Novas profissões X profissões tradicionais

Conteúdo

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância?

Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda.

Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro?

De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte.  Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica.

Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc.

Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. 

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

Novas profissões x profissões tradicionais: o que tende a continuar em alta no futuro?

O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos.

O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. 

O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde.

Nesse cenário de novas profissões x profissões tradicionais, muitas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. 

Professor

Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado  pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social.

Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade.

Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro.

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

Médicos

Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina.

Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. 

Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos.

Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças.

Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein.

Fisioterapeutas

Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população.

Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de  2019.

Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI.

Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein.

Arquitetos

A arquitetura vem passando por uma aceleração digital  imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada.

Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto.

Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados.

Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados.

Vendas e marketing 

Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas.

O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas.

Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial.

ebook Planck Global Guidance site

Administradores de Empresas

Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento.

Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização.

Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc.

O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro

Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais.

Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. 

Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios.

No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação.

➡️ Summit Planck

Definição de Carreira exige pesquisa

A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante.

Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

 

Compartilhe:

Leia também:

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular de cada fase. Veja nesse texto alguns truques que vão auxiliar a reter melhor os conteúdos recebidos. Como o cérebro e a memória funcionam? A Ciência já demonstrou que o desenvolvimento cerebral das crianças e adolescentes é realizado em etapas. Na primeira infância, está mais desenvolvido o sistema límbico, que é responsável pelas emoções e impulsos, e o hipocampo, que atua na memória, que é formada pelas conexões entre as células nervosas e os neurônios, e permite armazenar informações e recuperá-las sempre que necessário para todos os processos da vida. Só com o passar da idade é que o córtex pré-frontal vai se desenvolvendo e apresentando melhores condições para possibilitar o controle das emoções, organização, planejamento, pensamento crítico, atenção, etc. Esse desenvolvimento vai ocorrer até os 25 anos. Com aproximadamente 86 bilhões de estruturas que vão captar, repassar, guardar e resgatar, o cérebro funciona como um arquivo gigantesco de informações. No entanto, o cérebro também tem um importante recurso de economia de energia e potencialização do seu uso: ele desliga áreas que não estão sendo devidamente usadas. Por isso, quanto mais estímulo a pessoa dá a uma determinada área cerebral, mais ativa ela fica, isso inclui a memória. Portanto, conhecer algumas dicas para exercitar a memória é muito importante em todas as fases da vida, inclusive, na escolar, quando os estudantes estão mergulhados em conhecimentos das diversas disciplinas, e precisam entendê-los, retê-los e recuperá-los para as provas, simulados ou exames de vestibular. Tipos de memórias Além das informações retidas relativas à temporalidade (curto e longo prazo) e a memória sensorial, que está relacionada com associação aos estímulos recebidos pelos nossos 5 sentidos, que é citada na obra “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, a memória também está dividida em tipos que vão captar determinadas nuances das informações, de forma a classificar e processar as informações: Memória episódica: de longa duração, é a