os filhos na transição de escola? Se o filósofo grego Heráclito (470 a.C.) tinha razão ao dizer que nada é permanente na vida, por outro lado, Leon C. Megginson (1921 - 2010), que foi professor de negócios das universidades de Louisiana, South Alabama e Mobile, também apresentou um conceito utilizado em muitos setores, que pode servir até dentro do contexto escolar: “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, mas as que se adaptam melhor às mudanças.” Assim, se as mudanças na vida são inevitáveis e os estudantes precisam se adaptar a elas, uma das funções dos pais é promover mais tranquilidade para os filhos em cada uma dessas fases de transição. Vale lembrar que para o 6૦ ano, os estudantes podem levar até seis meses para sedimentar essa adaptação. Veja algumas dicas para ajudar o seu filho neste processo: Procure uma escola adequada ao perfil do seu filho Cada estudante tem uma característica e ela pode ser melhor aproveitada em uma escola onde ele poderá dar vazão aos seus talentos. Se for necessária uma mudança escolar, procure uma instituição que vá ajudar no crescimento pessoal e acadêmico do seu filho. Uma escola que trabalha com o desenvolvimento socioemocional, como o Colégio Planck, vai ajudá-los a ter mais ferramentas sociais e emocionais para lidar com o novo momento. Eles vão aprender a se organizar melhor, a desenvolver mais resiliência e tolerar frustrações, vão aprender a trabalhar em equipe e de forma colaborativa. No Planck, a metodologia é da aprendizagem baseada em projetos e aprendizagem colaborativa. Entenda como será a atuação dos educadores na nova escola Com a mudança do professor único para vários mestres, o seu filho poderá ficar inseguro, portanto, nesse momento, o time pedagógico deve estar atento a essa transição também. Neste momento, os professores devem produzir diagnósticos sobre desempenho e criar estratégias para aumentar os níveis de motivação e engajamento desses estudantes recém-chegados. Ao ficar cientes desses critérios nas reuniões iniciais com a escola, converse com o seu filho sobre a mudança de professores, a quantidade de disciplinas e os novos deveres e responsabilidades, para que não sejam pegos de surpresa nesta nova fase, sempre no sentido de tranquilizados. Assim, já chegam preparados para a realidade que vão encontrar. Pais devem ajudar na organização no início Com a mudança para diversos professores e disciplinas, os pais devem ajudar os estudantes na organização dos materiais e gestão do tempo no início, porém, também dar espaço para que desenvolvam autonomia a médio e longo prazo. Como ainda não estão habituados, caso não incentivem essa organização no começo, eles podem deixar acumular tarefas e não cuidar do próprio material pedagógico. Eles vão precisar lembrar que: Devem levar o material certo para as aulas do dia; Organizar trabalhos e tarefas de casa; Ficar atento para a continuidade de temas das disciplinas; Cada professor tem um jeito próprio de ensinar. Mas não façam tudo por eles, orientem, por exemplo, para alertá-los se estão fazendo as lições de casa do dia e se o material certo está na mochila, e observem o desenvolvimento dessas habilidades socioemocionais. Família deve oferecer muito apoio no novo momento Os pais precisam entender o novo momento que os filhos estão passando, tanto em relação às mudanças físicas, como as emocionais. Por isso, precisam estar atentos e sempre abertos ao diálogo. Mostre para eles o lado positivo dessa transição escolar, revelando como o novo período será interessante para fazer novas descobertas e conhecer novos amigos. Também é muito importante manter uma proximidade com a equipe pedagógica, para que seja estabelecida uma ponte de confiança entre esses dois elos que fazem parte da vida do estudante. Assim, fica mais fácil para ele entender que todos estão pensando em seu bem-estar nesta fase de adaptação. Conclusão No Colégio Planck, a chegada dos estudantes no 6૦ ano é acompanhada por uma profissional da Orientação Educacional. Neste momento, eles são acolhidos, acompanhados e têm portas abertas para conversar e manifestar as suas inseguranças. A equipe pedagógica também tem uma postura atenta ao observar os estudantes recém-chegados para entender se estão tendo dificuldades de absorção do conteúdo das disciplinas. Além disso, para equalizar os conhecimentos dos recém-chegados, o Planck tem o programa PAIDA - Atividades Diagnósticas para Novos Estudantes. Ao matricular-se no Colégio, o estudante entra em um ambiente de aprendizagem virtual, que oferece diversas atividades semanais. Além de promover um diagnóstico dos novos estudantes, o PAIDA também oferece orientação, técnicas de estudo e apoio pedagógico. Para os estudantes matriculados para o próximo ano, o programa será realizado em agosto e setembro, para todas as séries. Todas as ferramentas pedagógicas do Colégio Planck visam ressaltar que a instituição está sempre disponível para as famílias que estejam necessitando de auxílio neste processo de transição escolar de seus filhos.

Família deve oferecer muito apoio no novo momento

Os pais precisam entender o novo momento que os filhos estão passando, tanto em relação às mudanças físicas, como as emocionais. Por isso, precisam estar atentos e sempre abertos ao diálogo.

Mostre para eles o lado positivo dessa transição escolar, revelando como o novo período será interessante para fazer novas descobertas e conhecer novos amigos.

Também é muito importante manter uma proximidade com a equipe pedagógica, para que seja estabelecida uma ponte de confiança entre esses dois elos que fazem parte da vida do estudante.

Assim, fica mais fácil para ele entender que todos estão pensando em seu bem-estar nesta fase de adaptação.

Conclusão

No Colégio Planck, a chegada dos estudantes no 6૦ ano é acompanhada por uma profissional da Orientação Educacional.

Neste momento, eles são acolhidos, acompanhados e têm portas abertas para conversar e manifestar as suas inseguranças. 

A equipe pedagógica também tem uma postura atenta ao observar os estudantes recém-chegados para entender se estão tendo dificuldades de absorção do conteúdo das disciplinas.

Além disso, para equalizar os conhecimentos dos recém-chegados, o Planck tem o programa PAIDA – Atividades Diagnósticas para Novos Estudantes. Ao matricular-se no Colégio, o estudante entra em um ambiente de aprendizagem virtual, que oferece diversas atividades semanais.

Além de promover um diagnóstico dos novos estudantes, o PAIDA também oferece orientação, técnicas de estudo e apoio pedagógico.

Para os estudantes matriculados para o próximo ano, o programa será realizado em agosto e setembro, para todas as séries.

Todas as ferramentas pedagógicas  do Colégio Planck visam ressaltar que a instituição está sempre disponível para as famílias que estejam necessitando de auxílio neste processo de transição escolar de seus filhos.

Leia também:

Compartilhe:

Leia também:

Translate »