Novas profissões X profissões tradicionais

Conteúdo

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância?

Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda.

Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro?

De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte.  Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica.

Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc.

Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. 

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

Novas profissões x profissões tradicionais: o que tende a continuar em alta no futuro?

O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos.

O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. 

O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde.

Nesse cenário de novas profissões x profissões tradicionais, muitas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. 

Professor

Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado  pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social.

Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade.

Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro.

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

Médicos

Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina.

Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. 

Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos.

Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças.

Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein.

Fisioterapeutas

Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população.

Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de  2019.

Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI.

Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein.

Arquitetos

A arquitetura vem passando por uma aceleração digital  imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada.

Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto.

Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados.

Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados.

Vendas e marketing 

Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas.

O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas.

Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial.

ebook Planck Global Guidance site

Administradores de Empresas

Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento.

Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização.

Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc.

O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro

Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais.

Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. 

Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios.

No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação.

➡️ Summit Planck

Definição de Carreira exige pesquisa

A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante.

Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

O cenário de transformações que a sociedade tem vivenciado aponta algumas mudanças no mercado de trabalho, com o surgimento de novas profissões, mas será que as profissões tradicionais vão deixar de existir ou se manterão fortes devido à sua relevância? Veja neste post, quais são as profissões do futuro e aquelas tradicionais que tendem a se manter por muito tempo ainda. Quais as novas profissões que devem ganhar força no mercado de trabalho futuro? De acordo com o relatório Center for the Future of Work, elaborado pela empresa Cognizant Technologies Solutions, que é uma líder mundial em tecnologia e negócios, 21 profissões do futuro estão despontando no horizonte. Muitas delas terão a tecnologia como força motriz, como analista de cidades cibernéticas, construtor de realidade aumentada, facilitador de TI e analista de computação quântica. Já o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro de 2020, aponta que novas habilidades estão sendo exigidas, o que leva também a um destaque maior a novas profissões, como analista de inteligência artificial e machine learning, analistas de big data, arquitetos de dados, consultor de nuvem, engenheiros de qualidade de software, engenheiros de robótica, etc. Além disso, o relatório Future Of Jobs também aponta que cresce a tendência ao empreendedorismo entre as gerações mais jovens. Profissões tradicionais devem continuar em alta no futuro? O rápido avanço tecnológico que se fez necessário devido à pandemia do coronavírus revela que os quadros apresentados nesses relatórios internacionais tendem a se confirmar, porém, há uma tendência que algumas profissões tradicionais continuem em alta devido à importância para os setores sociais e econômicos, passando também por algumas modernizações de seus processos. O mercado de trabalho sempre foi influenciado por questões culturais e esses avanços tecnológicos, porém, embora os estudantes que hoje estão no Ensino Fundamental e Médio sejam nativos digitais, nem todos eles serão profissionais da área de tecnologia, muitos vão continuar optando pelas profissões tradicionais, como medicina, arquitetura e administração de empresas por uma questão de vocação e pela necessidade do mercado. O próprio relatório Future of Jobs, que é elaborado a partir das opiniões de líderes de negócios do mundo todo, aponta que algumas carreiras tradicionais, que continuam sendo as primeiras opções de alguns candidatos, tendem a permanecer em cena, como as ligadas à área de saúde. Muitas dessas carreiras estão se reinventando e também adotando ferramentas tecnológicas para otimizar seus processos. Professor Um dos exemplos mais recentes de transformação em uma profissão foi dado pelos professores, que