lembrança de acontecimentos específicos, como a refeição do dia anterior ou a recordação de outros momentos vividos no passado. Memória semântica: é o armazenamento de informações relativas ao mundo, como o significado das palavras ou datas de acontecimentos. Memória processual: também é de longa duração da memória, são aqueles conteúdos que aprendemos e nunca esquecemos, como andar de bicicleta. As fases da memória A memória de uma pessoa começa a atuar já no despertar de seu relógio biológico, quando o cérebro envia substâncias, como a adrenalina, para que ela tenha mais foco e concentração em suas tarefas na fase beta (enquanto está acordada). Esse relógio biológico vai indicar que é hora de estudar, trabalhar, se alimentar ou praticar atividades físicas. Essa memória aciona todo um ciclo de funções corporais que vão ocorrer ao longo do dia até que chegue o período noturno. Neste momento, começa a diminuir a adrenalina e o cortisol no organismo, acionando outras substâncias, como a melatonina, que indicam que é a hora do corpo repousar. Dentro desse processo corporal, a memória também terá as suas fases: Memorização Nesta fase, é necessária atenção, um estado de alerta total, para que a pessoa consiga memorizar as informações. Compreensão O estado de atenção também vai favorecer que a pessoa faça conexões para proporcionar um melhor entendimento da informação recebida. Assim, será mais fácil memorizar. Armazenamento Quando a pessoa entende o significado daquela informação, o conteúdo será retido no cérebro. Recuperação O cérebro organiza as informações de acordo com sua hierarquização. São as lembranças, que podem vir à tona a partir de estímulos diversos, como um som, um cheiro ou outras dicas que podem dar pistas daquela informação. Conheça dicas para exercitar a memória É certo que o cérebro funciona como um poderoso computador que faz milhões de conexões e ajuda no funcionamento corporal. Porém, às vezes, parece que a memória dele falha, e nem todos os conteúdos são rememorados com facilidade. Onde foi parar todas aquelas informações das aulas de matemática e biologia do dia anterior? E quem eram mesmo aqueles personagens do livro que você leu e foi indicado para o vestibular? Essa “perda” das informações também é comum para o cérebro, por isso, as dicas para exercitar a memória são importantes para fazer uma “atualização” do nosso sistema interno. Para consolidar a memória é sempre necessário um treino do que foi aprendido, para que o conteúdo não caia na memória de curto prazo. Treinar o cérebro constantemente vai ajudar a evitar essas falhas em sua memória, é como se fosse uma espécie de ginástica cerebral. Conheça alguns truques para treinar a sua memória, alguns desses são dicas que estão no livro “Técnicas de Estudo para Adolescentes”, de Antonio Gonzáles (Editora Vozes): Ative sua memória Abra mão de certos facilitadores, como agendas de celular ou blocos de notas, e tente sempre memorizar números de telefone, senhas, listas, datas ou lembretes de eventos. Associe informações com imagens Muitos estudantes são mais visuais e precisam associar os conteúdos a imagens ou símbolos para facilitar a memorização. Faça cálculos mentais Ao longo do dia faça operações aritméticas simples, somando as placas dos veículos, números de telefones em placas ou os números dos prédios e casas onde passar. Dê atenção aos detalhes Quando damos atenção a um assunto atribuímos importância a ele. Então, foque no tema, capture os detalhes e assim a memorização será facilitada. Invista em jogos de memorização Fazer quebra-cabeças ou jogos de memória vão ajudar muito nessa ginástica cerebral. As pessoas também podem investir em palavras cruzadas, Sudoku, dominó ou até jogos de cartas. Além disso, jogar xadrez é um importante recurso para trabalhar o cérebro. Leia e repita as citações Outra dica para exercitar a memória é a leitura porque essa é uma atividade que vai ajudar a trabalhar diversas áreas cerebrais. Além disso, repetir as frases e citações de personagens históricos também é uma excelente forma de trabalhar a memória. Anote esses enunciados e trechos de obras e repita o quanto puder. Aliás, falar em voz alta para si mesmo vale para lembrar de qualquer coisa, até mesmo para lembrar onde colocou a chave de casa. Procure lembrar os detalhes do dia Quando for deitar, antes de dormir, faça uma revisão de tudo o que aconteceu no dia, tentando lembrar alguns detalhes desde o momento que acordou, como suas roupas, o que comeu, onde foi, quem encontrou ou algum outro aspecto interessante. Conclusão É importante lembrar que a emoção está ligada à formação de novas memórias, portanto, investir em processos lúdicos e divertidos, que acionam produção e interação de hormônios do bem-estar, que paralelamente intensificam a comunicação entre neurônios, também vai dar o devido estímulo cerebral aos adolescentes para consolidação da memória.

Dicas para exercitar a memória

Dicas para exercitar a memória são muito importantes para ajudar os estudantes a guardar uma imensa quantidade de informações que são parte da grade curricular

Translate »