precisaram usar recursos tecnológicos, aprendendo a trabalhar com plataformas digitais, montar estúdios improvisados para providenciar aulas gravadas ou ao vivo online, para continuar garantindo os conteúdos necessários para a grade curricular dos estudantes durante o isolamento social. Com a aceleração digital proporcionada durante a pandemia, o setor de Educação evoluiu para um ensino híbrido, que ainda levaria muitos anos para ser sedimentado em todos os níveis da escolaridade. Ainda assim, as ferramentas tecnológicas não substituem o olhar, o cuidado e a atenção do professor em relação aos seus estudantes. Portanto, são profissionais essenciais também para o futuro. Médicos Os médicos estão entre os profissionais mais requisitados do mercado. Neste cenário de crise sanitária, a função que exercem tomou dimensão ainda maior. Devido à contraindicação das autoridades sanitárias para algumas iniciativas presenciais para conter o risco de contágio, foi aberto espaço também para a telemedicina. Em muitas especialidades, realizar consultas online tornou-se possível e viável para o cenário de restrições. Assim, o Brasil começou a adotar uma prática já comum em outros países mais adeptos das ferramentas tecnológicas. Caminhando em paralelo, a tecnologia também vem ocupando papel importante na modernização dos processos cirúrgicos, com o crescimento de cirurgias robóticas para procedimentos minimamente invasivos. Com o tempo, a tendência é também que a medicina seja mais voltada à prevenção de doenças. Fisioterapeutas Essa já tinha sido apontada no relatório do Fórum Econômico Mundial como uma das profissões mais promissoras para o futuro, devido ao envelhecimento da população. Essa previsão logo se concretizou com a pandemia. De acordo com dados publicados na Revista Exame, a fisioterapia cresceu 725% durante a crise sanitária em relação ao ano de 2019. Os fisioterapeutas têm sido fundamentais dentro dos hospitais, especialmente aqueles com especialização em terapia intensiva, e fora das instituições hospitalares, porque muitos pacientes desenvolvem sequelas que necessitam de um acompanhamento fisioterapêutico para reabilitação da capacidade física (cardíaca, pulmonar e motora), mesmo após sair de uma UTI. Esse crescimento de 2020 foi tão significativo que inspirou que fosse criado um curso de graduação de Fisioterapia pela faculdade do Hospital Albert Einstein. Arquitetos A arquitetura vem passando por uma aceleração digital imensa nos últimos anos, adotando novas metodologias e recursos tecnológicos, como drones, robôs e ferramentas de realidade aumentada. Entre umas das possibilidades mais transformadoras da arquitetura está o uso do BIM (Building Information Modeling), que é uma metodologia de trabalho colaborativa, que faz uso de um modelo único, tridimensional e inteligente para um projeto. Com o BIM, os arquitetos têm melhores recursos para conceituar, projetar, planejar, gerenciar, executar e operar edificações e instalações, que terão melhores desempenhos e resultados. Vendas e marketing Vendas e marketing estão entre as profissões tradicionais que ganharam novas roupagens a partir dos processos digitais. Na pandemia, assumiram uma importância fundamental para a gerar iniciativas que possibilitaram a manutenção de muitas atividades econômicas. O marketing digital está em alta e proporciona o uso de ferramentas tecnológicas para educar os consumidores e estimular as vendas. Atualmente, o marketing também conta com diversos processos de automação e uso de inteligência artificial. Administradores de Empresas Essa área é necessária em empresas de qualquer segmento, atualmente vem surgindo avanços tecnológicos neste setor que permitem que as empresas atinjam um outro patamar de desenvolvimento. Dentro do novo cenário apontado pelo Future Of Jobs, a profissão de administração de empresas precisa adotar mais criatividade e inovação em seus processos para melhorar os resultados de uma organização. Para tal, esse profissional vai necessitar também de conhecimentos em Big Data, Internet Of Things, cloud computing, assinaturas eletrônicas, etc. O papel do empreendedorismo no mercado de trabalho futuro Existem algumas características próprias da Geração Z e Alpha que podem direcionar esses estudantes a investir no empreendedorismo no futuro, como apreciarem inovação, tecnologia e serem naturalmente mais engajados em gerenciar as próprias marcas pessoais. Para apostar no empreendedorismo, será necessário também investir em mais conhecimento nessa cultura empreendedora, com uma educação executiva para desenvolvimento de líderes e empreendedores. Esses profissionais vão precisar conhecer ferramentas de negócio, desenvolver habilidades e aprender a criar conexões que serão úteis à saúde financeira dos negócios. No Colégio Planck, a disciplina eletiva Startup & Empreendedorismo já proporciona esses direcionamentos para os estudantes que pensam em ter o próprio negócio no futuro. Nas aulas, eles conhecem biografias de grandes empreendedores, ferramentas que ajudam nos negócios e também aprendem a desenvolver planejamento estratégico e plano de ação. Definição de Carreira exige pesquisa A definição de carreira não é um processo tão simples, precisa reunir diversos aspectos que vão envolver vocação, interesse de mercado e expectativa para os resultados da própria vida do estudante. Para aqueles que ainda não sabem o que escolher, o Colégio Planck desenvolve um trabalho bastante minucioso com a Orientação Educacional, trazendo elementos para que os estudantes pesquisem sobre as profissões e encontrem o que mais têm atratividade para suas expectativas de vida e seus sonhos.

 

Compartilhe:

Leia também:

Translate »